18/01/2013

O Sétimo Selo

Estátua com o rosto de Jesus

Recebi uma pergunta interessante pelo email do blog:


“Prezado José,
  
Tudo bem ? Acabei de ler o livro " O Sétimo Selo" , interessante como os avisos estão sendo feitos em várias publicações.

Neste livro fala-se que o sétimo selo foi aberto e que estamos naquela meia hora de silêncio, será que estamos nesta fase? Sendo que pelos seus estudos falta apenas 23 anos para o ápice?

Outra questão que me chamou a atenção e que no livro, fala-se muito em um sentimento generalizado de que existe "algo estranho no ar", " um sentimento de que a qualquer momento pode ocorrer uma tragédia". Vejo isso no dia a dia, não sei se estou certo , mas varias pessoas que não conhecem sobre o assunto, já me verbalizaram que estão assustadas com o aumento da violência.

Outra coisa que me chamou a atenção, foi a ação da França no Mali. Será o incio dos problemas da Europa com os Radicais Islâmicos, sendo que o IRÃ continua quieto fazendo sua bomba e os EUA e Israel, adiam um ataque as suas instalações nucleares.

Somente ainda não consegui vislumbrar uma idéia de como a CHINA vai ser aliada dos Radicais Islâmicos. Abraços, Alexandre.”


Olá amigo. Tem um texto que publiquei no blog, um dos primeiros, que fala sobre o tema, aliás, explica de forma resumida o que são os selos, as trombetas e as taças: AQUI  

Eis o trecho do texto que explico a questão do sétimo selo e o silêncio de meia hora:

"Temos no início do capitulo 6 do Apocalipse a abertura dos selos que fecham o livro da Vida da humanidade. Os seis primeiros selos contam de forma resumida a história do planeta até o ápice dos eventos da grande tribulação. Prova disso é que logo no primeiro versículo do capitulo 7 é dito: “Depois disso..” (Ap 7:1) e no versículo 14 do mesmo capitulo : “esses são os sobreviventes da Grande Tribulação” (Ap 7:14). Dessa forma o sétimo selo não vem trazer a visão de eventos posteriores ao sexto selo, mas sim um aprofundamento, um entendimento maior do que ocorreu e foi mostrado ao longo dos seis primeiros selos.

Após essa visão dos seis selos, que ocorre até o fim do capitulo 6, surge no capítulo seguinte a figura do “selo do Deus vivo”, este é exatamente o sétimo selo

No início do capítulo 8 do Apocalipse o sétimo selo é aberto e é dito, no primeiro versículo desse capítulo, que “um silêncio de meia hora foi feito” , é durante esse período que João , arrebatado às esferas superiores do mundo espiritual, é preparado silenciosamente, se concentrando para absorver as visões e sons que seriam trazidas pelas sete trombetas. 

As sete trombetas trazem o relato dos mesmos eventos relatados durante os seis primeiros selos, sendo que as últimas três trombetas trazem os eventos descritos na Bíblia como “os 3 ais” (Ap 9:12).

Do versículo 1 ao versículo 11 do capítulo 9 do Apocalipse é relatado o tocar da quinta trombeta e no versículo 12 é relatado que aquela quinta trombeta foi o primeiro “ai” e que ainda faltariam dois “ais” que são exatamente a sexta e sétima trombeta.

“Terminado assim o primeiro ai, eis que, depois dele, vêm ainda dois outros.” (Apocalipse 9:12)"

E complementando esse tema sobre o sétimo selo, o final deste texto AQUI  


O grande problema dos teólogos e médiuns que tentaram se arriscar a interpretar o Apocalipse foi justamente tentarem interpretar partes da Revelação antes de interpretarem o todo.

Como expus no texto "A Arte de Estudar Profecias", detalhando a técnica que utilizei nesse estudo, é impossível que alguém queira entender ou interpretar trechos, partes ou capítulos do Apocalipse sem que interprete TODO o Apocalipse, capítulo por capítulo, versículo por versículo, juntamente com a interpretação completa do sermão profético e de TODOS os capítulos do livro de Daniel, pois Jesus cita Daniel no sermão profético e utiliza o Apocalipse para complementar as visões proféticas que trouxe no sermão profético.

