29 de mar de 2017

Como Detectar a Formação de um Possível Tsunami - O "Big One" de Portugal


Tsunami zona subducção


Nas últimas 24 horas tivemos 3 abalos na região da placa de Cocos: 5.3 no sul do Panamá, 5.0 na Nicarágua e 5.7 ao sul do México bem próximo da região de fronteira da placa.  Ainda que a visita do papa nas Américas seja apenas em setembro e essa seja a provável data de um grande evento na região como nos relata as profecias de Parravicini vamos acompanhando nos próximos dias, pois há mais de 500 dias o planeta não apresenta um grande sismo (igual ou superior a 8 na escala Richter) .

Nas últimas horas também aconteceu um sismo de 6.6 na Rússia e um alerta de tsunami foi emitido e logo em seguida retirado.  Vamos então compreender nesse texto como detectar se um terremoto pode gerar um tsunami. O conhecimento que passarei nas próximas linhas vai ajudar a entender se um terremoto pode originar uma tsunami ou não.

Primeiro de tudo: a chance de um sismo no mar gerar um tsunami ocorre predominantemente em áreas de subducção, ou seja, encontro de placas que ao se movimentaram se chocam uma com a outra.  As outras duas maneiras de tsunamis serem geradas a partir do mar são apenas duas: queda de asteróides ou queda de intenso volume de pedra e detritos por conta de desmoronamento de montanhas ou cadeias vulcânicas (como no evento do Krakatoa ou do tsunami na ilha de Santorini).

Três são os itens avaliados para considerar se um sismo pode gerar um tsunami (além de obviamente ter ocorrido em uma zona de subducção): intensidade na escala Richter, profundidade e distância que ocorreu da costa continental.

Um sismo de 9,0 graus na Escala Richter, por exemplo, se ocorrer a 100 km ou mais de profundidade e a 100 km da costa de um país será muito menos letal, por exemplo, do que um sismo de 7.5 graus na Escala Richter que ocorra a 15 km de profundidade e apenas 10 km da costa, pois a liberação de energia nesse segundo caso mesmo sendo bem inferior ao primeiro caso ocorrerá muito mais próxima da superfície podendo gerar, inclusive ondas maiores e por estar mais perto da costa a chance dessas ondas chegaram ainda altas na entrada do continente são mais altas.  

Quando temos a combinação letal de muita potência (acima de 8 graus na Escala Richter), baixa profundidade (menos de 20 km) e proximidade da costa (menos de 20 km) temos um sismo capaz de produzir ondas que adentram o continente com 40 a 30 metros de altura indo de 20 a 30 km por terra no interior do continente como aconteceu no sismo de Lisboa de 1755 (que inclusive gerou uma pequena onda que adentrou a costa do Nordeste) e no recente sismo de Sumatra a pouco mais de uma década.

Pelos eventos que vem sendo acompanhados nos últimos anos, sobretudo nos últimos 100 anos nos quais o estudo da sismologia tem avançado bastante com uma quantidade de informações cada vez maior já é possível estipular certos parâmetros para analisar se um terremoto pode produzir um tsunami ou não.

Tsunami e vulcanismo

Terremotos para gerar tsunami precisam ter pelo menos 7 graus na escala Richter de potência (ou ainda algo muito próximo disso, como 6.8, 6.9), profundidade igual ou menor a 20 km e distância da costa igual ou inferior a 20 km. Esse seria um evento que poderia formar ondas de um metro no máximo e que adentrariam alguns metros a costa.


Ou seja, quando um centro de sismologia emite um alerta de possível tsunami, como aconteceu há menos de um dia na Rússia por conta de um sismo de 6.6 na escala Richter,  23 km de profundidade   mas com epicentro praticamente na zona costeira (ver link abaixo) ele está querendo dizer que há um pequena chance de uma tsunami com ondas com menos de um metro, pois dois dos parâmetros ficaram muito próximos do mínimo (6.6 de potencia perto de 7.0 e 23km de profundidade perto dos 20 km de mínimo) e um ficou dentro do parâmetro estipulado (menos de 20 km de distância da costa, dentro das imediações da região costeira)


E com base nesses parâmetros (baseado na observação de centenas de eventos nas últimas décadas) que é possível prever se poderá ser produzida uma tsunami e qual será o seu poder de destruição.

