17 de mai de 2013

Mexendo o Caldeirão (Parte I) - Os Banhos de Ervas

Congá com os 14 orixás

Na imagem acima um congá (tradicionalmente feito com a estrela de Davi) com os 14 símbolos dos 14 orixás, os 7 básicos (Oxóssi, Ogum, Xangô, Omulu, Oxum, Iemanjá e Iansã) que se ligam aos 7 raios, formando as 7 linhas da Umbanda e que tem, cada um, um par, os 7 desdobramentos (Obá, Ossan, Nanã, Obaluaê, Oxumaré, Logunedé e Oxalá), formando assim os 14 orixás que atuam através dos 7 raios, que formam as 7 linhas (os 6 pontos da Estrela, mais o ponto central que é o ápice por onde correm os raios ou linhas energéticas do congá).





Fontes de pesquisa:

http://www.minhaumbanda.com.br/blog/?p=5606#more-5606

http://www.fucesp.com/ervas/banho-de-ervas/


Meu canal no Youtube:




Para os médiuns umbandistas, banhos de ervas são fundamentais. Eles servem principalmente para limpar as energias negativas que estão impregnadas no corpo áurico, conseqüentemente, expelem influências de espíritos negativos. Ainda reequilibram e aumentam a capacidade mediúnica facilitando a incorporação e desobstruem os chacras ajudando a equilibrar o corpo físico e emocional. Obviamente que esses benefícios não são restritos a médiuns, mas a qualquer pessoa. Na Umbanda, especificamente, utilizamos ervas e flores em quase todos os rituais, inclusive nas giras e nas oferendas ritualísticas. Já os banhos de ervas são, de maneira geral, utilizados para que haja uma troca energética, é uma importante “ferramenta” natural que nos auxilia e nos proporciona enorme bem. Certamente que o melhor banho é aquele que o Guia ou o Pai/Mãe Espiritual aconselha ou orienta, afinal, é importante ir de acordo com nossas reais necessidades, aquelas que muitas vezes não conhecemos ou entendemos. ei que algumas vezes essas informações não chegam até nós e aí, precisamos buscar um pouco de conhecimento, alguns punhados de bom senso e uma pitada de intuição misturados com muita coerência e fé. Lidar com erva e planta (ou mesmo com banho de erva) é extremamente complexo. Elas, penso eu, são como gente, cada uma tem uma preferência, uma forma específica de melhor viver, florescer, doar, ceder ou se defender.

Elas possuem um jeito especial e particular de “falar” conosco e que, dependendo de nossa energia, também “respondem” de forma especial e particular; isso quer dizer que um banho de ervas, dependendo da energia pessoal de cada um, pode causar reações diferentes entre nós. Portanto, é importante ter boas orientações, ok? Mas vale saber, existem algumas ervas e flores que são harmonizadoras e que não causam malefício algum, portanto, podem ser jogadas da cabeça (coroa) para baixo, inclusive nas crianças. Essas ervas/flores são: camomila, alfazema, rosa branca e sálvia.*

* Comentário José Alencastro: Segundo a minha experiência mediúnica após ter acompanhado entorno de 500 reuniões mediúnicas do Dr. Fritz, somados aos meus próprios estudos pessoais da Umbanda e da Apometria, além da prática apométrica em si há vários anos, eu acredito que todos os banhos, sobretudo os de descarrego DEVEM ser realizados da cabeça até abaixo do corpo, pois é justamente nos chacras coroa, frontal e da nuca que certas formas pensamento e severos processos enfermiços astrais que influenciam patologias psicológicas se instalam, ou melhor, grudam. O próprio autor do texto fala a seguir do banho de mar, que é abundante em sal e que deve ser tomado de cabeça, então não há qualquer sentido de evitar o uso de banhos, inclusive de descarrego, nos chacras superiores. Qual o malefício que poderiam causar, sobretudo o sal grosso? A resposta é simples: em muitos assentamentos energéticos, que são feitos pelos médiuns ou cavalos e que são, em essência, iniciações, são utilizadas certas ervas e plantas e do magnetismo de quem fez o assentamento, sobretudo no coroa e no frontal e para evitar que esse assentamento, magnetização ou axé seja desfeito, é recomendado, sobretudo para os médiuns, não realizar os banhos, sobretudo de descarrego, sobre o coroa e o frontal. 

