20 de abr de 2012

Plano Astral: O Modo de Vida atual e as Grandes Mudanças durante a Transição Planetária


Uma questão interessante englobando os temas abordados aqui no blog foi enviada  nos comentários, aproveito então pra compartilhar com os leitores:


“José, seu pai está numa das "cidades espirituais", no astral superior, certo? Mas há quem desencarne e fique por aqui mesmo, "vagando" por aí, o que seriam os "fantasmas", presos a esse ou àquele lugar, não? Eles estariam no astral intermediário? O astral intermediário seria mais ou menos por aqui onde estamos e teria muita gente desencarnando e vivendo nesse astral intermediário? E o astral inferior seria o "inferno", e só vão para lá os que cometem muitos ou graves pecados, aqueles muito egoístas e/ou muito maus?” (Alexandre)


Essa pergunta foi feita no quinto texto sobre experiências com desdobramento: AQUI 


Olá Alexandre, muito interessante tua pergunta, pois sintetiza algumas questões que abordei nesses 5 textos. O astral superior está na contrapartida astral do nosso céu físico, o astral intermediário está na contrapartida astral da superfície terrestre (onde estão as ruas, prédios, parques, praias e etc) e o astral inferior está na contrapartida astral das zonas crostais e subcrostais do plano material da Terra.

No astral inferior está localizado o chamado umbral, o local do astral mais denso e mais próximo da realidade física que os encarnados vivem. Nesse local existem diversos hospitais e bases guarnecidas pelos guardiões e são responsáveis por receber os desencarnados, pois salvo raríssimas exceções (espíritos de grande evolução moral, minoria na Terra) todos ao desencarnarem vão para os hospitais do astral inferior, pois apresentam o corpo astral ainda muito denso e preso as sensações da matéria, muitos inclusive ainda com fome e necessitando fazer suas necessidades fisiológicas como se encarnados ainda estivessem.

Em virtude do nível moral atrasado da maioria dos habitantes da Terra (algo entorno de 2 terços dos espíritos, ou seja, 14 bilhões) o umbral ou astral inferior passou a ser associado a um inferno ou local onde só existem espíritos ruins, mas é o local por onde a grandíssima maioria de nós necessita passar antes de ser encaminhado para hospitais em colônias ou cidades localizadas no astral superior e entre o astral intermediário e superior e mesmo essas cidades do astral superior como "Nosso Lar" estão ainda muito longe das cidades de imensa luz onde habitam os espíritos mais evoluídos da Terra, são cidades que ficam envolta da magnetosfera terrestre e que não podem ficar muito próximas do campo ou aura terrestre no momento atual devido ao algo grau de elementos tóxicos emanado pela maioria dos encarnados que vivem nos planos ou dimensões terrestres.


Ocorre também que muitas das pessoas que desencarnam ainda estão presas a vícios, como drogas, álcool, sexualidade desregrada, apego aos bens materiais, apego ao próprio corpo físico, apego aos familiares, apego a ódios contra outras pessoas e acabam simplesmente por se recusar a receber tratamento nos hospitais do astral inferior, normalmente fugindo e indo parar nos feudos comandados por milícias e magos negros, isso sem falar nos inúmeros casos de assassinos e criminosos contumazes que ao desencarnarem já são diretamente encaminhados a esses feudos por necessitarem purgar uma carga tão grande de toxinas astrais que somente nos charcos umbralinos podem efetuar essa drenagem para que somente depois disso e caso mostrem algum interesse moral e verdadeiro, possam receber ajuda dos hospitais superiores localizados no astral inferior e mesmo assim, em muitos casos, as milícias fazem de tudo pra manter essas pessoas presas aos charcos, o que gera volta e meia confrontos entre os milicianos ou kiumbas  contra os guardiões.


