24 de set de 2010

Os Dragões e Magos Negros (parte II)


Antes de ler esse texto, leia a primeira parte aqui:  AQUI

Atualmente a Terra passa por processo semelhante ao exílio planetário que ocorreu em Capela. A Terra deixará de ser mundo expiatório e passará a ser um mundo regenerado, onde apenas poderão reencarnar espíritos com um mínimo de desejo sincero pela reforma moral e pela fraternidade e paz entre os povos. Todo esse processo será descrito em outros textos, sobretudo na questão do ápice das transformações , que ocorrerão com conflitos entre nações e mudanças por desastres naturais, que auxiliarão no afastamento dos futuros exilados e impulsionarão os eleitos a se unirem pela reconstrução dos escombros do planeta.

Ainda sobre os magos negros e Dragões, o livro do Robson Pinheiro ("Senhores da Escuridão") expõe claramente, através dos relatos do Dragão, que na verdade os primeiros magos negros não foram os capelinos, mas sim os espíritos de Erg que tiveram seu mundo explodido e desejavam vingança contra os Dragões , responsáveis pela destruição de Erg.

Ambos os grupos de rebeldes vieram muito antes do que os capelinos, estes últimos também ficaram conhecidos (alguns) como magos negros, porém não  são os “originais”.

O que é dito pelo Dragão não menciona o conflito em especifico na Atlântida, mas basicamente o que ocorreu na guerra entre os povos atlantes que culminou no último afundamento da Atlântida, segundo o relato do Dragão, foi que os magos negros “originais”(os espíritos vindos de Erg que desejavam vingança) aceitaram, ao contrário dos Dragões reencarnar no planeta e começaram a agir diretamente no século final da Atlântida, quando o sistema social entrou em colapso, há aproximadamente 12 mil anos.

Os Dragões, que não aceitavam reencarnar, se aliaram então aos capelinos, dentre os quais haviam também alguns magos negros, sem que entretanto tivessem o mesmo poder dos magos negros “originais” de Erg, que tinham ascendência direta sobre a raça vermelha e seu principal mago negro: Atlas, que futuramente viria a reencarnar como Moisés, para iniciar sua regeneração espiritual e tornar-se um guardião.

Após o conflito no plano físico, que resultou no afundamento da Atlântida, tanto os magos negros “originais” de Erg como os magos negros capelinos continuaram atuando nas zonas astrais, enquanto que os Dragões, por não aceitarem a reencarnação, e por não terem mais a possibilidade de continuar nas zonas umbralinas mais próximas a superfície devido aos graves problemas na sua retina perispiritual e crescente diluição da estrutura atômica do seu corpo astral, tiveram que ir para as zonas mais inferiores, conseguindo atuar nas zonas astrais próximas a superfície onde estavam os magos apenas por irradiação mental, já que o centro da sua consciência estava exilados às zonas abissais.

Longe disto ter sido uma vitória dos magos negros “originais”, pois estes sabiam que só triunfaram nas zonas umbralinas próximas a superfície pela desistência dos Dragões em reencarnar. E além disso os magos negros originários de Capela também estavam nessas zonas umbralinas mais superficiais , sendo que os “originais” de Erg sabiam que o conhecimento dos Dragões era mais amplo que o conhecimento deles (os magos negros vindo de Erg) e que esse conhecimento poderia ser decisivo para ajudar os magos negros capelinos a sobrepujar a autoridade dos magos negros de Erg no astral umbralino.


Como o desejo de ambos os magos negros (tanto de Capela como Erg) era somente poder e controle, os magos negros de Erg (os “originais”) buscaram uma aliança com os Dragões, sabendo que estes estavam exilados em zonas abissais, para que tivessem posse de um conhecimento mais amplo, que eles magos não tinham. Para os Dragões interessava e interessa essa aliança , não pela simples questão de poder e controle, pois seu real desejo é abandonar a Terra, com o intuito de retornar ao seu mundo de origem (que sequer está no nosso sistema solar).