A Arte de Estudar ProfeciasAQUI 

Isso é um trabalho para, no mínimo, 5 a 8 anos (isso se a pessoa tiver inclinação pra esse tipo de estudo) e só assim, com uma interpretação global e que harmonize esses 3 relatos, juntamente com os eventos históricos e a lógica interpretativa, é que se torna possível ter interpretado um trecho "solto", mas que esteja harmonizado de forma plena com os 3 relatos (Daniel, sermão profético e Apocalipse).

Outro problema comum e ocorre inclusive quando médiuns espíritas tentam interpretar o Apocalipse, é não compreenderem que João vivenciou uma projeção consciente durante a realização das experiências que compilou no Apocalipse.

Eles se esquecem que João teve acesso àquelas visões projetado, enxergando, ouvindo e sentindo uma realidade de séculos, às vezes de um milênio a frente do seu tempo, então é óbvio que os espíritos (anjos) que o ajudavam teriam de repetir algumas imagens, de forma mais minuciosa e com maiores explicações para que ele pudesse compreender (o que explica o silêncio de meia hora).

Imagine como ele descreveria, por exemplo, a estátua da liberdade, com dois gigantescos arranha céus a sua frente (as antigas torres gêmeas), que viriam a cair e pegar fogo (11 de setembro)? 

Ele descreve como "duas testemunhas", "dois profetas" (pois ali funcionava os escritórios das principais empresas que operavam em Wall Street, a maior bolsa de valores do mundo, que "prevê" valores futuros de empresas do mundo todo) de frente para o "Deus da terra", semelhantes a dois "candelabros" (pelo aspecto metálico) e duas "oliveiras" (pois eram compridas como árvores e ao pegarem fogo e soltar fumaça ficaram muito semelhantes à imagem de uma oliveira). 

Da mesma forma o silêncio de meia hora, João estava vendo o futuro da humanidade numa projeção consciente, vendo coisas muito mais modernas do que seria possível ele compreender naquela época, então precisou ver bem, ouvir, sentir, receber explicações e tentar transmitir com a linguagem daquela época as imagens futuristas que via e sentia. 

Todos esses relatos de como João foi desdobrado, as visões que ele teve acesso (e estão gravadas até hoje no Akasha) eu irei relatar em pormenores no livro que estou escrevendo sobre a Bíblia, explicando cada versículo do Apocalipse e cada versículo profético do livro de Daniel.

Já está na hora dos cristãos, sobretudo os espíritas, saberem o que realmente aconteceu naquela noite, até hoje velada pela cortina do Akasha na ilha de Patmos, mas que será desvelada, para que todos saibam o que o discípulo amado enxergou e tenham acesso a TODAS as chaves escondidas na Revelação.

Ampulheta do destino e as areias do tempo

As trevas terão certeza que o tempo do fim delas já está marcado, para breve, na ampulheta do destino, por mais que intuam o medo, a violência, que busquem desesperadamente os holofotes, o poder, sua derrota é inevitável, a queda delas será irreversível e nada que tentem fazer poderá mudar isso. Cabe as pessoas cultivarem a serenidade e buscar a prática do bem, sem o medo do porvir, pois é o medo que alimenta essas forças negativas, que tem como único propósito atacar, mandar e dominar, mas que no fim cairão de joelhos dobrados perante o auge do exílio planetário .

A China já ajuda as forças islâmicas há tempos, tanto que a tecnologia dos drones que o Irã possui (pousou recentemente um drone espião americano através de um vírus de computador, drone este que sobrevoava o seu território) foi fornecida pela China. A China sabe que com o passar dos anos a comida, a água e, sobretudo o petróleo serão cada vez mais disputados, por isso busca estabelecer uma aliança com o mundo islâmico e mais além, por saber que a ala mais radical fomenta um desejo antigo de revanche contra o ocidente, pelas antigas guerras cristãs e pelos recentes eventos com os estados unidos, por isso a China sabe que o caminho pra sobrepujar Europa e Estados unidos passa por alimentar o ódio dessa ala mais radical que deseja vingança.

Abraço    

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036




9 comentários:

Cabo Julião disse...

José,

Independente de intrepretações pontuais, o livro citado é bem interessante. Confirma aquilo em que acreditamos: a transição para o mundo de regeneração não se dará sem a eclosão de grandes eventos sísmicos, erupções vulcânicas em larga escala, guerras, e mudanças climáticas.

O livro fala que a humanidade vai enfrentar esses fenômenos "durante as próximas décadas". Ou seja, teremos muitos anos de tribulação antes do ápice.

