2 de out de 2012

Os Dragões e Magos Negros (Parte VII) - Ovóides Petrificados e Processos Obsessivos

Dragóes do abismo, líder das trevas, exilados de Erg, ditadores abismo

Parte V: Os dragoes e magos negros

No texto  sobre o exílio dos dragões (Parte V dessa série de textos) eu abordei o processo diferenciado de exílio desses seres, em virtude do avançado grau de deterioração que o corpo mental inferior deles se encontra, muitos inclusive no estágio de ovos ou ovóides petrificados. Mas vamos ao início disso tudo, pra compreender porque os dragões recusam a reencarnação na Terra. No livro “A Marca da Besta”, capítulo 4, página 184 e 185 têm excelente explicação, quando um guardião das equipes do Cristo fala sobre os dragões:

“Diversos integrantes de sua organização haviam enlouquecido durante os milênios de rebeldia e prisão nos recantos mais obscuros e tenebrosos do planeta. Poucos conservavam a razão. Além disso haviam abandonado por completo a forma humanóide que um dia apresentaram. Talvez os superiores, os representantes da justiça divina, almejassem a plena deterioração do aspecto que tinham previamente ao degredo, a fim de assumirem em caráter definitivo a compleição humana na Terra. Mas, para ele, isso representava, além de um retrocesso uma humilhação; a verdadeira degradação. “Ora, misturar-me com aqueles primitivos ou sequer ser confundido eles...Jamais!” Sem contar que, para tal, deveria ter aceitado, num passado longínquo, reencarnar em meio aos espécimes da raça terrena, imergindo no mundo das formas, algo completamente impensável para os maiorais.” 

Temos informações impressionantes nessas poucas linhas. Primeiramente, os maiorais (sinônimo no livro para os ditadores do abismo, os dragões, a classe suprema na hierarquia das trevas) não encarnaram na Terra, isso está claramente definido nas últimas linhas. Em segundo lugar que, devido a essa escolha (de renegar a reencarnação por milênios) a maioria dos dragões enlouqueceu, ou seja, sucumbiu ao processo de ovoidização, quando após a completa deterioração do corpo astral, o corpo mental inferior regride a forma de um pequeno ovóide, de aspecto enegrecido e gelatinoso, que fica girando alucinadamente no seu eixo central, como um chacra totalmente desregulado, fazendo com que o espírito entre num estado de loucura, vivenciando os próprios ódios e pensamentos destrutivos que começam a tomar conta de si próprio. Esse é o estágio conhecido em diversas literaturas espíritas e espiritualistas como ovóide.

É interessante relembrar que nos processos de deterioração ou diluição molecular das células astrais que compõe o corpo astral e o corpo mental inferior, o primeiro corpo que se dilui totalmente no processo de ovoidização é exatamente o corpo astral. Chega num ponto que as toxinas e feridas no corpo astral tornam-se tão grandes que a energia vital advinda dos chacras e do espírito não consegue mais circular pelas camadas que formam a matriz astral, causando sua diluição por completo, sobrando apenas o corpo mental inferior sofrendo o processo de ovoidização.

O corpo mental inferior em desequilíbrio, ou seja, quando apenas canaliza seu intelecto para práticas antifraternas (caso dos magos da escuridão e dragões) ou quando se torna refém do instinto e sentimentos inferiores (espíritos que desencarnaram e cultivam esse tipo de comportamento, mas não tem o conhecimento iniciático para manter o mínimo de equilíbrio no corpo mental inferior), nesses dois casos ele deixa de possuir seu aspecto ovalado, com brilho, luminosidade e cores, que se expandem num raio de atuação da sua esfera oval entorno de 3 a 4 metros e assim se torna um ovóide, com pouco mais de 1 metro, enegrecido, de textura gelatinosa, girando alucinadamente no próprio eixo em virtude do desequilíbrio dos seus chacras (centros de força).