Para isso, eles sabem que atualmente só existe um caminho: realizar o mesmo que fizeram em Erg, só que na Terra. Para tanto, os Dragões se utilizam dos magos negros como emissários de suas técnicas milenares, visando expandir a descrença, o medo, o materialismo, a depressão em toda a raça humana. A diferença básica entre magos negros e Dragões é que os magos buscam o poder e controle através das sensações que a Terra pode proporcionar, que a matriz corporal da Terra proporciona. Isso, os Dragões já abandonaram a muito tempo, pois nem corpo astral possuem mais, seu desejo de poder e dominação é mais amplo e não está em permanecer e controlar a Terra, mas sim destruí-la como forma de libertação.

Não é a toa que varias religiões e canalizações espiritualistas relatam o “fim do mundo” como a destruição física, pois são religiosos e médiuns que acabam sendo diretamente influenciados pela ação coercitiva e sutil dos magos negros que exploram habilmente os medos mais profundos das pessoas e transmitem a vontade dos Dragões: que o planeta Terra seja simplesmente extinto.


A necessidade do exílio planetário está justamente em isolar essas duas categorias de seres, juntamente com os espíritos que não demonstram o menor desejo de buscar uma modificação moral. Dois terços aproximadamente dos espíritos que vivem na aura terrestre entre os dois planos não tem o mínimo desejo de modificação. Um terço mostra algum interesse e esforço sincero nessa mudança e são esses que irão permanecer reencarnando na Terra, só que sem mais a ação dos espíritos milenares e os dois terços que se deixaram levar por eles, o que irá possibilitar com essa mudança uma ruptura total com os paradigmas que vivemos atualmente, tanto sobre o entendimento sobre o que é o Estado, o que é a propriedade e o que é a globalização, mudando toda a estrutura da sociedade e economia e sobretudo das religiões.

16 comentários:

Esperança disse...

José,

Adorei seu Blog!!! Um dia uma amiga me indicou um livro que falava de dragões, faz muito tempo acho que tem tudo haver com texto abordado por ti. Você poderia me indicar o livro com o respectivo autor? Ja virei sua seguidora tá? Caso seja possivel va conhecer meu Bloguito, vou ficar muito contente.

WWW.hospitalespiritualdomundo.blogspot.com

José Alencastro disse...

Visitei o seu blog e vou aproveitar para ler alguns textos de lá, fico feliz que tenha gostado do blog. A trilogia do Robson Pinheiro aborda bem esse tema, os 3 livros sao: Legiao, Senhores da Escuridao e A Marca da Besta.

jannalove disse...

OLÁ GOSTO MUITO DE SEU BLOG,EU ESTUDO EXILADOS DE CAPELA,LI,
A TERRA DAS ARARAS VERMELHAS,VOU LER "ERG - O DECIMO PLANETA" DE ROGER FERAUDY. EDITORA DO CONHECIMENTO.

José Alencastro disse...

Legal Janna, ja que voce se propos a ler esses livros te aconselho a leitura tambem de "Baratzil" do Roger Feraudy, ele forma uma especie de trilogia com "Erg" e "Terra das Araras Vermelhas". Da mesma forma existem dois livros do Edgard Armond que complementam "Exilados de Capela", esses livros sao "Almas afins" e "Na cortina do tempo". Um lugar bom de encontrar esses livros com bom preço é no site da estantevirtual.

B disse...

Amigo, com relação ao tema "Magos Negros e Dragões", além das obras de Robson Pinheiro e as de Feraudy, quais são suas principais fontes ? Por favor me responda, estou estudando esse tema interessantíssimo e saber nunca é demais :).

José Alencastro disse...

B, dos livros que tenho visto ultimamente, somente desses dois escritores/mediuns vale a pena ler sobre o tema dragoes e magos negros, os demais livros relativos ao tema trazem erros substanciais, sobretudo na questao dos dragoes. Tenho colocado alguma coisa no blog baseado nos meus estudos pessoais sobre o tema somados ao estudo dessas obras, mas infelizmente as informaçoes ainda sao muito poucas, existe muita ilusao e fantasia por parte da maioria dos mediuns q tratam o tema, alguns crendo que estiveram em batalhas no astral contra centenas de magos negros ou varios dragoes ou aqueles que ainda confundem dragoes com pobres obsessores .

