3 de jul de 2012

Psicopatia e Mal de Alzheimer: Um Ponto de Vista Unindo o Espiritismo e a Psicologia


Uma pergunta interessante chegou ao email do blog: “Caro José Alencastro, Sou leitora de seu blog e acompanho sua página do facebook e gostaria de lhe perguntar uma coisa. Há tempos tenho uma dúvida a respeito do que o espiritismo ou outras correntes espiritualistas pensam sobre a psicopatia, mas nunca encontrei nenhuma informação que sanasse esta dúvida. Os profissionais da saúde mental apontam uma tendência nata para a psicopatia e defendem que ela seja incurável. Pensando sobre isso, cheguei à conclusão de que o psicopata talvez seja um espírito muito pouco evoluído espiritualmente (de regiões muito trevosas, magos negros ou algo parecido) e que na presente encarnação não teria ainda condições de compreender os sentimentos de amor e fraternidade, mas que numa outra (ou muitas outras) encarnação, poderia desenvolver esses sentimentos, já que sabemos que todos podemos alcançar o progresso espiritual mais cedo ou mais tarde. Gostaria de saber se você conhece algo a respeito e se poderia explicar-me melhor. Eu me formei em Psicologia e sempre procurei conciliar minha religião com meu trabalho, mas certas coisas ficam sem resposta. E a questão do Alzheimer, você poderia nos elucidar também?  Abraços” (Camila)


Olá Camila, é muito bom que cada vez mais psicólogos busquem essa união entre o conhecimento científico da psicologia com o conhecimento espiritual. Existe uma série de 12 volumes do espírito Joana de Angelis pela mediunidade do Divaldo Franco conhecida como “Série Psicológica”.

Os 12 títulos são os seguintes:

Jesus e Atualidade

O Homem Integral

Plenitude

Momentos de Saúde

O Ser Consciente

Desperte e Seja Feliz

Vida: Desafios e Soluções

Amor, Imbatível Amor

O Despertar do Espírito

Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda

Triunfo Pessoal

Autodescobrimento: Uma Busca Interior 



Em uma magistral palestra de mais de 3 horas, Divaldo Franco aborda alguns desses temas, de como o espírita pode utilizar dos conhecimentos da espiritualidade para vencer esses dramas psicológicos.

Deixarei ao final do texto os links para a palestra que tem dois módulos.

A psicopatia é definida, basicamente, como transtorno de personalidade antisocial, tendo como algumas de suas características: ausência de sentimentos genuínos, frieza, insensibilidade aos sentimentos alheios (ausência de empatia), manipulação, egocentrismo, falta de remorso para atos cruéis, baixa tolerância à frustração (com um limite muito pequeno pra descarregar sua agressividade, inclusive em atos de extrema violência). Normalmente expressa suas emoções de forma superficial, teatralizada e falsa (cinismo) não conseguindo manter uma relação de amizade leal e duradoura com outras pessoas.

Em virtude de tudo isso, o pensamento que você formulou está bem próximo do que realmente acontece: “Pensando sobre isso, cheguei à conclusão de que o psicopata talvez seja um espírito muito pouco evoluído espiritualmente (de regiões muito trevosas, magos negros ou algo parecido) e que na presente encarnação não teria ainda condições de compreender os sentimentos de amor e fraternidade, mas que numa outra (ou muitas outras) encarnação, poderia desenvolver esses sentimentos, já que sabemos que todos podemos alcançar o progresso espiritual mais cedo ou mais tarde.”

A psicopatia abrange prioritariamente aqueles espíritos ainda muito arraigados a matéria, que encaram a encarnação na Terra como, simplesmente, um tempo para satisfazer necessidades instintivas básicas (seres fisiológicos), apresentando de forma inata em seu espírito (o que ainda é muito confundido com uma simples carga genética ou um padrão inato de comportamento) essa limitação de não conseguir desenvolver valores morais mais superiores aliados a severas limitações emocionais.

Se preocupam em apenas dormir, comer, fazer sexo (normalmente sem uma ligação emocional mas tão somente promíscua) e estabelecer relações de poder e dominação com as outras pessoas sem conseguir desenvolver um sentimento nobre de amizade. Em um mundo de expiação e provas é natural que os espíritos em sua maioria (acima de 60%) apresentem limitações em manifestar sentimentos mais nobres e conseguir estabelecer laços desinteressados de amizade e nesse grupo apareça um grupo de espíritos que apresenta essas características negativas mais potencializadas com outras características que identificam nesse grupo menor a psicopatia.

O caráter antisocial desse transtorno é marcado também (de forma complementar) pela não aceitação das normas sociais (normalmente os psicopatas praticam vários delitos e seguidas vezes), são pessoas que apresentam grande inteligência e um charme superficial, na maioria das vezes tem dificuldades em entender expressões corporais e faciais de outras pessoas.     