Esse processo, no futuro, causará a perda da consciência, visto que o corpo mental inferior está intimamente ligado ao cérebro astral no corpo astral e caso esse se dilua, a ligação do cordão dourado entre os dois corpos se perde, e o corpo mental inferior entra em processo de total desequilíbrio, perdendo sua capacidade de servir de veículo ao espírito, tornando-se uma prisão para o espírito que passa a viver entre a inconsciência e a própria ação desequilibrada na própria mente. Nesse caso ele entra numa espécie de inferno interior, algo como no filme “A Origem” onde o espírito passa a viver dentro da própria mente e das próprias projeções, medos e sombras criadas ao longo dos milênios.

Link com o trailer do filme: AQUI 


Esse processo chega no limite, quando o ovóide (corpo mental inferior) simplesmente pára de girar e se torna um ovo "sólido", de matéria astral, com as camadas energéticas totalmente petrificadas. Mesmo esse limite, que pode atingir os dragões, pode ser revertido pela Alta Espiritualidade, pois não existe morte e nem involução para os espíritos criados por Deus, tudo que o espírito aprendeu e vivenciou não se perde, assim como o espírito não morre e nem se desfaz, todo o espírito foi criado com a essência divina e um dia despertará dentro de si essa essência de amor. 

Nesse estágio de ovóide petrificado, que vai além do processo clássico de ovoidização, o espírito perde por completo o contato com o exterior, adentra de tal forma no próprio subconsciente que passa a considerar aquilo como a realidade. Justamente em virtude da gravidade desse processo, é que os dragões terão de ser alocados em um local diferente durante o exílio planetário.


A grande diferença entre magos negros e dragões está justamente na capacidade de postergar esse processo de diluição, enquanto os magos negros necessitam reencarnar de tempos em tempos para evitar a diluição do corpo astral e consequentemente a ovoidização do seu corpo mental inferior, os dragões não apenas conseguem passar pela diluição do corpo astral e ovoidização do seu corpo mental inferior criando corpos artificiais para manifestação, algo muito além na ciência das trevas do que uma simples coluna artificial de matéria astral (ver mais sobre isto no link ao final deste post) e ectoplasma que os magos negros conseguem criar. Inclusive, podemos ainda fazer uma análise com a metáfora dos dragões (nome dado a espíritos muitos antigos que foram exilados pra Terra centenas de milhares de anos antes do exílio de Capela, quando vieram os magos negros), pois os dragões formam a categoria de espíritos que possuem pleno domínio dos elementos (o dragão mergulha, voa, cospe fogo e anda pela terra): os dragões deixam no “ninho” (leia-se Sol Negro) os “ovos” ( seus corpos mentais inferiores já ovalados e petrificados) para que seus espíritos  possam ter energia suficiente para ficar fora desses ovos (que não servem mais como corpos para seus espíritos) e utilizar corpos artificiais, feitos com uma combinação de matéria astral e intensa radiação vinda do Sol Negro.

Todos os dragões que estão nos confins das trevas estão com os seus corpos de origem já no estado de ovóide petrificado, a grande questão é que alguns poucos ainda conseguem manter a consciência devido ao uso de corpo artificiais (como relatado no capítulo 4 de “A Marca da Besta”), fornecido pela líder dos ditadores. Todos aqueles que em algum momento tentaram rebelar-se contra essa liderança, perderam o direito de utilizar esses corpos e inevitavelmente ficaram aprisionados ao ovóide petrificado. Aqueles que se submetem as diretrizes da líder dos dragões, podem usar esses corpos artificiais e assim assegurar uma manifestação mais livre em relação aos seus corpos de origem já em decomposição, no estágio de ovóide petrificado.

Na página 187, capítulo 4 da “A Marca da Besta” é esclarecido que existem mais de mil dragões aprisionados na Terra, sendo que pouco mais de 600 conservam lucidez e dentre esses, existe uma elite com 7 maiorais e um supremo líder. Nessa mesma página é relatado o aspecto escultural do aparato humanóide criado pela líder dos dragões e que serve de corpo artificial aos dragões que não perderam a consciência (ou seja, ficaram definitivamente presos ao seu corpo mental inferior de origem em estado de ovóide petrificado). Foi essa forma humanóide mais perfeita que tentaram criar em meio a humanidade de mais de 800 mil anos atrás e ao perceberem que seria impossível criar aquela forma em meio ao mundo das formas (dimensão material), decidiram-se por nunca reencarnar na Terra.