E o confronto entre as forças da escuridão (kiumbas) e da luz (guardiões) não para por aí, pois existem ainda as entradas ou portais entre o astral inferior e intermediário, que em virtude do atual momento conturbado da humanidade acaba fornecendo farta energia negativa aos seres trevosos, possibilitando que estes controlem diversos portais e pontos de ligação no astral intermediário. Através desses portais, pessoas perdidas no astral inferior acabam fazendo todo tipo de acordo pra poder “passear” no astral intermediário, normalmente pra obsediar alguém , seja por uma vingança, seja pra relembrar sensações da matéria como “montar” em pessoas que bebem em demasia ou usam drogas ou ir aos inferninhos aurir a energia mais densa do sexo desregrado, instintivo, sem sentimento.

A maioria dos espíritos que perambula pelo astral intermediário está nesta situação, mas existe ainda um segundo caso: pessoas desencarnadas que após se recuperarem  nos hospitais do astral inferior e depois nos hospitais do astral superior (ambos controlados por equipes socorristas ligadas as fraternidades do Bem) se propõe a trabalhar pela sua reforma interior e o fazem de diversas formas: seja ajudando pessoas encarnadas, muitas vezes familiares e amigos próximos, sendo uma espécie de auxiliar do mentor ou espírito guardião dessa pessoa, muitas vezes fazendo o “meio de campo” entre o encarnado e o mentor, pois muitas vezes o encarnado está tão invigilante ou perdido que o mentor não consegue se aproximar do campo vibratório do seu protegido, necessitando de um espírito que possua um laço de amizade ou carinho e que tenha uma energia mais densa, para que então ele possa atuar.

Muitos desses desencarnados interessados no trabalho pela reforma moral também se tornam auxiliares das equipes socorristas, que volta e meia atuam no socorro a espíritos recém desencarnados, em acidentes automobilísticos ou aéreos, muitas vezes o espírito, por mérito ou ausência de determinado karma, é desplugado milésimos ou segundos antes do acidente ou choque fatal, nem sentindo o impacto ou o sofrimento do choque e pra essa trabalho é necessário um numero grande de espíritos trabalhadores.

Explicado isso, posso responder as tuas perguntas:

Meu pai atualmente trabalha numa das equipes ligadas a fraternidade do Sol e da Lua, junto com outros médiuns ostensivos desencarnados (ou seja, que eram médiuns ostensivos quando encarnados) atuando no preparo de muitos médiuns encarnados e auxiliando em diversas tarefas e experiências desses médiuns encarnados, como no desenvolvimento de mediunidade, ampliação de experiências astrais como desdobramento entre outros serviços ligados a essa linha de trabalho.

Da mesma forma são colaboradores de equipes socorristas que atuam em diversos centros espíritas e espiritualistas, pois devido a esse conhecimento e experiências com mediunidade ostensiva, podem melhor inspirar os médiuns de mesa  ou de umbanda e facilitar a aproximação das entidades superiores, seja na roupagem de um mentor ou de um caboclo ou preto velho.

Outra atividade importante desse grupo é rastrear médiuns que porventura estejam buscando, mesmo que inconscientemente ao dormir (ou seja, não lembram disso ao acordar), aliança com magos negros, buscando fama ou reconhecimento por causa de sua mediunidade, normalmente são médiuns que desejam ganhar fama e reconhecimento com seu dom mediúnico, seja por algum trabalho de cura ou de palestra ou de escrita de livros e acabam, por causa desse desejo, abandonando os cursos no astral ministrados pelas equipes ligadas a falanges do bem (como essa que meu pai participa) e acabam por buscar alianças escusas com magos negros, que ensinam, por exemplo, determinados comandos de voz, o uso de símbolos magísticos astrais em determinado texto que seja escrito, tudo pra causar alienação e hipnose nos menos avisados, para que a pessoa acabe enxergando esse médium como alguém superior ou perfeito, que jamais erra.

Tem um relato interessante sobre uma dessas missões que foi realizada por outro médium aqui do sul, apesar de não concordar com tudo que ele escreve e achar que ele se confunde em algumas questões, como por exemplo, com a questão dos dragões, a essência deste relato em si é muito boa, valendo a pena ser lido:  AQUI 


Quanto à questão das pessoas desencarnadas presas ou vagando pelo astral intermediário (que está na contrapartida astral das ruas, prédios, cidades do plano físico): sim, tem pessoas que ficam presas em diversas situações, que muitas das vezes desencarnam e não aceitam abandonar o corpo físico, necessitando de um desligamento total para que sejam encaminhadas aos hospitais do plano astral inferior, devido à grande densidade que seu corpo astral apresenta.