Abs,

Danton

José Alencastro disse...

Fico feliz em saber que o livro traz esses ensinamentos Danton. Espero sinceramente que mais obras espiritas invistam no estudo das profecias de Jesus, sabidamente o sermao profetico e o Apocalipse, alem das citaçoes ao livro de Daniel, pois dessa forma cada vez mais os mediuns avançarão no pleno entendimento dos versiculos e no texto hermético do Apocalipse, mesmo que no início ainda com erros pontuais em relação as interpretações especificas. Abraço

Edde Wagner disse...

José, umlivro espírita que vc pode gostar é o Francisco de Assis, de Miramez. A primeira parte dele é voltada À vida de João Evangelista.

Marcelo Tini disse...

José,

Gostaria de saber o que você acha a respeito desta notícia abaixo sobre o Apophis.

http://noticias.band.uol.com.br/ciencia/noticia/?id=100000566843

Abs.

Marcelo

Bruno disse...

Olá José, tenho uma pergunta aqui nada haver com o post, e como o amigo Alexandre costuma dizer, se não quiser responder não precisa, bom é que hoje eu li uma noticia muito triste no jornal sobre necrofilia praticado por um enfermeiro no hospital, a pergunta é: como fica a situação do Espirito da pessoa morta numa situação dessas? Por geralmente ser cadáver de gente mais jovem acredito que no momento do ato, o Espírito ainda esteja "preso" ao corpo, e a pessoa que cometeu isso pode sofrer de problemas de possessão? Grato desde já.

José Alencastro disse...

Depende muito de cada caso Bruno, existem desencarnes que o espirito sai em segundos do corpo fisico em outros ele permanece por mais tempo, de certa forma sentindo algumas sensaçoes da matéria em virtude da presença ainda ativa do duplo eterico. Os ciclos karmicos perduram antes, durante e depois do desencarne, entao um espirito que ainda esteja preso ao corpo e sofra um abuso desses pode se tornar obsessor do estuprador? Sim, pode. Tem alguns livros do Ramatis, pela mediunidade do Norberto Peixoto que abordam temas interessantes sobre a sexualidade no astral, pois os encarnados em virtude do ectoplasma do seu duplo eterico sao bem visados por espiritos especializados nesse tipo de obsessao sexual, entao é comum que pessoas com a sexualidade desregrada ou muito contida (ou seja, apenas aprisionada mas nao trabalhada)acabem indo para o astral ter relaçoes sexuais em hoteis no astral ligados a hoteis, casas de prostituiçao e boates no mundo fisico e doem alta cota de ectoplasma, pois normalmente a sensaçao energetica do orgasmo é mais intensa devido a menor opressão da carne sobre os chacras inferiores. Dessa forma as obsessoes sexuais tem um aspecto muito mais profundo e intrincado, que reune a vitima e algoz e muitas vezes sáo espiritos que variam nos papeis de vitima e algoz a muitas encarnaçoes. Enquanto nao ocorrer uma plena higienização no astral da Terra (até os idos de 2036) essas questoes complexas ainda causarão muita dor de cabeça a guardioes, mentores e sobretudo os espiritos envolvidos nesses processos. Abraço

José Alencastro disse...

Acho uma noticia curiosa, pois desde 2004 já mudaram de opinião a respeito da possibilidade de colisão inumeras vezes. Cientificamente falando, as agencias europeias e russa, planejam missoes de estudo do asteroide ja a partir de 2015, isso sem falar no projeto de escudo contra asteroides, então se o asteroide nao representasse qualquer perigo não faria sentido imaginar tal medida. além disso, segundo as mediçoes realizadas em janeiro de 2013 foi detectado que o asteroide é maior do que se imaginava e que passará ainda mais baixo do que se supunha (abaixo dos 36 mil kilometros) em 2029. Sendo assim eu continuo bem tranquilo quanto as profecias que apontam, em unissono, esse asteroide como o divisor de aguas (literalmente) na transição planetaria. Abraço

Blubaglu disse...

Olá José, não é preciso ser astrônomo para saber que 36 mil quilômetros é um pulo em escala celeste, se a Lua muito maior e muito mais longe sofre influência gravitacional da Terra que dirá um cometa a essa distância; só a título de exemplo aos outros leitores, 36000 km é o tamanho da circunferência do nosso planeta.

João Inácio disse...

Oi Zé!

E este desencarne coletivo em Santa Maria, hein?

Abs!