Atomo, sol negro, movimento orbital, fractal, imagem digital

O número de dragões exilados na Terra diz respeito ao conjunto de inteligências originárias de Morg que vieram pra Terra após diversas batalhas e destruições de vários orbes, inclusive Erg. O número exato desses seres é de 1777, sendo que todos os 1777 corpos mentais inferiores na forma de ovóides petrificados está disposto em 24 grupos de 72 corpos, grupos esses agrupados em forma circular ao redor da egrégora do Sol Negro, que nada mais é do que um conjunto de duas pirâmides semelhantes ao diamante girando dentro de uma esfera imaginária como se fosse um átomo e ao longo dessa esfera duas correntes de energia, uma expandindo e a outra atraindo energia. No centro dessa egrégora, existem 49 corpos em estado de ovóide petrificado, sendo um deles o da líder dos dragões e demais 48 corpos pertencentes aos mais fortes mentalmente, que ainda preservam a lucidez, utilizando corpos artificiais feitos pela líder dos dragões e que  formam uma espécie de campo retangular, onde estão agrupados 12 em cada um das pontas do retângulo, agrupados formando um pequeno círculo em cada um dos vértices desse retângulo, totalizando 48 corpos e no centro o corpo da líder, canalizando essa energia toda da egrégora do Sol Negro, o que possibilita um poder acima de todos os demais dragões, sobretudo na atividade mental.

Esse campo retangular possui a dimensão da câmara dos reis, só que em proporção maior: 104 metros de comprimento, 52 de largura e 58 de altura, um campo totalmente fechado, apenas aberto no “teto” em um retângulo central proporcionalmente menor, com 10.40 metros de comprimento, 5.20 metros de largura e 5.80 de altura, onde está depositado em um pedestal o corpo petrificado da líder dos dragões.

Toda a estrutura astral do Sol Negro é semelhante a estrutura astral das pirâmides atlantes, a única diferença é que os dragões utilizam essa egrégora para o mal, enquanto que na Era de Ouro Atlante, os magos da luz utilizavam o conhecimento dessa geometria sagrada para realizar o bem. Inclusive em um passado remoto, os sumérios representaram essa estrutura de poder dos dragões em imagens e que muitos estudiosos da cultura suméria pensam ser a representação de Nibiru ou algum planeta extrasolar:


Tábua Suméria mostrando o Sol Negro (Nibiru)

Nesse cuneiforme e em um outro aparecem figuras semelhantes: uma espécie de estrela de 4 pontas formando uma cruz, irradiando uma espécie de energia, como podemos ver na figura acima. O movimento do Sol Negro em três dimensões é como um átomo girando e se fossemos representar artisticamente essa visão em duas dimensões, ficaria bem semelhante ao disco com a figura acima. Como já exposto aqui no blog sobre os textos da Transição Planetária, o que ocorrerá no auge da Tribulação é que o Sol Negro será imantado ao Apophis e formará algo no céu parecido com um segundo Sol ou um outro planeta visível no céu , pois não existe a possibilidade matemática e astronômica de algum orbe, anã marrom ou planeta extrasolar chegar a Terra nas próximas décadas como já mostrado na série de posts comentando a palestra do André Luiz Ruiz e em vários textos da fanpage.  

Coluna Artificial de matéria astral: AQUI          

Esse post complementa o assunto abordado na fanpage sobre os outros exílios além de Capela, sobretudo o exílio da constelação de Perseus a 800 mil anos atrás, que deu origem a toda mitologia de Perseu, inclusive a lenda da Medusa e das Górgonas (mulheres aladas com serpentes no lugar dos cabelos), uma antiga referência mitológica que já existia desde os tempos da Atlântida a respeito da líder que comanda os dragões que existe até os dias de hoje. O assunto está descrito nesse item da fanpage: AQUI

FanPage Profecias o Ápice em 2036: 

http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036


8 comentários:

Gedielson disse...

Mais uma ótima literatura, José!

Obrigado por compartilhar conosco este conhecimento, fruto de incessantes pesquisas e estudos, comparações, análises e embasamento.