Em muitos casos de pessoas que morrem doentes, muitos membros da família não desejam que a pessoa vá embora e em outros casos o doente não aceita o desenlace, então o corpo físico é enterrado, mas a alma, com seu corpo astral, continua na casa, presa ao campo mental dos moradores da casa, muitas vezes formado pelos próprios familiares e em outros casos formado pela própria pessoa, sendo na maioria dos casos necessário que a família ou o membro da família mais saudoso procure uma orientação espiritual pra permitir que o campo seja enfraquecido e o espírito encaminhado.

Em certos casos se estabelece um laço tão forte, quase simbiótico, que são necessárias semanas de trabalho da equipe socorrista na casa, pois muitas vezes o mentor ou espírito guardião precisa doutrinar o membro da família ou a pessoa que desencarnou, tratar o espírito ali mesmo na casa (no astral intermediário) para que só assim, com os laços energéticos desfeitos e um mínimo de entendimento o espírito seja encaminhado. Quando isso não ocorre, muitas vezes é o sofrimento no campo mental do espírito que desencarnou (mas não aceita se desligar da sua casa no plano físico) que abre brecha  no campo envolta dele para que ele seja levado.

Existem ainda outras questões, como por exemplo, locais que foram usados pra muita morte ou sofrimento, como prisões, antigos quilombos ou terras que foram palco de enfrentamentos armados. Nesses locais pode acontecer (e muitas vezes isto acontece) de portais serem abertos por entidades trevosas, entre o astral intermediário e o inferior, e muitos facínoras ou espíritos altamente endividados acabam por ficar presos, tanto no astral inferior como no astral intermediário dessas localidades físicas.

Em virtude de toda essa trama, que ainda envolve outras questões como construções no astral intermediário (como relatei nessa série de 5 textos sobre experiências com desdobramento e nos 3 textos sobre chacras planetários), é que teremos a partir de 2012 uma intensificação da faxina no astral inferior e intermediário da Terra, levando os espíritos que tenham de ser exilados nessa janela de 2012-2036 e destruindo instalações muitas das vezes milenares, de magos negros e milicianos.


Obviamente que essa limpeza não vai ser um único dia, não acordaremos dia 22 de dezembro de 2012 numa Era de Luz ou Regeneração, mas sim com o convite de nossos mentores e amigos espirituais pra pegar na vassoura e no esfregão e ajudar não apenas na nossa higienização moral, mas também pra colaborar na higienização física, astral e mental do planeta, num processo longo que terá de expurgar muita sujeira escondida, necessitará de muito suor, coragem e luta e vai drenar essa sujeira das mais diversas formas, mas isto é necessário para que a Terra e seus moradores possam entrar com a túnica limpa e suas colunas também limpas na Era de Regeneração ou Era de Luz, que vem depois da transição planetária, ou seja, somente após 2036. 


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook: 
http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036


17 comentários:

Alexandre T disse...

José, me espantei com o que vc disse, que quase todos ao desencarnarem vão para o astral inferior, para hospitais e depois são levados dali, que raros são os casos em que se vai parao astral superior e não o inferior. Acredito, mas, lhe pergunto: como se explica, então, a grande maioria dos que vivem a experiência de "quase morte" ou "morte" por alguns instantes, geralmente em hospitais, contarem que atravessaram um tunel escuro com uma luz no final, e que ao chegarem na luz, era um lugar maravilhoso, onde estavam parentes, amigos, e que não queriam voltar desse lugar maravilhoso? E Jesus dizer ao ladrão que estava ao seu lado na cruz "AINDA HOJE estarás comigo no Paraíso"? E é muito ruim procurarmos fazer as coisas certas, fazer o bem, e irmos para o mesmo llugar (em principio) ou destino que assassinos, estupradores, etc...