Vale ainda ressaltar que em muitos casos é TOTALMENTE necessário o banho de descarrego sobre o frontal e o coroa, sobretudo para desfazer iniciações ou assentamentos feitos com sangue animal, pois sem a desmagnetização dessa região na cabeça, o médium ou cavalo ainda permanecerá conectado a pessoa que fez a iniciação e aos espíritos que estejam atuando sobre ele. Tanto a Umbanda como a Apometria não apóiam, sob qualquer aspecto, a utilização de sangue animal ou humano para assentamentos ou iniciações, sendo altamente recomendável quem se submeteu a esse procedimento desfazê-lo o mais rápido possível, pois esse tipo de prática estabelece uma conexão mediúnica com entidades que ainda precisam desse tipo de energia e dela se alimentam, no caso os kiumbas e não os mentores, caboclos ou pretos velhos que jamais aceitam a presença de sangue para qualquer espécie de atividade. Vale ressaltar que no próprio site de onde a maioria das informações desse post foram retiradas e pertencentes a Federação de Umbanda de SP, é dito claramente que a verdadeira Umbanda não apóia qualquer sacrifício animal ou utilização de sangue em seus rituais:

http://www.fucesp.com/historia-da-umanda/o-n%C3%A3o-sacrificio/ 


E para aqueles que conhecem um pouco mais sobre ervas e Orixás, vale muito a pena unir a energia do dia da semana e do Orixá com as ervas, ou seja, aproveitar, por exemplo, terça-feira – dia da semana que é relacionado a Ogum - para tomar banho com ervas de Ogum. Um AXÉ todo especial no banho que se potencializa com nossa louvação e fé.

E seguem mais algumas dicas legais que podem facilitar ou inspirar mais um pouco a prática do Banho de Ervas tão transformadora e benéfica para todos nós. Os banhos de ervas secas devem ser preparados por infusão – ativar as ervas, colocá-las em um recipiente e derramar água fervente sobre elas. Tampar e deixar por 15 min. Coar e tomar o banho após o banho de higiene. Caules, raízes mais grossas e talos duros, como as espadas, devem ser fervidos por um período médio de 30 min. Os banhos de ervas frescas devem ser preparados por maceração – colocar em um recipiente com água as ervas e macerá-las por alguns minutos, podendo aquecer levemente, coar e tomar o banho após o banho de higiene. Os banhos normalmente devem ser preparados com números ímpares – com uma, três, cinco, sete ervas. Potencializamos o Poder energético e natural do banho quando usamos águas naturais – como água de rio, chuva, cachoeira, poço, mar, etc.

BANHO NATURAL – são banhos que realizamos em sítios energéticos onde as energias estão em abundância. Neste caso, não precisamos nos preocupar em não molhar os chacras superiores (coronário e frontal) localizados na cabeça. Aliás é uma ótima chance de naturalmente tratar da “coroa”, claro que se realizados em locais livres da poluição.
Dentre eles podemos destacar:


Banho de mar: Ótimo para descarrego e para energização – importante ser realizado em mar com ondas. A energia salina do mar “queima” as larvas e miasmas astrais.

Banho de cachoeira: Com a mesma função do banho de mar, só que executado em águas doces. A queda d’água provoca um excelente “choque” em nosso corpo, restituindo as energias ao mesmo tempo em que limpamos toda a nossa aura.

Banho solar: É todo banho tomado durante o dia, mesmo que esteja nublado (sem sol). A energia solar vitaliza e energiza, pois o sol fornece o “Prana” que alimenta nossa alma.

Banho lunar: É todo banho tomado à noite, desde que a Lua esteja descoberta (não pode haver nuvens). São os banhos que apresentam um aspecto magnético, frio, úmido e calmante.


Sei que parece estranho falar em ‘banho solar’ e ‘banho lunar’, mas a idéia aqui é se colocar sob o sol ou a lua com serenidade, consciente da intensa energia natural direcionando-a para o chacra coronário. É imaginar uma espécie de funil sobre a cabeça e permitir a entrada do forte magnetismo do sol ou da lua deixando-o percorrer o corpo com naturalidade e espírito de agradecimento. São apenas alguns minutos (15) de concentração leve, de respiração pausada e serenidade interna para se beneficiar dessa imensa energia, para sentir as melhoras internas e externas em todos os sentidos.

Características de algumas ervas

Para banhos e ou defumações com várias finalidades (Fonte: Artigos de Adriano Camargo, publicados no Jornal de Umbanda Sagrada e no blog dele):


Arruda: Ótimo protetor astral, desagrega larvas astrais e energias enfermiças. Quebra as formações energéticas negativas resultantes de acúmulos de pensamentos negativos e de atuações do baixo astral.

Alecrim: Desagrega energias enfermiças, limpa e purifica o ambiente, criando uma “esfera” de proteção; boa contra obsessão; afasta a tristeza.

Alfazema: Ajuda a equilibrar nossas energias, limpa e purifica o ambiente trazendo a paz e harmonia.

Anis-estrelado: Atua melhorando nosso humor; desperta a intuição; torna o ambiente agradável e desagrega energias negativas.

Absinto – Losna: Em banhos,ela desagrega fluidos negativos. Na defumação, afasta influência negativa.

Alho (casca): Desagrega as energias negativas de ordem sexual, protege contra influências negativas e purifica o ambiente.

Artemísia: Quebra as correntes de pensamentos negativos e traz proteção.

Bambu: Contra influências negativas.

Botões de flor de laranjeira: Para o amor.

Camomila: Calmante, contra depressão e ansiedade.

Cana-de-açúcar (palha e bagaço): Dá força e vigor para enfrentar as situações do dia a dia.

Canela: Condensador de fluidos benéficos, destrói miasmas astrais; afrodisíaco; atrai a prosperidade.

Cebola (casca): Desagrega energias negativas de ordem sexual; afasta fluidos indesejados.

Capim limão / Capim Santo: Bom para acalmar e trazer bons fluidos.

Cravo: Afrodisíaco, estimulante, aumenta o magnetismo pessoal e atrai a prosperidade.

Eucalipto: Desagrega as energias negativas e enfermiças, renova nossas energias, equilibra o emocional.

Erva Doce: Acalma e harmoniza o ambiente, desagregando energias enfermiças e nocivas.

Girassol (folhas): Excelente condensador de fluidos positivos; ajuda a aguçar a intuição.

Guiné: Quebra formas-pensamento baixas e ajuda na comunicação com os bons espíritos. Bom contra obsessões de natureza sexual.

Hortelã: Bom para proteção e contra o desânimo.

Ipê amarelo: Para harmonizar ambientes.

Laranja (flor, folhas e casca): Estimula o amor nos tornando mais atraentes; também torna o ambiente mais agradável e “leve”.

Levante: Bom para proteção e abertura de caminhos.

Limão (casca): Queima os fluidos negativos e enfermiços.

Lírio: Bom para nos tornar mais puros, simples e humildes; estimula nosso lado compreensivo e amoroso.

Louro (“a folha do sacerdote”): Excelente para aguçar a intuição e para a prosperidade.

Maçã (folhas, flores e casca): Desperta nossa sensibilidade ao amor e aumenta nosso poder magnético de atrair o que nos agrada.

Malva: Acalma e desperta a sensibilidade.

Manjericão: Ótimo para tirar as energias negativas, trazer vida ao ambiente e às pessoas; aumenta o magnetismo pessoal; atua contra a depressão e ansiedade.

Maracujá (flor): Para fortalecer nossos laços de amizade.

Melissa: Acalma os ânimos e nos torna mais alegres; limpa e sutiliza o corpo astral.

Morango (folhas e fruto): Desperta o prazer em todos os sentidos.

Noz moscada: Aguça a intuição, ajuda na comunicação astral e é boa para a prosperidade.

Poejo: Ótima para proteção e para acalmar os ânimos.

Pitanga (folhas): Prosperidade e proteção.

Patchuli: Bom para o amor, a prosperidade e a intuição, fortalecendo o magnetismo pessoal.

Salsa: Usada para a proteção, afasta a negatividade.

Sálvia: Considerada a erva da saúde, serve para limpeza, proteção e intuição.

Rosa branca: Desperta o amor à espiritualidade.

Rosa vermelha: Desperta a paixão.

Rosa cor-de-rosa: Desperta o amor maternal, filial e fraternal.

Romã (casca e flores): Utilizada para a prosperidade, protege contra as emanações provindas da inveja e do ódio.

Orquídea: Utilizada para a prosperidade, protege contra as emanações provindas da inveja e do ódio.


Observação de Adriano Camargo: Ao trabalhar com as essências das ervas, banhos ou defumação, estamos entrando em um universo vegetal que vai além da matéria. Assim como não somos apenas carne e as divindades não são apenas arquétipos, as plantas também possuem um “espírito vegetal” que as anima e têm seus respectivos gênios e divindades guardiãs responsáveis pela força vegetal*. Portanto, ao trabalhar com ervas, entre em contato com estes espíritos, gênios e guardiões vegetais pedindo sua licença e sua força para realizarmos nossa tarefa. Dentro do conceito de divindades podemos recorrer a Oxóssi como Guardião do reino vegetal e a Ossain como gênio deste reino e da cura pelas ervas.

* Comentário José Alencastro: Essa força ou espírito vegetal é aquilo que Ramatís chama de eterismo vegetal, uma energia etérica que envolve as plantas e ervas, que não está "incorporada" na planta ou na erva, mas que é fruto da vibração de centelhas espirituais em estágio evolutivo anterior ao reino animal e por consequencia tambem anterior ao reino elemental e humano. Essa vibração é o chamado ectofitoplasma (ectoplasma vegetal), da mesma forma que existe o ectoplasma mineral, animal e humano. Um livro excelente sobre esse assunto é "Um Fluido Vital chamado Ectoplasma" de Mathieu Tubino, químico e professor da Unicamp, pela editora Lachâtre




Receitas de Banhos e Defumação


Para depressão e purificar a aura: Salsinha, anis-estrelado e alecrim.

Acabar com os males e desagregar energias negativas: Banho de cerveja.

Prosperidade financeira: Salsinha com noz-moscada

Para ajudar no comércio: Alecrim, abre-caminho, hortelã, levante, girassol, cana, açúcar mascavo. (Fazer banho, defumação e passar no chão do escritório ou loja.)

Para o amor: Anis-estrelado, calêndula, rosa vermelha, patchuli, malva branca e jasmim.

Para atrair a sorte: Milho de galinha, abre-caminho, café e açúcar mascavo.

Purificar o espírito e fortalecer o mental: Levante, alecrim e hortelã.

Para a saúde, ajuda a fortalecer pessoas debilitadas: Banho de leite com levante (feito às terças e quintas feiras).

Para prosperidade: Pó de café, açúcar, louro, manjericão, folha de pitanga, hortelã.

Para descarga forte: Folhas de eucalipto, casca de alho, palha ou bagaço de cana (seco), folha de bambu, folha de pinhão roxo.

Para descarga de energias sexuais densas: Cravo, canela, casca de alho roxo, erva-doce, casca de limão.

Para cansaço ou depressão: sementes de girassol, semente de imburana, anis-estrelado. (Exercícios respiratórios ajudam muito. Deixar no ambiente o preparado com essas ervas, de modo que o vapor fique no ar; respirar com calma, sem pressa e sem esforço.)

Contra a insônia: Pétalas de rosa, erva-sândalo, hortelã e cravo da Índia.

Para afastar a obsessão e alcoolismo: Alho, salsão, arruda, guiné, espada de São Jorge, folha de fumo, folha de mangueira, levante e cipó mil-homens

Para abrir caminhos: Açucena, agrião, angico, aroeira e espada de São Jorge

Para ajudar no desenvolver da espiritualidade: Jasmim, anis-estrelado e alfazema. As ervas acima servem para banhos e defumações. Para defumar, as ervas precisam estar secas.

DEFUMAÇÃO para prosperidade: Noz moscada, cana, incenso (resina), folha de louro, canela em pó, arroz com casca e alfazema

DEFUMAÇÃO para descarrego de energias pesadas: Manjericão, alecrim, mirra (resina), alfazema e arruda.

Obs.: O incenso e a mirra são resinas e servem apenas para defumação. NÃO se usa resina para banhos.)



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:



22 comentários:

João Inácio disse...

Ah, post muito interessante e assunto inesgotável.

Então, vamos às questões:

Bem, uma coisa é colhermos o manjericão do nosso jardim e outra é comprá-lo, certo? Na impossibilidade de nós mesmos colhermos, no caso de compra de ervas podemos comprar aquelas de supermercado?

Com esse frio todo que vem fazendo no Rio Grande do Sul é um risco tomar o banho e "esperar" alguma evaporação antes de vestir a roupa. Podemos nos secar "de leve" ou isto vai retirar o benefício do banho. Como proceder?

Banho de cerveja, leite, etc (é puro ou misturado à água) e como ficam as questões "odores" (casca de cebola fica com cheiro de cebola...) e substâncias "grudentas" (açúcares, cerveja, etc)?

Algumas ervas e flores têm nomes populares idênticos, mas são coisas diferentes, com nomes científicos diferentes, sendo plantas distintas. O que chamamos de alfazema ou lavanda aqui no Sul é a Lavandula dentata ou augustifolia. No Norte, Nordeste, lavanda pode ser uma coisa completamente diferente: lípia alba (tb conhecida por erva-cidreira, sálvia do Brasil, etc, etc, etc. Por exemplo, pode ser qualquer lírio (há tantos tipos?). Tem a malva-verdadeira (Malva silvestris), usada para dores de garganta e infecções bucais e tem a as dezenas de Malva de cheiro ( Pelargonium cucullatum, gerainium mole, etc, etc), que nada mais são do que gerânios muito cheirosos e comestíveis. Dá uma olhada neste links:

http://come-se.blogspot.com.br/2008/08/gernios-perfumados.html

http://www.vidafloral.com.br/blog/2010/ervas-cidreiras-voce-sabe-a-diferenca-artigo-da-revista-bons-fluidos/


Todos servem?

Abs!

José Alencastro disse...

Então João, existem algumas casas especializadas em ervas e até mesmo no mercado público, acredito que sejam opções boas e em alguns casos é possível comprar com alguma qualidade no supermercado.

O ideal nessa friaca que atinge o sul é primeiro esquentar o banheiro, com um aquecedor por uns 10 minutos, realizar o banho normal de limpeza, em seguida o banho com ervas e aguardar alguns minutos para novamente tomar um banho com agua, pois o importante é que o ectoplasma vegetal das ervas seja absorvido pela aura e em parte pelo pelo físico, sendo assim tomar um banho de agua minutos depois de se banhar com ervas não irá retirar os efeitos do banho.

Quanto aos nomes das ervas: a fonte é de SP, ou seja, é importante guiar-se pelo nome popular utilizado em Sp e na dúvida, sempre utilizar o tipo mais comum, não precisa usar a orquidea mais rara pro banho, pode ser a mais comum, pois o principio basico do ectoplasma existe em tdas as orquideas. Abraço

João Inácio disse...

Oi Zé!