Paz e Luz!

José Alencastro disse...

Obrigado Gedielson, esse retorno positivo é sempre muito gratificante e motiva ainda mais para que esse trabalho de divulgação continue firme e forte. Abraço

Priscila Roberta dos santos gonçalo disse...

Boa tarde José, quero muito agradecer todo esse conhecimento que esta´nos passando, nos dias atuais, com essa multidão de informações, fica difícil saber distinguir o que é verdadeiro e o que não é, desde que comecei a ler seus posts há quase 1 ano (e eu acho que já li quase todos) muitas dúvidas que eu tinha aos poucos foram se esclarecendo, eu cresci aprendendo muitas coisas que mesmo criança eu questionava e buscava respostas, quando passei a ler livros espíritas foi que minha mente e coração foram clareando, pois da forma om que algumas religiões pintam Deus para nós é de assustar e eu sempre soube que esse Deus vingativo não existia, e agora com a beleza do eu Blog muita coisa esta sendo esclarecida, pois aos poucos o véu da nossa visão e entendimento vai caindo e muitas pessoas terão ecesso a essas informações, é disto que estamos precisando, de pessoas que têm o seu conhecimento e não guarda só para si.

Parabéns e continue sempre neste caminho, pois você tem uma missão e tenho cereza que está sendo cumprida.

obrigado!!!!

José Alencastro disse...

Olá Priscila, eu fico muito satisfeito em saber que os textos do blog estão de alguma forma colaborando de forma positiva na sua jornada pessoal. Muito em breve divulgarei para todos os leitores do blog, o lançamento do livro impresso com muitos dos assuntos abordados aqui ao longo desses 2 anos de vida, com um foco não apenas na análise minuciosa das profecias como também um amplo estudo explicando a reencarnação, o karma, a vida após o desencarne, a mediunidade assim como a necessidade de buscar praticar a lei de amor, tudo isso numa linguagem simples e didática tomando por base os textos bíblicos, com o intuito de explicar de forma clara e ampla esses assuntos através da Bíblia, trazendo entendimento aos amigos que tem interesse nesses assuntos, que conhecem pessoas que tambem tenham interesse nesses assuntos mas que sentem mais simpatia pelos textos bíblicos ou simplesmente vontade de compreende-los melhor, de forma mais ampla do que a tradicional teologia católica, protestante ou neopentecostal. Espero sinceramente Priscila, conseguir realizar com êxito esse trabalho, sendo apenas mais um colaborador ativo no processo de modernização do Cristianismo nesse amanhecer do terceiro milênio. Obrigado pelo carinho e por esse retorno tão positivo, abraço

Junior Flash disse...

Olá José, gostaria de saber como você sabe que os Dragões são originários do planeta Morg. Nunca li em nenhum lugar nada sobre esse planeta. E também gostaria de saber se há algum texto/livro/publicação que tenham informações sobre esse planeta.
Obrigado.
Abraço

José Alencastro disse...

Olá Júnior, informações sobre Morg podem ser obtidas no livro "Erg, o décimo planeta" do Feraudy. Abraço

Joel Vieira disse...

Nada como uma pessoa esclarecida. Parabens pelo seu trabalho muito bonito e enriquecedor. Abraços: Joel Vieira.

Lebonah disse...

"O número exato desses seres é de 1777, sendo que todos os 1777 corpos mentais inferiores na forma de ovóides petrificados está disposto em 24 grupos de 72 corpos"

Quando li 72 corpos me veio imediatamente "Star Trek Além da Escuridão" na cabeça. 72 era o numero de torpedos que escondiam os corpos em estado de suspensão da equipe de Khan, o lider de uma raça preparada para ser uma máquina de guerra e destruição. Toda vez que vejo um filme de ficção cientifica, não consigo deixar de relacionar com algumas das teorias que já vi aqui por esse blog.

Uma coisa que eu gostaria de saber é como as religiões tem relação com toda essa parte do espiritismo contemporâneo, vejo muitos elementos do Asatru e Odinismo aqui (experiencia espiritual de outros planos e planetas, seres de diferentes formas como dragoes, etc).