Unknown disse...

Olá José,

Gosto muito do seu blog, que tem me trazido muito esclarecimento. Gostaria apenas de acrescentar que dos livros de Roger Feraudy, além de "Baratzil", "Erg" e "Terra das Araras Vermelhas", existem também "Terra dos Ay-Mohrés" e "Haiawatha" que fazem parte desse contexto "saga dos atlantes".
Grande abraço.
Rogerio Giusto.

forceback disse...

Tem uma coisa que eu não entendo, José. Se a Terra esta sendo poupada de uma auto destruição nestes fins de tempo, com a interferencia divina, como pode Ele ter permitido uma civilização (Dragões) destruir seu planeta vizinho (Erg)? E pelo que pude perceber nas minhas leituras, quando o ser humano chega num certo momento de avanço intelectual, caso não haja o avanço moral de modo "satisfatório", existe sempre alguma interferencia do alto para que não ocorra algo trágico. Me parece que o próprio avanço sem moral é um tiro pela culatra, que sempre leva a autodestruição, veja nós com a provável 3ª Guerra mundial. O que voce pensa a respeito disso, José?

Abraço.

José Alencastro disse...

Essa uma questão interessante que eu queria ter comentado antes, mas são tantos assuntos que surgem que volta e meia algum fica em “banho maria”. A primeira questão que precisa ser compreendida é que o Universo é um grande organismo vivo e não apenas no plano físico, mas também em diversos planos acima do astral, onde cada planeta e cada estrela funcionam como uma célula. Apenas no Universo conhecido pelo homem, ou seja, 1% de tudo que existe no plano material, existe bilhões de galáxias, cada uma com bilhões de sistema solares, um conjunto imenso que contem em seu âmago uma diversidade incalculável de planetas e estrelas.

Na própria história da formação do sistema solar, os mundos trocaram de posição, sofreram eventos grandiosos, desde a separação da massa original da Terra dando origem a Lua ao mais recente choque de cometas contra Júpiter a alguns anos atrás. As “revoluções celulares” nesse grande organismo vivo, tanto a nível material como a nível astral e níveis que ainda sequer temos sentidos despertos ainda para compreender, seguem um minucioso e elaborado Plano Divino. Os planetas, estrelas, galáxias que morrem dão lugar a outros planetas, estrelas e galáxias que surgem, mas o espírito permanece eterno, indestrutível perante as mais amplas revoluções que ocorrem diariamente no Universo.

Dentro dos planetas que compõe o sistema solar somente a Terra possui vida inteligente na terceira dimensão (plano material), a maioria dos demais planetas possui vida inteligente em planos mais superiores, como por exemplo Marte, Saturno e Júpiter. Em outros sistemas solares por certo existem mundos com vida inteligente na terceira dimensão, como a ciência começa a supor ao encontrar mundos com condições de receber a vida humana física como existe na Terra. Mesmo nos processos de sutilização do principio material, como ocorreu em Marte, Júpiter e Saturno, as áreas no plano material muitas vezes foram duramente atingidas, como em Marte que tem imensas crateras feitas por asteróides e outras convulsões que sofreu, mas mesmo assim permanece com vida inteligente no plano astral..

José Alencastro disse...

Júpiter e sua nobre civilização que vivem em zonas superiores as do astral em nada foram afetados quando do choque do cometa Shoemaker nos anos 90, apesar do gigante gasoso ter sido atingido fortemente no seu plano físico. Mesmo Júpiter, apesar de ser um gigante gasoso, possui um diminuto núcleo sólido, que permite a existência do gigante gasoso.

Da mesma forma, os habitantes de Erg não viviam no plano físico, mas sim no astral, eram uma avançada civilização que sabiam, assim como os atlantes da última Era de ouro (um período de 1200 anos que precedeu o encarne dos capelinos na grande ilha), que teriam de lidar com alunos rebeldes e tentar ensiná-los sobre a moral e a necessidade da busca pela evolução sentimental e não apenas intelectual. Na Atlântida, os nobres mentores e magos da luz encarnados tiveram que ensinar os capelinos, em Erg a tarefa seria ensinar um grupo pequeno, de 2 mil espíritos, vindos de Morg, os dragões.

Em ambos os casos a tentativa infelizmente foi infrutífera e o preço pago foi o afundamento da Atlântida e a destruição de Erg, da mesma forma que os capelinos que desperdiçaram a chance de renovação moral naquela paraíso dentro da Terra, os rebeldes dragões também o fizeram e foram exilados para locais muito piores do que aqueles que tinham destruído pela ultima vez; os capelinos rebeldes que outrora encarnaram na avançada civilização atlante tiveram de prosseguir seu ciclo encarnatório nas civilizações atrasadas tecnologicamente e sem conforto do resto do planeta Terra, enquanto os dragões ficaram confinados a zonas do astral inferior com uma vibração energética opressiva, bem diferente da civilização de Erg.

Um espírito missionário, assim como diversos espíritos de avançada moral podem realizar ou aceitar missões difíceis, em locais e situações que não condizem com o seu grau evolutivo, assim como aconteceu com Jesus, com os nobres iniciados atlantes e com os nobres habitantes de Erg, que sofreram violências e ataques sem os merecer, mas o fizeram por amor a Divindade e como oportunidade de testar ao máximo nobres qualidades, como a paciência, o perdão e a resignação por um ideal maior.

José Alencastro disse...

Muitos desses nobres espíritos de Erg “encarnaram” na Atlântida (pois os seus corpos físicos não eram tão materializados como os atuais, mas eram mais materializados do que os atuais persipiritos terrestres) e ainda colaboram nos dias de hoje, em bases no astral do planeta Terra no acompanhamento das atividades que os dragões efetuam no astral inferior, os convidando constantemente para o retorno a luz.

Como já exposto aqui no blog, existem os chamados ciclos planetários, quem delimita quando começa ou quando termina uma nova era, como a de regeneração por exemplo, é Deus e não a atividade humana. Deus estipula um prazo, colabora com vários avisos através de nobres instrutores espirituais, assim como os professores de uma escola que alertam ao aluno rebelde que ele tem aquele ano pra aprender o conteúdo estipulado senão terá que repetir o ano caso não apresente o rendimento esperado naquele período. Deus faz o mesmo e no final desse “ano letivo” as notas da “turma Terra” indicam que 2 terços serão exilados por falta de avanço moral, apesar de que o avanço tecnológico ocorreu de forma relativamente ampla, algo comum em almas muito mais ligadas ao intelecto do que ao sentimental. Com os dragões esse avanço intelectual superou em muito o da maioria dos habitantes da civilização de Morg, foram seres que se deixaram intoxicar pela busca desenfreada por cada vez mais conhecimento tecnológico e ignoraram a busca pela essência divina interior.

O avanço intelectual muito acima do avanço moral pode acontecer em um espírito ou em um grupo, como aconteceu com o grupo dos dragões, isso faz parte do livre arbítrio dado por Deus, mas que também cria os mecanismos retificadores e que se adeqüem as mudanças planetárias que estão programadas no Grande Plano Divino.

Segundo Jesus, o governador da Terra, o Plano Divino para a Terra é que ela ainda seja morada de espíritos, no caso aqueles em regeneração pela busca da prática da lei do amor, após os eventos de 2036 e que ao mesmo tempo, bilhões de rebeldes juntamente com os dragões sejam levados para outros mundos.

José Alencastro disse...

Essa é a decisão “do Cara” que foi comunicada pelo governador da Terra, da mesma forma que o destino da Terra, caso Deus quisesse, poderia ser o mesmo de Erg, mas mesmo se assim Deus desejasse, a coletividade humana ainda permaneceria viva e eterna em espírito e seria alocada em algum dos diversos bilhões de mundos do Universo. Por mais que muitos espíritos errem, tentem a autodestruição ou grandes destruições, seja a nível físico como ocorre na Terra ou a nível astral, como ocorre no astral inferior da Terra e ocorreu no conflito de Erg, os prepostos divinos estão sempre no comando, muito acima da vontade da coletividade humana, até porque uma turma formada em maioria por crianças birrentas não está apta pra decidir qual será o conteúdo ensinado pelo professor ao longo do ano, da mesma forma que não estão aptos pra compreender os “castigos” que os professores passam, como escrever dez vezes a mesma palavra até escrevê-la corretamente ou, por analogia, encarnar dez vezes em situação semelhante até que alguma má característica moral seja transformada em algo pelo menos um pouco positivo.

Deus e seus prepostos possuem sempre o melhor remédio para o doente, assim como a recompensa mais justa para aquele que praticou o bem. O problema é que existem muitos ainda querendo recompensa sem sequer perceberem que se recusam a anos tomar o remédio necessário.....

forceback disse...

Antes de tudo, deixe-me parabeniza-lo pelo blog, sempre que posso venho aqui ler seus artigos que são muito interessantes e ponderados. Dito isso, obrigado pelas elucidações, que foram um tanto quanto esclarecedoras, pois antes eu pensava que o conflito em Erg fosse na 3ª dimensão, tipo uma guerra nas estrelas entre Morg e Erg. Agora os fatos ficaram mais claros para mim, porém surgem outras dúvidas. Pode uma humanidade atingir a quarta dimensão sem ter sido regenerada, como acontecerá com a Terra? O que os dragões fizeram para merecer ter seus corpos sutilizados e livrados de tantos infortúnios que a carne pesada é vítima? A inteligencia leva a essa sutilização? Ademais, depois que a Terra atingir sua fase de regeneração, mesmo os espíritos que ficarem, se ficarem estacionados, e estacionar é não evoluir, serão também exilados com o passar do tempo. Então será que existem diferentes critérios pra cada planeta e civilização? Se sim, quais seriam esses critérios?
Grato pelas elucidações interessantíssimas, abraço e muita luz pra todos nós.

José Alencastro disse...

"Pode uma humanidade atingir a quarta dimensão sem ter sido regenerada, como acontecerá com a Terra?"

Certamente, inclusive no astral inferior aqui da Terra funciona exatamente assim

"O que os dragões fizeram para merecer ter seus corpos sutilizados e livrados de tantos infortúnios que a carne pesada é vítima?"

Como explicado na resposta anterior, eles atingiram um estagio intelectual acima do normal para o ciclo evolutivo que estavam inseridos, possibilitando de forma artificial que os elementos materiais mais densos fossem artificialmente sutilizados

"Então será que existem diferentes critérios pra cada planeta e civilização? Se sim, quais seriam esses critérios?"

O criterio e o mesmo; tudo evolui e cada ser responde pelos proprios atos perante a lei do karma, independente se no fisico ou astral. Em muitos mundos e estrelas nao e possivel que exista vida material como existe na Terra, isso nao impede entretanto que ocorra vida no astral, semelhante ao astral inferior da Terra, onde tambem existem provas e resgates karmicos dificeis.




Fernando Stratico disse...

Olá, José. Parabéns pelo blog e pelos estudos. Uma coisa me intriga.. que vantagem os dragões teriam em destruir a terra? pelo que me parece a terra é fonte de energia para estes espíritos. Caso a terra fosse destruída seriam arremetidos a outro planeta imediatamente? O que garante que vão ganhar mais poder em um outro planeta? Se lutam contra o fim inevitável que é a transformação positiva da terra, parece mais lógico que queiram permanecer por aqui perdurando o domínio que exercem e o estado de coisas das quais usufruem.

José Alencastro disse...

Respondido aqui Fernando: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2014/03/atlantida-perseu-os-dragoes-e-origem.html