A individualidade espiritual (que se manifesta na encarnação atual) ou numa linguagem psicológica o “self”, apresenta características dominantes que espelham a personalidade imortal do espírito (ou seja, o somatório de todas as encarnações anteriores).

Dessa forma muitas das limitações e dos distúrbios psicológicos não surgem apenas na infância ou na carga genética do corpo físico, mas sim em dramas que o espírito vivenciou em encarnações pretéritas e que ainda mantém ecoando vibratoriamente no seu “self” na encarnação atual. O "self" é a personalidade individual e integral do espírito que se manifesta em parte durante uma encarnação, sendo que essa parte permanece fusionada a personalidade/individualidade integral, por isso o self é o centro, o pilar da personalidade do espirito durante uma encarnação. 

Na Apometria esses problemas são tratados não com regressão (pois em muitos casos ela não deve ser realizada), mas sim com o fechamento de faixas de passado, fazendo com que o espírito na atual encarnação ainda muito preso aos dramas do passado que ecoam vibratoriamente no presente, possa gradativamente se desligar dessas faixas de passado e assim possa ter facilitado o processo de reconhecer as mudanças comportamentais que precisa realizar no presente.

Os livros do doutor José Lacerda (que era médico e criou as bases da Apometria) também são muito úteis na análise dessas questões, buscando um tratamento que una a espiritualidade e a tradicional terapia exercida pelos profissionais da psicologia e psiquiatria.

Sobre a questão do Alzheimer esse texto aqui é bem esclarecedor quanto ao tema: AQUI



Os dois vídeos da palestra do Divaldo estão aqui (As melhores palestras que vi dele até hoje):

Parte I (2 horas e 45 minutos):




Parte II ( 1 hora e 23 minutos): 



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:  http://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036 


2 comentários:

Monique disse...

Olá José, gostei muito desse texto! Essa é uma das maiores questões em um mundo individualista.
Sempre me perguntei de onde vinha a minha psicopatia. Quando Criança e adolescente não conseguia formar laços com ninguém, nem mesmo com meus pais, me automutilava com apenas 10 anos tentando aliviar dores insuportáveis da alma sem mesmo saber o porque sentia.
Ainda é inexplicavel o porque da minha depressão, já que tive uma infancia boa, mas tento contornar com base no Espiristimo que se tenho essa vontade de desistir do mundo tenho que tentar lutar para não sofrer novamente como suicida.
E uma pergunta: Se em um mundo que logo será renovado, porque há espíritos que logo serão exilados? Pq descer em um mundo se eles não terão uma segunda chance?

Abraços
Monique

José Alencastro disse...

Olá Monique, muitas vezes trazemos sofrimentos de outras encarnações, fortes impressões que ecoam, de alguma forma no presente mas Deus em sua infinita misericórdia sabe o que faz, dando a cada um o fardo que a pessoa pode suportar e no seu caso ele permitiu que você tivesse uma boa infancia e acesso ao conhecimento do Espiritismo justamente pra aliviar um pouco desses problemas.

Toda a oportunidade reencarnatória é uma dádiva.

Na Terra que é um campo ainda de lutas e provações muitas vezes em uma unica vida, mesmo diante de um provável exílio, o espirito pode melhorar-se muito, levando para o mundo exílio uma carga menor de karmas pra resgatar.

Na Apometria onde trabalho sempre indicamos (o grupo) aos pacientes que buscam auxilio na ajuda espiritual que não abandonem o tratamento físico, ou seja, que continuem fazendo uma terapia com psicologo ou psiquiatra e se for necessário, mesmo que temporariamente e a critério do psiquiatra que tomem o medicamento necessário, mesmo que as vezes seja incômodo demorar pra acertar o remédio e a dose necessárias.

Tanto o Espiritismo como a Apometria jamais podem ser substitutos de terapias com psicólogos ou psiquiatras, mas sim complemento destas e de preferência que esse psicologo ou psiquiatra tenha algum conhecimento da área espiritual ou seja espírita.

Independente do que aconteceu ou como aconteceu com você em alguma encarnação passada, o importante é focar agora no presente, nessa nova oportunidade, com a consciencia do valor e da beleza da vida apesar das dificuldades, construindo cada vez mais hábitos renovados, que motivem o autoconhecimento e a vida em sociedade, seja através de uma atividade física em grupo, em um trabalho voluntário, aonde for, mas ocupando de forma positiva o tempo precioso que se é recebido.

Fico feliz que esse texto do blog com os vídeos tenha ajudado de alguma forma na sua caminhada. Um grande abraço