José Alencastro disse...

Olá Alexandre, é normal essa surpresa, pois a idéia de que as pessoas fazem é mais ou menos essa mesmo: os bons vão pro céu e os maus pro inferno, é algo muito presente devido a cultura maniqueísta ensina pela Igreja aqui no ocidente. Quando a pessoa vive uma EQM (experiência de quase morte) ela vivencia na verdade um desdobramento consciente, mas muitas vezes seus sinais vitais estão tão fracos, apesar de ainda existir a ligação entre o corpo astral e o corpo físico pelo cordão de prata, que os médicos da Terra acreditam que a pessoa “morreu” e “ressuscitou”, quando na verdade a morte apenas ocorre quando o cordão de prata é cortado, o que cessa qualquer possibilidade de ressurreição na carne. Nessas experiências de EQM é comum a maioria das pessoas descrever esse túnel escuro com uma luz no final, que na verdade é uma forma do cérebro perispiritual decodificar a passagem do corpo astral por um portal e como a grande maioria dos encarnados não sabe volitar ou se teletransportal em desdobramento consciente, acabam indo “andando” mesmo, com o corpo astral, através do portal e decodificam essa trajetória como um túnel escuro com uma luz no final. São experiências programadas pelo mentor e espíritos amigos dessa pessoa que vive a EQM, muitas vezes para motivá-la a ter uma visão menos materialista da vida e começar a agir de forma diferente ao receber uma segunda chance ou um tempo extra, após vivenciar um risco grande de morte.

Quanto a questão das palavras de Jesus na cruz temos dois pontos importantes a serem observados: primeiro que dos 4 evangelistas que narram a crucificação em pormenores, somente Lucas fala sobre o ladrão arrependido, João nada fala e Marcos e Mateus falam que os dois ladrões pregados ao seu lado caçoavam de Jesus e não se arrependeram. O segundo ponto é que mesmo se considerarmos verídico o relato único de Lucas, a frase que Jesus pronuncia é clara: “Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso” (Lucas 23:43, Bíblia de Jerusalém). Repare que Jesus apenas disse sobre o ladrão estar (e não permanecer) e estar HOJE (ou seja, somente naquele dia, estar naquele dia e não permanecer no paraíso). Isso significa que o espirito de Dimas com seu corpo astral, poderia ficar apenas temporariamente algumas horas numa esfera superior e assim mesmo ficaria de forma artificial, sendo necessária toda uma aparelhagem pra permitir a estada de um espírito sem grande evolução e recém desencarnado, pois caso Dimas (o suposto bom ladrão) fosse um espírito evoluído, Jesus não teria dito que apenas naquele dia Dimas estaria no paraíso.

José Alencastro disse...

É muito comum espíritos desencarnados e inclusive os desencarnados em desdobramento serem levados por mentores para conhecer colônias superiores, mesmo não dispondo ainda de evolução moral e vibratória, eles são preparados com a aparelhagem do astral pra conhecer essas localidades, eu mesmo vivenciei esse processo tanto na atual vida encarnado, quando fui encaminhado em alguns dias pra uma colônia superior e tive acesso as imagens do Apocalipse mostradas a João e bem como o auxilio de espíritos amigos na decodificação e interpretação das chaves proféticas dessas imagens e desse livro, trabalho que levou quase 5 anos e mesmo assim pouquíssimas viagens astrais a esse locais em virtude da dificuldade de levar um espírito encarnado em desdobramento a esses locais. Na outra ocasião, desencarnado, a umas 3 encarnações passadas, sai do astral inferior em em pouco mais de 10 anos tive a oportunidade de visitar no astral superior em pleno céu do oceano Atlântico a colônia astral superior daquela localidade conhecida até hoje como Atlântida.

Mas pode ficar tranqüilo que o destino de pessoas boas ou que se esforçam pra melhorar moralmente não é o mesmo de assassino, facínoras ou estupradores, até porque o astral inferior tem vários níveis também, quem é bom ou se esforça pra melhorar é encaminhado pros hospitais astrais do astral mais inferior ou usando uma palavra mais bonita, o astral mais denso, já os facínoras, sexólatras contumazes, criminosos, estes vão direto para as zonas mais inferiores do astral inferior, diretamente para os charcos umbralinos terminar ou começar a expiar seus crimes até o momento que mereçam resgate das equipes socorristas.

Rafael disse...

Eu sou novo no site, descobri seu blog hoje e comecei a lê-lo.
Tenho muitos questionamentos no que diz respeito a forma "correta" de encarar a vida e agir.
Não sei como ser uma pessoa melhor, uma pessoa boa, sem ser tachado de fraco e passado para trás.
Não sei como a sexualidade entra nisso tudo. O que é uma sexualidade sadia e o que não é.
Todos esse questionamentos e muitos outros me acompanham a anos.

José Alencastro disse...

Rafael, eu acredito que ser alguém bom é estar sempre disposto a ser útil, a ajudar da melhor forma que for possível as pessoas ao redor (familiares, amigos, pessoas do convivio social ou simplesmente pessoas que cruzam nosso caminho)mas mantendo sempre a vigilancia, pois ajudar é extender as mãos, mas sem deixar montar nas costas. Quanto a sexualidade, eu acredito que a forma sadia é aquela que existe amor, respeito, amizade entre as duas pessoas envolvidas, pois quando nao existe isso, mas tao somente interesses sociais, financeiros ou puramente um desejo instintivo, o proprio ato em si estabelece conexao com espiritos com esses interesses, tornando a sexualidade nesses casos nada sadia no aspecto espiritual e muitas vezes no aspecto fisico.

Alexandre T disse...

José, veja se eu entendi: então o astral inferior não é TODO ruim, não é TODO como o inferno da Igreja Católica ou dos evangélicos, ou como o inferno de Dante, todo escuro, tenebroso, horripilante... Apenas está num nível abaixo do terreno, onde estamos, comparativamente, mas não quer dizer que seja no subsolo, numa escuridão e um lugar de grandes dores, grandes sofrimentos? Há sol ou alguma luz , alguma claridade como a de um dia de sol, há plantas, jardins, algo parecido com o mundo material e não com um "inferno", com excessão dos niveis mais inferiores, é isso?

José Alencastro disse...

Exatamente Alexandre mesmo no astral inferior existem vários níveis, desde os locais onde existem hospitais e um céu semelhante ao da dimensão física (plasmado mentalmente pelo Cristo Planetário e as entidades superioras que cuidam da evolução do planeta), até os locais mais inferiores da escuridão, onde estão os charcos umbralinos controlados pelos magos negros, até os locais mais inferiores ainda, além da escuridão, nas trevas mesmo, dominados pelos dragões. No astral o pensamento da coletividade que está em determinado nível interage com a construção básica, elementar, que foi plasmada pelo Cristo Planetário e seus prepostos (Cristo esse que está muito, mas muito acima da evolução de Jesus), portanto se temos num nível do astral inferior espíritos recém desencarnados numa situação mediana e os hospitais socorristas teremos uma interferência mental e emocional muito menor nesse nível do astral do que, por exemplo, nos charcos umbralinos, onde o desespero, a culpa, as cargas tóxicas karmicas desses espíritos, somadas as cargas tóxicas de magos negros e seus asseclas, acabam por escurecer o ambiente, dando o aspecto lúgubre e cavernoso descrito em algumas ficções como por exemplo na obra de Dante.

Outra questão importante é não confundirmos os senhores do karma com magos negros, seria o mesmo que confundir kiumbas com exus. Magos negros são espíritos egoístas, extremamente interesseiros e com sede de poder, que não tem a menor condição de realizar qualquer juízo de justiça ou seguir os ditames da justiça do Cristo e de seu governador, Jesus. Os senhores do karma é na verdade uma estrutura organizada, acima do Grande Conselho, conselho esse que é composto por Jesus e mais 24 espíritos de grande evolução, verdadeiros mestres ou avatares. Acima deles, ou seja, acima de Jesus e desse conselho, está o Conselho do Karma, composto por entidades arcangelicas e presidido pelo Cristo Planetário, que determina resgates coletivos, missões socorristas no astral inferior, missões, expiações e provações individuais, são os responsáveis por controlar o arquivo com a ficha de cada um dos espíritos que vivem na esfera terrestre, são a autoridade superior que delega suas decisões ao Grande Conselho que trabalha junto com os guardiões para cumprir as determinações desses espíritos, prepostos diletos da Justiça Divina.

Nessa trama toda os magos negros são apenas senhores de alguns feudos nas zonas mais inferiores do astral inferior, sendo constantemente monitorados e na maioria das vezes “enquadrados” pelos guardiões para que cumpram nesses feudos as ordens da justiça divina, ordens que na maioria das vezes preferem não cumprir. Portanto, é importante ressaltar que magos negros não têm nada haver com senhores do karma, podem ser no máximo comparados a agentes de karma, assim como kiumbas, milícias e cientistas trevosos, mas com um papel muito pequeno em toda essa trama.

José Alencastro disse...

A luz solar adentra todos os níveis vibratórios do planeta, pois traz não apenas a luz e o calor necessários ao planeta, mas também os chamados raios de energia, em diversas cores e matizes, que interagem com os chacras planetários e em todos os processos de crescimento, nascimento e renovação energética do planeta. Dessa forma, nas zonas ou niveis mais superiores do astral inferior é possível ver um céu com um Sol, a semelhança do que vemos no plano físico, já nas zonas mais inferiores do astral inferior, a escuridão cobre em boa parte essa luz, dando a aparência de uma noite eterna. Nas trevas e nas zonas bem inferiores do astral inferior, a principal fonte de energia é a egrégora criada pelos dragões, o chamado Sol Negro, criado a quase 1 milhao de anos quando esses espíritos foram exilados na Terra, bem antes da vida dos exilados de Capela e dos chamados magos negros

Alexandre T disse...

Obrigado por mais essa explicação, José.

Aline Souza Silva disse...

ola gostei muito de suas postagens! parabéns pela sucinta explicação!
notei que você citou seu pai e o trabalho dele...
gostaria de saber como me comunicar com ele e tentar fazer parte mesmo que de longe da sua equipe ou sendo mais um a. bom é isso! obg pela atenção e bom trabalho!
meu email é : aline_souza.s@hotmail.com caso queira algum contato.

José Alencastro disse...

Meu pai desencarnou em 2000 e desde 2001 trabalha junto a fraternidade a qual pertence a equipe espiritual do Dr Fritz, dessa forma a melhor forma de estar ligada a essa fraternidade ou a equipe do Dr Fritz é buscar participar dos trabalhos espirituais que ele realiza. Sei de mediuns no Rj, Minas e Sp que incorporam o Dr Fritz e fazem um belo trabalho, caso more em algum desses estados posso te indicar o local. Abraço

Adriana Pignatta disse...

Fico extremamente feliz que na Terra existam pessoas que, como você, possam nos abrir o campo de visão.
Seus textos, suas palavras e suas explanações me fazem um bem enorme,portanto só tenho a agradecer.
Que você possa sempre continuar nessa tarefa de conscientização humana, vibrando essa maravilhosa energia positiva e esclarecedora que faz, em nós, germinar a semente do conhecimento. Grande abraço!

José Alencastro disse...

Que bom Adriana é sempre gratificante receber esse retorno positivo. Grande abraço pra você

Flavio Silva disse...

Bom dia a todos....

gostaria de saber qual a diferença que existe entre hospitais do astral inferior e hospitais do astral intermediários....e porque o espírito andré luiz do filme nosso lar foi resgatado do umbral direto para um hospital do astral intermediário ao invés do inferior já que ele não possuia muitos méritos quando desencarnou....

José Alencastro disse...

Basicamente a localização, essa é a diferença. A outra diferença é que os hospitais do astral inferior estão equipados para lidar com casos mais, digamos, "rudes", inclusive tendo um aparato de segurança dos guardiões maior.

No caso de Andre Luiz ele era um suicida e foi para um local conhecido como o vale dos suicidas, um vale entre milhares de vales no astral inferior que recebem espiritos em condição semelhante, ainda muito presos a materia. Mesmo assim esses espiritos recebem assistencia, dentro dos limites que seus karmas permitem, pois muitos processos de purificação energética do perispirito ocorrem nos charcos umbralinos, verdadeiros drenos de energia densa e negativa. Ao mesmo tempo o espirito não consegue perceber esses espiritos socorristas que ajudam, pois devido a ainda estarem muito presos a realidade da materia, não conseguem captar os espiritos em corpos menos materializados do que ele proprio e seus companheiros de sofrimento.

Assim que o espirito de Andre Luiz elevou seu pensamento pedindo ajuda, ele conseguiu finalmente perceber a presença dos socorristas e depois ser ele proprio socorrido, pois ja havia purgado suficientemente seus karmas e merecido oportunidade de refazimento em um lugar melhor.

Várias obras de Andre Luiz falam desse vale, assim como o livro Memorias de um Suicida de Yvone Amaral. Na obra de Ramatis pelo espirito de Hercilio Maes ele tambem aborda o assunto ao falar dos charcos umbralinos.

É importante ressaltar que em muitos casos a culpa e o reflexo da vontade que ainda prendem o espirito ao vicio ou ao ato que motivou o suicidio impedem maiores ajudas. Como , por exemplo, curar um fumante que não deseja abandonar o vicio do cigarro, ou um alcolatra que nao deseja abandonar a bebida, um drogado que nao deseja abandonar a droga, ou ainda alguem que nao aceita um tratamento para um patologia psicologica que tenha motivado o suicidio? O livre arbitrio continua do outro lado e enquanto o espirito se mantem firme em uma vontade ou envolto de grandes culpas, ele simplesmente impede ajudas mais amplas das equipes socorristas, sendo justamente por isso encaminhado para o local no mundo astral conhecido como vale dos suicidas, lugar que os espiritos socorristas estão sempre prontos a ajudar ao menos sinal de despertar da fé em algo superior

Hugo Almeida Duarte disse...

Uma dúvida que eu tenho sobre o plano astral são as suas regiões, você trata o umbral como se fosse um local geográfico, porém pelo que eu li é uma faixa vibratória e não uma região, ou seja se você diminuir a sua vibração, você estará em uma faixa mais densa e mais próxima do físico. Mesma coisa com as outras dimensões mais sutis, todas elas se interpenetram elas não são exatamente lugares. Se puder esclarecer essa dúvida estaria muito grato. Obrigado.

José Alencastro disse...

Olá Hugo

O plano astral é uma região/ plano composto por uma frequencia de vibração, da matéria, da luz, da energia, do fluido universal, mais alta do que o plano material. Em cada plano esses elementos se manifestam com uma frequencia diferente, ou melhor, dentro de uma certa faixa de frequencias.

Toda região/plano nada mais é do que um intervalo que compreende determinadas frequencias vibratórias da matéria, como se o Universo fosse um rádio, os planos fossem as estações de radio, as frequencias vibratórias da matéria e fluido universal os sinais captados pelo rádio e Deus a fonte dos sinais.

Dessa forma podemos compreender que cada plano, região ou local geográfico do Universo (tomando como ponto de partida o plano material que vivemos) tem sua contrapartida numa frequencia material superior e inferior. A questão é que por o plano astral estar muito próximo vibratoriamente do plano material, assim como o nível de consciencia dos espiritos que lá vivem, acabam por tornar o plano astral bem semelhante ao físico em alguns aspectos. Mas nos planos superiores, nos quais a matéria e o fluido universal se manifestam em frequencias mais elevadas e servem de morada para espíritos de moral e percepção sensorial muito mais elevada que a nossa, esses planos em nada se assemelham a "locais geográficos", pois a manifestação da matéria é muito menos densa que no plano material e astral.

Esse texto aqui complementa o assunto:
http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2015/01/a-vibracao-da-criacao-de-deus.html