Da mesma forma os sismologistas analisam o acúmulo e liberação de energias das placas e pelo seu histórico podem estipular quando acontecerá a vinda de um grande sismo ou "big one" (na casa dos 9 graus). Filmes como "San Andreas" ou o norueguês "A onda" explicam essas questões. Assim como os japoneses e americanos esperam para os próximos anos o "seu" "big one", vários sismologistas de Portugal já alertam que é possível nos próximos anos um "big one" em especial na região de Algarve, Lisboa e Vale do Tejo em decorrência da forte liberação de energia a cada 200-250 anos que a região produz (sismos de 1521 e 1755) a semelhança do que aconteceu recentemente na região do Nepal (que a cada 90-100 anos produz um grande sismo, tempo semelhante ao que demora para a placa de cocos produzir um grande sismo, sendo que o último na sua região de fronteira aconteceu em 1906 com um sismo de 8.8 na fronteira do Equador com a Colômbia). Uma interessante entrevista sobre o tema pode ajudar aos amigos de Portugal compreender melhor essa questão:


E o Brasil?

O Brasil só pode ser atingido por um tsunami em três situações. Queda de asteróide no Atlântico é a primeira delas. A segunda opção é um desabamento do Cumbre Vieja e por fim a terceira opção seria um intenso abalo na costa litorânea de Portugal ou de Cuba, as duas únicas áreas de subducção que poderiam gerar um tsunami. No primeiro caso (evento em Portugal) teríamos pequenos impactos (ondas de um a dois metros no máximo avançando até 1 km continente adentro) em Fortaleza e nas regiões litorâneas do Maranhão e do Rio Grande do Norte, no segundo caso (Cuba) as regiões mais afetadas seriam os litorais do Pará, Maranhão, cidade de Fortaleza e Rio Grande do Norte. No primeiro caso (Portugal) haveria entorno de 4 a 5 horas para uma evacuação a partir da onda inicial, no caso de Cuba esse tempo cairia para 1 hora, 1 hora e meia, devido a maior proximidade do ponto de origem da onda.      

Para conhecer as profecias cumpridas que foram feitas aqui no blog/ fanpage e também para saber como adquirir os livros (tanto impressos como no formato digital):



16 de mar de 2017

Atentados na França – Profecia Cumprida com Dia Exato Trazida pelos Guardiões


Guardião Jeremias




Como expliquei em um texto anterior o trabalho dos guardiões a nível mundial com os médiuns que trabalham junto a eles é o de esclarecer sobre missões programadas, o cronograma da Transição Planetária e eventos que estão para acontecer em pouco tempo. Foi a partir desse trabalho que em 2014, no livro "Brasil o Lírio das Américas" foi trazida a informação que o governo vermelho cairia no Brasil e que os governos populistas na América do Sul também teriam sua queda, até final de 2017, exatamente o que ocorreu.  Sendo assim, é o fornecimento de informações sobre eventos que ocorrerão a curto e médio prazo que testificam o trabalho junto a esses guardiões por parte dos médiuns que realmente com eles trabalham como expliquei nesse texto:


Pois bem, no dia 24 de janeiro publiquei no blog (deixarei o link em seguida) o relato de uma experiência projetiva ocorrida dias antes na semana anterior que informava que em um período de 50 a 60 dias estava sendo arquitetado pelas milícias umbralinas um plano para criar um evento de forte impacto emocional, perpetrado ou por terroristas ou por "lobos solitários" para estimular ódios e radicalismos em solo francês e que o prazo diminuto se dava por conta da proximidade das eleições na França e que o objetivo principal das sombras era facilitar a eleição da candidata da extrema direita (Le Pen) e que o plano principal ou original seria tomar um ônibus e matar várias pessoas dentro desse prazo, mas que os guardiões estavam atuando exatamente para evitar esse cenário pior, ainda que fosse muito difícil evitar que um evento de forte impacto emocional ocorresse.