Não tem nada a ver com o post, nem com o anterior. Mas TUDO a ver o antepenúltimo post e a longa discussão que se seguiu. Por isso, além de fornecer o link, creio que é importante colocá-lo na íntegra, para que todos leiam e REFLITAM muito. Com os devidos créditos. Publicado pelo médico JJ Camargo na edição eletrônica de ZH de hj (18.05.2013, às 6h03min). Eis o link:

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/vida/noticia/2013/05/j-j-camargo-a-nossa-essencia-4141411.html

E para quem tem preguicinha de ir até lá, na íntegra:

J.J.Camargo: A nossa essência
Os brasileiros precisam de um choque de humanidade para este gigante ser, de fato, uma nação

Claro que existem pessoas boas e más em todos os lugares, e não é com exemplos desgarrados que se constrói a identidade de um país. O que somos como nação depende do coletivo, e este se constrói com educação, responsabilidade, ética, noção de dever precedendo o direito, respeito aos outros, solidariedade e alguma sorte na base genética.
Já tinha me comovido com a atitude solidária dos japoneses durante a catástrofe do tsunami, e com o quanto aquilo contrastava com o desespero das vítimas das enchentes em Teresópolis, que relutavam em abandonar suas casas pela certeza de que seriam saqueadas.
O relato que circula na internet deste estudante da USP, estagiando no Japão, expõe o nosso egoísmo como uma chaga, mas pelo menos serviu para acender um farol de inquietude no coração daquele jovem. Acho que precisamos desse tipo de choque, um choque de humanidade! Afinal, do que somos feitos?
"Ontem (domingo) fiquei o dia todo fora. E como só voltei para casa tarde da noite, não cheguei a ver nenhuma notícia sobre o Brasil. Só meu amigo Léo que me avisou rapidamente pelo WhatsApp, no domingo à noite, que um incêndio em uma boate no Sul matou um monte de jovens.
Hoje de manhã cheguei para trabalhar, e muitos japoneses que trabalham aqui na ONU estavam enfileirados, lado a lado, na porta do escritório, com uma expressão grave em seus rostos. Todos se curvaram respeitosamente para mim e, um a um, expressaram seu 'profundo pesar diante da tragédia que atingiu o seu povo, Zaccarô-san...'
Meu povo? '... Sim, seu povo, Zaccarô-san...'
Muitos funcionários japoneses, desde altas autoridades até a velhinha da limpeza, expressaram suas condolências nos corredores, quando nos encontramos, pelo mesmo motivo, e nos mesmos termos.
E eu sou um zé ninguém aqui. Sou somente mais um no meio de tantos outros. Fui o último a chegar...
E confesso que nem tinha me sentido atingido pela tragédia. Obviamente fiquei muito triste com o ocorrido e senti pena dos envolvidos, mas não tinha me sentido atingido PESSOALMENTE, e talvez muitos aqui também não. Não é nossa família, e não são nossos amigos ou conhecidos...
Também somos jovens, e também frequentamos boates e barzinhos, e de repente você pensa que poderia ser com você também, naquele lugar que todos costumamos ir...
Mas os japoneses falaram como se os envolvidos fossem parte da minha própria família.
'... Seu povo, sim, Zaccarô-san...'
Isso disparou uma série de reflexões em minha cabeça sobre fraternidade real, senso de coletividade, identidade cultural e nacional, nacionalismo, e por aí vai.
Não consigo mais parar de pensar nisso tudo!
Nem preciso dizer o quanto isso me emocionou. E até agora, ao escrever isso aqui, eu não sei direito o que pensar sobre nós (os brasileiros) e nossas posturas diante de nós mesmos e dos outros brasileiros, como povo de um mesmo país.
Gostaria que os pais daqueles jovens pudessem receber e sentir o que os japoneses falaram por aqui. Isso foi para eles, não para mim... Ou foi para mim, e eu, até então, não tinha percebido nada disso?
E talvez tenha sido para você também. Para nós."
Pois é, meu jovem, quem sabe um dia o gigante do berço esplêndido desperte para ser, de fato, uma NAÇÃO.

E uma dessas de deixar a gente orgulhosa. Aí sim, imagina a festa!

Paulo Gomes disse...

Alencastro, uma vez me orientaram a fazer um banho com caroço de mamão batido no liquidificador com alecrim. Disseram que era para limpeza. Realmente me senti bem leve após, mas dava uma sensação de ardência. Você sabe alguma coisa sobre o caroço de mamão?

Tenho outra dúvida. A estrela de 6 pontas não é a estrela de Salomão e a de 5 pontas a de Davi? Disseram-me que a estrela de Salomão significa sabedoria espiritual.

José Alencastro disse...

Olá Paulo . a estrela de davi e o selo de salomao (estrela) são ambas de 6 pontas, com 5 pontas é o pentagrama e o pentagrama invertido

Vc pode ter tido uma reação alergica ao caroço

pi Decarlu disse...

José , tenho uma dúvida cuja resposta ainda não consegui encontrar e talvez você possa saber.Frequento um centro de umbanda há mais ou menos 3 meses e interessei-me por ela, pois simpatizei com seus princípios.Quando li sobre Orixás como São Jorge , Iemanjá ,etc, ficou muito vago para mim.Sei que Orixás são representações da mãe natureza e suas representações(são jorge em cima do cavalo ,etc) existem, pois necessitamos, em nossa cultura, de imagens com aparências humanas para facilitar a assimilação.O que quero saber é em que posição os Orixás se encaixam na hierarquia do Universo.São Devas ?São espíritos que chegaram à um nível evolutivo de anjos ?Infelizmente muitos médiuns não procuram pesquisar as minúncias do que seguem e acho isso errado , pois creio que devemos saber, do jeito mais esmiuçado possível, para oque estamos nos curvando.Abraço.

José Alencastro disse...

Então DeCarlu, não existe um consenso na Umbanda sobre o que são os orixás, apenas se sabe que não são espíritos e que ao mesmo tempo são forças da natureza. Ramatis, atraves do medium Norberto Peixoto esclarece mais sobre esse tema. Basicamente os orixás são manifestações energéticas. Imagine milhares de entidades espirituais (espiritos) de grande evolução congregando o seu pensamento em um mesmo foco, um mesmo centro e que desse centro/ foco fosse criada uma especie de portal ou rota energética para a energia (fluido universal) que vem do Criador. Os orixás são esses portais ou rotas por onde flui a energia do Criador sobre o planeta, rotas e portais esses comandados por entidades arcangelicas e angelicas nos diversos planos evolutivos que envolvem o planeta, desde as dimensões mais sutis até as mais densas. Quando uma entidade espiritual aparece na forma arquetipica do orixá, não é o orixá que aparece ou incorpora, mas o espírito que atua naquela linha (as famosas 7 linhas da umbanda) e que se manifesta com a roupagem tipica daquele orixa determinado, para que os mediuns ou cavalos saibam que é um espirito ligado a determinado orixá. Abraço

Alexandre T disse...

José, em relação aos incensos vendidos no comércio, vc sabe qual seria melhor para limpeza e proteção da casa ??? Não exatamente a marca mas se o de Sálvia, o de Alecrim, Arruda... ou uma combinação ??? Colocar sal grosso nos cantos da casa também é bom ??? O que seria melhor ??? Um abraço.

José Alencastro disse...

Então Alexandre, eu falarei um pouco mais sobre isso na segunda parte desse texto, mas posso te adiantar o seguinte: Se voce prefere utilizar o incenso, pela sua praticidade, compre os incensos dos produtos que seriam utilizados na defumação (por exemplo, incenso de alfazema, mirra, arruda etc) e utilize todos juntos como se fosse fazer uma defumação com as ervas e plantas "originais"

A defumação age como uma verdadeira bomba no mundo astral, se pra nos encarnados o cheiro ja parece forte, para os desencarnados, mesmo os obsessores mais tenazes, essa fumaça ativa pequenas exploses e queima miasmas, sobretudo a defumação de descarrego e apos termina, suas particulas astrais ainda agem como uma camada energética, que devido ao forte cheiro no astral afasta as entidades negativas.

Atente para a diferença entre acender um incenso para dar um "cheiro" na casa e fazer uma defumação, pois muitas vezes o cheiro da defumação é forte até para os moradores da casa. O ideal é acender esses incensos ou fazer a defumação e deixar por uma hora a fumaça agindo.

Sobre o sal grosso eu falarei especificamente no segundo texto como utiliza-lo para a limpeza e outras coisas que podem ser utilizadas como proteção.

Abraço

Veruska disse...

Muito legal esse assunto! Aqui em casa não falta sal grosso e aqueles defumadores em tablete. O cheiro é forte mesmo mas a sensação é de ambiente mais leve. E o banho de mar é revigorante, sem dúvida!

Wendson disse...

Olá José
Eu tenho uma dúvida sobre a relação(ou influência)desses banhos para quem quer se desdobrar de forma consciente.
No texto você dá dicas de plantas para purificar a aura, descarregar as energias negativas e coisas do tipo.
E me parece o equilíbrio energético-emocional é fundamental para o sucesso do desdobramento.
Alcançando, de certa forma, ao menos um equilíbrio energético temporário,através dos banhos, pode haver um favorecimento a projeção?
Em afirmativo, que plantas/ervas seriam capazes de facilitar o desdobramento consciente?

forceback disse...

Não entendi as receitas de prosperidade financeira e para ajudar no comércio. Poderia explicar melhor como isso funciona, José?

José Alencastro disse...

Ajuda sim Wendson, inclusive os médiuns da Umbanda fazem a utilização constante desses banhos. Existem diversas técnicas que tambem ajudam, como por exemplo a do sono R.E.M, técnicas de visualização e treino (muito ensinadas em algumas ordens iniciaticas), prática do E.V. Outra coisa que é utilizada na Umbanda é o chamado assentamento de cabeça, quando determinadas ervas e plantas magnetizadas (por diversos processos, o mais comum deles é enterrar aquelas ervas e plantas em dias especificos ligados a fase lunar) são utilizadas sobre o frontal e o coroa para dessa forma potencializar energeticamente esses chacras.

José Alencastro disse...

Sobre a questão da prosperidade e seus banhos e defumações: no mundo astral existem diversas simbologias, são como sinais que ligam determinados grupos de espiritos a determinadas egregoras. Existem enormes egregoras, como por exemplo as atreladas ao orixás. Quando alguém utiliza determinados elementos, automaticamente cria uma ligação com essa egregora e com as entidades espirituais a ela ligada, permitindo que monitorem e ajudem em determinada situação, seja um problema karmico, um trabalho de magia negra que foi feito ou questoes de outra ordem que estejam impedindo a prosperidade. Quando alguem joga pipoca com coco ralado em um lugar, não é aquela combinação de alimentos que vai atrair sorte ou ajudar no comércio, mas as entidades ligadas ao orixá Omulu que atuam desfazendo magia negra (infelizmente tão comum na briga entre comercios). Portanto, não é apenas a substancia emanada da erva ou planta que ajuda em determinadas situações internas da pessoa, mas tambem sua simbologia, que está ligada a egregoras externas que atuam desembaraçando outras questões mais complexas.

Alexandre T disse...

Muito obrigado, José, pela resposta ao meu comentário no dia 21! Ficarei aguardando sua continuação desse texto, muito bom.

Erika Ka disse...

Olá

José mais uma, por favor.

Tem algo que possamos fazer para ter digamos o corpo fechado ? nao deixarmos os vampiros sugarem nossas energias nem obsessores encostarem em nosso corpo ? ou para uma magia nao pegar em nós ?

grata

abs

saúde

José Alencastro disse...

Um excelente livro sobre o tema é Magia de Redenção de Ramatis. Acredito que se você ler e refletir sobre as informações ali contidas terá muitas respostas para essa pergunta Erika.

Abraço

disse...

Olá José,desculpe-me a leiguice foi passado para tomar um banho de defesa com 7 ervas de alecrim 7 de Arruda e 7 de Guiné após o banho me senti leve e sonolenta,gostaria de saber exatamente para q serve o banho e o pq da sensação q tive após o banho,agradeço desde já.

Maria Quintino disse...

Amei os banho muito eficaz obrigada

Rafael Dias disse...

Ola,gostei muito da materia! Muito interessante amigo! minha duvida seria para banho de ervas que estimula a vida sexual! No caso seria a casca de cebola mesmo? Abraço

Helida Senna disse...

Alguém sabe o que é e pra q é erva banjo?

Rosamorena disse...

Acho que o de casca de laranja atrai amor e ativa sexualidade te deixando mais atraente...