Hoje 16 de março (51 dias após o relato da projeção ocorrida poucos dias antes) aconteceram dois ataques das trevas em conjunto na França: uma carta bomba na sede do FMI na França e um jovem (lobo solitário) armado invadindo uma escola cumprindo o que foi alertado pelo guardião Jeremias e pela equipe de guardiões que conseguiram conter algo mais grave (o plano original das trevas)






Previsões França

Eis o relato do dia 24 de janeiro:

"Na experiência projetiva acontecida na semana passada, eu estava projetado junto a um pequeno grupo de 3 ou 4 guardiões “a paisana” (plasmados com uma forma perispiritual bem comum, roupas comuns, altura normal, diferentemente do porte mais avantajado que os guardiões costumam se apresentar que é bem robusto e alto). Dentro do grupo estava Jeremias na forma de um homem negro, com não mais que 1.70 de altura.

Estávamos em uma rua estreita nas imediações de Paris segundo ele explicou durante aquela projeção que ocorreu enquanto eu descansava no final de tarde, coincidindo com o início do anoitecer na capital francesa. Como se tratava de missão de espionagem os guardiões buscavam uma aparência bem semelhante aos demais desencarnados ou encarnados em projeção inconsciente no plano astral, diferentemente de missões de combate, quando a aparência alta e robusta dos guardiões com suas armaduras têm o nítido propósito de causar temor aos adversários milicianos.

Jeremias apontou para um ônibus que percorria uma daquelas ruas e informou que o plano do próximo atentado, organizado por milícias umbralinas e levado a cabo por terroristas, seja de grupos extremistas ou “lobos solitários” seria a tomada de um daqueles ônibus, inclusive utilizando-se de linhas turísticas para atropelar e metralhar, segundo palavras dele, o maior número possível de pessoas em um ataque surpresa.

Ele informou que os guardiões estavam trabalhando intensamente para evitar esse tipo de atentado, planejado pelas milícias umbralinas para ocorrer em até 50-60 dias, mas que a situação estava difícil, pois havia um número significativo de terroristas em potencial, “lobos solitários” em solo francês e belga que já estavam em profundo processo de simbiose com obsessores milicianos e em função disso seria difícil impedirem uma nova investida, da mesma forma que ocorreu em atentados anteriores envolvendo caminhões

Jeremias também explicou que o prazo diminuto para esse ataque tinha um motivo: as trevas estavam interessadas em criar um evento de forte impacto emocional estimulando ódios e radicalismos, próximo ao pleito francês em abril, para que assim você viabilizada a vitória da extrema direita na França:

– Quando existe um movimento coletivo em determinada direção o grau de influência ou intervenção dos guardiões torna-se mais limitado – explicou o guardião de forma preocupada – sobretudo em situações que há, claramente, uma motivação para que a pessoa utilize seu livre arbítrio, seja para votar em um político, seja para resistir ou sucumbir à um processo obsessivo. São escolhas que refletem os tipos de karma que a pessoa ou a coletividade vai gerar para si até o momento do resgate, momento este definido pelas instâncias superiores e que nesses momentos especiais podem agir de forma mais abrangente, atenuando ou mudando algum caminho que não condiga com o resgate ou uma missão maior direcionada à determinado local, exatamente como aconteceu recentemente com o processo de queda do populismo na América do Sul e Brasil, uma clara interferência divina, mas que só foi possível a partir do momento que ampla maioria da coletividade aceitou também lutar por esse novo caminho – refletiu o guardião de forma elucidativa.

Refleti por alguns momentos sobre aquelas palavras pensando como era delicado o equilíbrio entre o planejamento das esferas superiores e ao mesmo tempo as escolhas e os karmas que a coletividade gerava, o que muitas vezes limitava a atuação dos guardiões, ainda que o mundo espiritual tivesse grande influência sobre os encarnados e o poder de interferir mais diretamente nos resgates kármicos."

O texto completo narrando essa informação certeira trazida pelos guardiões e uma outra informação relevante relativa à próxima Copa do Mundo pode ser lido aqui:


Para saber como adquirir os livros no formato pdf:


É dessa forma que os guardiões a nível mundial trabalham.

Só há um cronograma até 2036

Não há outras datas como 2019 ou 2080 para auge dos eventos da Transição Planetária

Esse é o trabalho
 
Para ver outras profecias cumpridas aqui do blog e saber como adquirir os livros impressos: