7 de fev de 2014

A Questão Nibiru



Durante a enxurrada de teorias diversas que surgiram na internet antes do final de 2012 e a suposta data da profecia maia, eu publiquei diversos textos no blog tentando esclarecer que não teríamos astro algum invadindo o sistema solar, fosse um planeta ou uma anã vermelha ou marrom e que também não temos nenhum planeta ou orbe nas imediações do sistema solar capaz de atingir a Terra nos próximos 30 anos e que não existe qualquer orbe ou planeta com uma órbita excêntrica que a cada 3600 anos adentre subitamente o sistema solar causando enormes convulsões.

Tive a idéia de fazer esse post justamente para compilar as informações dos vários posts já publicados no blog e trazer algumas novidades sobre o tema, visto que o tema “Nibiru” ou “astro intruso” é um dos temas que mais gera perguntas dos leitores do blog interessados no tema profecias e transição planetária. Vamos então abordar os assuntos ligados a Nibiru por tópicos, indicarei vários links para não deixar o texto ainda mais extenso em virtude da grande quantidade de temas.



Pergunta: Nemesis, a Estrela da Morte ou irmã gêmea do Sol existe?

Antes de falar em Nibiru é importante falar sobre a possibilidade, muito provável por sinal, de que exista alguma estrela (anã marrom ou branca) ou algum planeta com a massa equivalente a de Júpiter além da nuvem de oort e que seria o responsável pelos limites bem definidos do cinturão de kuiper assim como pela excêntrica órbita de Sedna (vemos ambos na imagem acima). Se tal orbe existir ele ainda está bem longe do sistema solar e nada indica que esteja em rota de colisão para adentrar no sistema solar, pois tal movimentação causaria perturbações tanto no cinturão de Kuiper como na própria órbita de Sedna. Portanto, se esse astro existir e se for uma estrela anã marrom, branca ou até mesmo vermelha, então é bem provável que ela seja a estrela que compõe o sistema binário com o nosso Sol, visto que na maioria dos sistemas solares existem estrelas binárias formando o sistema. Mas mesmo que tal astro seja o “segundo sol” ele não está em rota de colisão com o nosso sistema solar e nem jogando algum planeta ou estrela na direção do nosso sistema solar ou da Terra.

Para saber mais do Cinturão de Kuiper, Sedna e Eris, entre no link a seguir do blog: AQUI 

Para complementar o assunto, de 2007 a 2011 os astrônomos estudaram a região próxima do cinturão e da órbita de Sedna com o 2MASS (Micron Two All Sky Survey) que rastreou a região em 3 comprimentos de onda infravermelha diferentes e descobriu 173 anãs marrons, todas muito longe do sistema solar. Se existisse alguma outra estrela, mesmo com brilho fraco, nas imediações daquela região ela teria sido rastreada pelas lentes do 2MASS.

Sobra a possibilidade da existência de um planeta massivo agindo sobre o cinturão e a órbita de Sedna, mas mesmo assim muito distante e sem qualquer indicativo, pelo comportamento do cinturão e de Sedna, que esteja vindo na direção do Sistema solar.



Pergunta: Mas e Ramatís? Ele não fala em Mensagens do Astral a respeito de um astro higienizador?

Falei sobre esse tema no link a seguir: AQUI   

Expliquei, inclusive, que o tal astro que será visível no céu não será um planeta ou uma estrela anã invadindo o sistema solar, mas tão somente uma materialização temporária da egrégora do Sol das Trevas, após ser retirada da Terra no dia do juízo ou ápice da Tribulação (retirada essa que eu explico em pormenores no livro A Bíblia no 3° Milênio), envolta do asteróide Apophis antes que ele caia na Terra e essa materialização temporária será vista no céu com espanto pelos astrônomos como um planeta que surgiu, aparentemente, do nada. Inclusive o próprio Ramatís afirma que a principal ação é da aura energética do astro, a nível astral.

Eis o que foi dito no link acima:

Vejamos o que é dito no início do capitulo 12 de “Mensagens do Astral”:
Pergunta: - Por que motivo designais esse astro umas vezes como "intruso" e outras vezes como planeta "higienizador"?
Ramatís: – Denominamo-lo de astro "intruso" porque não faz parte do vosso sistema solar, e realmente se intromete no movimento da Terra, com a sua influência, ao completar o ciclo de 6.666 anos. Em virtude do seu magnetismo primitivo, denso e agressivo, ele se assemelha a um poderoso ímã planetário, absorvendo da atmosfera do vosso globo as energias deletérias, por cujo motivo o figuramos também como um planeta "higienizador". 13 (13) - Nota do autor espiritual: - Convém não esquecer que a ação mais importante do planeta "higienizador" é no mundo oculto; a sua aura magnética, em fusão com a aura terrena, então proporcionará o ensejo para a emigração coletiva de "Juízo Final".
Ou seja, a denominação “planeta” não é porque seja um planeta rochoso, mas sim porque irá agir como um gigantesco imã planetário.
E para validar ainda mais a minha interpretação do que foi dito por Ramatis temos no mesmo capitulo 12, página 187:
Pergunta: - Muitos que têm lido as vossas comunicações avulsas alegam que é um absurdo o volume de 3.200 vezes maior do que a Terra, que atribuístes ao planeta intruso. A passagem desse astro junto ao nosso planeta, e com tal volume, acarretaria talvez uma catástrofe em todo o sistema solar?
Ramatís: – “É que ao captardes o nosso pensamento confundistes o volume áurico do planeta com o seu volume material. Esse volume de 3.200 vezes maior do que a Terra não é referente à massa rígida daquele orbe, cujo núcleo resfriado é um pouco maior que a crosta terráquea. Estamos tratando da sua natureza etéreo-astral, do seu campo radiante e radiativo, que é o fundamento principal de todos os acontecimentos no "fim dos tempos". É o volume do seu conteúdo energético, inacessível à percepção da instrumentação astronômica terrestre”
Primeiramente Ramatís deixa claro que o médium não é infalível, pois esclarece que o volume referido é quanto a natureza astral do Astro e que essa natureza é o fundamento principal dos eventos denominados de “fim dos tempos”.
Outro dado interessante é que Ramatís não fala em massa rígida do astro intruso mas sim em núcleo resfriado um pouco maior que a crosta terráquea, crosta essa que é apenas a “casca do ovo” fininha que envolve o planeta Terra, com 60 km de profundidade e representa apenas 1% de toda a massa do  nosso planeta.
Se fôssemos compactar essa pequena quantidade de massa física da crosta terrestre, teríamos algo com tamanho próximo da Lua (que tem o equivalente a 1,2% da massa terrestre). Ora, se as profecias falam num astro sendo visto nos céus da Terra como um segundo Sol e passando tão perto do planeta, ele realmente não poderia ter tamanho “físico” muito maior do que a Lua. Se considerarmos que o núcleo astral do "astro" intruso vá se materializar, isso poderia ser por resfriamento? Sem dúvida, inclusive nos fenômenos de materialização de ectoplasma, o ectoplasma materializado se apresenta como substancia fria e úmida, exatamente o que pode e deve acontecer com relação a materialização da egrégora do Sol Negro na estrutura do asteróide Apophis, pois o espaço sideral acima da atmosfera terrestre é frio, ainda mais se o objeto estiver encoberto pela parte escura do planeta Terra, ou seja, o hemisfério onde for noite (a parte da Terra que não esta virada para o Sol durante o movimento de rotação), criando frio suficiente para facilitar o fenômeno.


Pergunta: Mas Zé, e as imagens de Nibiru feitas pelos telescópios? E as imagens que mostram um segundo Sol nos céus em diversas partes do mundo??

Respondi essa questão em 2012 no Facebook.  Existem diversos vídeos circulando no Youtube desde 2009 mostrando o interessante fenômeno.   
  
Na verdade esse tipo de fenômeno não é novo, existem filmagens dele desde 2009 (ou seja, 4 anos) e inclusive com imagens bem maiores de um suposto segundo Sol. Curiosamente, até hoje, nenhum astrônomo, seja amador ou profissional, conseguiu qualquer imagem óptico do suposto Nibiru, algo de se estranhar, pois um objeto supostamente com esse tamanho e brilho no céu seria facilmente visível por qualquer telescópio “meia boca”, algo que desde 2009 até hoje não aconteceu. Todas as imagens disponíveis circulando pela web são ou falsas ou de interpretação equivocada.
Em uma delas a imagem de um quasar é confundida com o suposto "Nibiru", em outra uma imagem da estrela V838 Monocerotis é confundida com o "temível" Nibiru e em outra imagem, feita por computador e atribuída uma suposta imagem de um radiotelescópio do pólo sul que sequer poderia tirar uma foto a cores de uma estrela ou planeta. Nos dois links abaixo eu mostro e explico essas imagens:

Link 01: AQUI 

Link 02: AQUI 

Mas voltemos a questão do vídeo: o astrônomo Jim Kaler definiu o fenômeno do Sol duplo como um efeito de refração ótica, causando uma ilusão de ótica (da mesma forma que a luminosidade que existe na Lua apesar de parecer que é da Lua, na verdade vem do Sol). Esse fenômeno físico e estudado pela ciência acontece pelo surgimento de uma imagem causada pelo desvio de luz refletido pelo objeto, ou seja, quando as partículas atmosféricas (que possuem água) refratam ou dobram a luz (a exemplo do que ocorre, por exemplo, quando olhamos pra uma poça d’água no chão refletindo a imagem que vem do céu). Perto do horizonte, onde o ar é mais denso, esse fenômeno da refração ótica é mais fácil de acontecer. Deixo um link do astrônomo Carlos Oliveira (Astropt) que explica mais profundamente o fenômeno trazendo vários exemplos de imagens):

Link "dois sóis" na china: AQUI 

Segue abaixo um vídeo que mostra “assustadores” dois sóis (e que nada mais é do que a refração da luz que vem do Sol em partículas da atmosfera): AQUI 

Vamos à próxima questão.

Pergunta: Mas o Washington Post, conceituado jornal americano, divulgou em 1983 que o satélite IRAS descobriu Nibiru, como me explica isso?

Falei sobre isso no link a seguir: AQUI


Pergunta: E os anunaki? O que você acha dos estudos de Zecharia Sitchin?

Sitchin foi um estudioso da cultura suméria, falecido em 2010 que se especializou em línguas semíticas para desenvolver o seu trabalho, compilado em 12 obras que falam, em outro temas, de Nibiru e a civilização anunaki. Segundo Sitchin, existiria um planeta chamado Nibiru que a cada 3600 anos passaria por dentro do sistema solar cruzando perpendicularmente a eclíptica.  Segundo a teoria de Sitchin, Nibiru seria um planeta que teria colidido com um planeta denominado Tiamat, que ficava entre Marte e Júpiter. Após essa primeira colisão, teria se formado a Terra e o cinturão de asteróides. Posteriormente, uma das luas de Nibiru teria caído em Tiamat ( suposta versão original da Terra) partindo o planeta em duas partes, que viriam a ser atingidas numa segunda passagem de Nibiru, o que causou a mudança de órbita de uma dessas metades criando o que supostamente seria hoje a órbita da Terra.

Segundo a teoria de Sitchin, Nibiru seria o lar de uma raça humanóide avançada (ou seja, possuíam corpos físicos como os hominídeos) denominada anunaki que seria equivalente aos nefilim descritos na Bíblia e chegaram pela primeira vez na Terra a aproximadamente 450 mil anos com o intuito de extrair ouro e outros minérios para levar ao seu mundo de origem e para isso criaram geneticamente o homo sapiens a partir de experiências genéticas do homo erectus com genes extraterrestres e que as referências dos sumérios de aproximadamente 2 mil anos A.c. seriam referências aos anunaki.
E o que eu acho dessas informações? Eu acredito, particularmente, que a história mais antiga da Terra encontra excelentes relatos na obra do Feraudy (que escreveu diversos livros sobre a Atlântida e um livro sobre Erg), assim como em muitos mapas e relatos da Teosofia sobre a Atlântida e que complementam algumas informações trazidas pelo Robson Pinheiro no capítulo 7 do livro Senhores da Escuridão. Juntando todas essas informações, podemos concluir que um grupo de aproximadamente 2 mil espíritos veio para a Terra, há aproximadamente 1 milhão de anos (e não 450 mil) e eram conhecidos como morgs segundo a obra do Feraudy ou dragões, segundo a obra do Robson Pinheiro. Vieram após destruir um mundo que ficava exatamente entre Marte e Júpiter e que era conhecido como Erg (o que varia da versão de Sitchin sobre a Terra ou Tiamat ser o mundo que estava localizado naquela região).
Os dragões vieram em grupo de 2 mil espíritos apenas como uma rápida parada para seguirem jornada de conquista sobre outros mundos, mas foram aprisionados na esfera terrestre pelos espíritos superiores. Tal aprisionamento aconteceu quando eles tentaram partir da Terra e seguir o caminho de domínio e conquistas em outros mundos da galáxia, evento que aconteceu há um milhão de anos e não a 40mil-12 mil anos (quando aconteceu o exílio de Capela e que alguns confundem tal exílio de alguns magos negros de Capela como sendo o exílio dos dragões)
Ao comparar essas fontes de informação é interessante notar algumas semelhanças: Sitchin fala de um povo vindo dos céus (os anunaki) invadindo e dominando a Terra que supostamente naquela época de 450 mil anos atrás ficava entre Marte e Júpiter, enquanto que Feraudy fala de um povo conhecido como Morg invadindo um mundo (Erg) que ficava entre Marte e Júpiter, em época ainda mais recuada.
Quanto ao estudo de Sitchin sobre a civilização suméria, abordando por ele na sua coletânea de 12 livros, existe um outro especialista em línguas semíticas que estudou as tábuas sumérias estudadas por Sitchin e chegou a conclusões divergentes, inclusive sobre a existência de Nibiru.
Esse especialista chama-se Michael Heiser, Ph.D. em hebraico bíblico e línguas semíticas da Universidade de Wisconsin. Parte do trabalho dele, em inglês, foi traduzido e comentado pelo professor Fábio Sabino e que está nos dois vídeos abaixo que somam no total aproximadamente 40 minutos:
Vídeo 01:


Vídeo 02:


Cabe a cada um comparar essas informações e formular o entendimento sobre o assunto. Da minha parte, após estudar todas as informações que expus neste post, eu concluo que não existe um planeta ou astro Nibiru que adentre o sistema solar a cada 3600 anos. 

No link abaixo, um texto que explica os mapas da Teosofia e o processo de evolução humana segundo a arqueologia, mostrando a época exata que os "gigantes" (nefelins ou anunakis) teriam chegado a Terra:

A História da Atlântida, Lemúria e dos Dragões 

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036

Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/ 

12 comentários:

Bruno disse...

José, e sobre toda essa questão do acordo de paz Israel x Palestina, você acha que daí sai alguma coisa, boicote a Israel, hoje eu li que o Irã enviou Navios para a fronteira marítima dos EUA em forma de represália, tem como fazer um panorama sobre o oriente médio para os próximos meses, caso você possua alguma informação a compartilhar, é claro.

Alianco Por La Freŝa Vetero disse...

E sobre as perturbações gravitacionais do planeta saturno por que um planeta daquele tamanho se inclinou? E a história que o suposto Nibiru so seria visto em infra vermelho e por que o Google sky fez uma tarja negra proximo a regiao da constelação de Leão?

José Alencastro disse...

Alianco, se tivesse lido o texto e clicado nos links que eu deixei, teria essas respostas. Tanto no texto como nos links todas as "evidencias" de Nibiru caem por terra é só ler que as fontes estão lá.

Cabo Julião disse...

Caro José,
Mas neste caso os livros do Robson Pinheiro não servem mais como fontes para questionar Zacharias Sitchin. Desde "Senhores da Escuridão" que as notas de rodapé praticamente ratificam as teorias dele. No livro "Os Guardiões", Ângelo Inácio praticamente assina em baixo dos escritos de Sitchin. (sem falar em Crepúsculo dos Deuses).
O curioso é que o Robson já anunciou que a próxima trilogia do Angelo Inácio se chamará: “Crônicas da Terra”, inclusive para explicar porque a Divindade permitiria que os Dragões explodissem um planeta inteiro. O mesmo nome da série de Sitchin dos anos 70. Eu li esses livros na adolescência porque gostava muito da obra de Ramatis por Hercílio Maes.
Eu até já te fiz uma pergunta sobre um vídeo do Robson no youtube exatamente sobre esse tal astro intruso.
Você está corretíssimo, pelo menos com base científica não existe qualquer planeta gigante nas imediações do Sistema Solar. O que se fala é de “anomalias” nas rotas de cometas, etc. Conspiração da NASA? Não acredito. Existem outras agências e astrônomos independentes. Continuo gostando do Ramatis, bem como das obras do Ângelo Inácio... Mas espíritos não são deuses, muito menos médiuns os são.
Obrigado por compartilhar mais uma vez.

Danton

José Alencastro disse...

Pois é Danton, o próprio Robson já demonstrou em uma palestra que acredita nas teorias do Sitchin. Convergências e divergências são normais, da mesma forma que o próprio Robson acredita que Jesus é o Cristo Planetário e criador da Terra e Ramatis discorda, da mesma forma que Chico e Ramatis afirmam que Marte é um mundo superior a Terra e a Codificação diz exatamente o contrário, isso sem contar em algumas teses "roustanguistas" defendidas na obra de André Luiz que são contrárias as obras da Codificação.

Todo médium é livre para crer naquilo que achar mais sensato. No meu caso, depois de todos os estudos expostos aqui, não tenho como apoiar a existência de Nibiru ou das teorias do Sitchin, mesmo que isso vá contra uma legião de pessoas, inclusive espiritualistas, que acreditam piamente em tais teorias.

Infelizmente ou felizmente, pra mim, eu prefiro divulgar uma informação com uma base lógica e racional mesmo que "impopular" do que apoiar uma idéia que a maioria acredita ou é mais popular. Muita gente, mas muita gente mesmo ainda acredita que um tal planeta errante ou "Nibiru" esteja vindo em direção da Terra, da mesma forma que muitos acreditam em teorias sobre 2012 ou do sistema solar orbitando Alcyone.

Mas como a minha preocupação maior é manter a coerencia com a lógica e a racionalidade acima de qualquer apoio a teorias populares só porque estas trazem mais visibilidade ou audiencia, então eu me sinto bem tranquilo em contrariar a opinião de muitos que acreditam em Nibiru ou algum planeta ou astro vindo em direção do sistema solar, da mesma forma que fiz com a profecia de 2012.

Abraço

Alianco Por La Freŝa Vetero disse...

Sobre opiniões pessoais de médiuns... Sobre o Papa Negro você errou suas interpretações e como você escreve seus posts e livros com tanta certeza? Você não poderia errar de novo?

Alianco Por La Freŝa Vetero disse...

José, para você , qual é a Principal diferença entre a Obra Apocalipse de Robson Pinheiro e a Bíblia do Terceiro Milênio que você escreveu?

José Alencastro disse...

Alianco, uma coisa é você se basear apenas em uma interpretação pessoal, outra coisa é você se basear em um cruzamento de diversas profecias de profetas confiáveis. No caso do último papa existiam apenas pistas, alguém que viria de longe, viria daquele que é o oitavo, alguém com avançada idade.

A questão principal do livro é diferente pois se baseia em um cruzamento maior de informações e informações claras, como os 70 anos a partir da restauração de Jerusalém, permitindo um espaço muito menor para erros pessoais do medium.

Quanto a questão de Nibiru não é uma questão de interpretação, mas de dados científicos, simplesmente não há a menor possibilidade de algum planeta ou estrela anã estar nas imediações do sistema solar pois tao ação seria percebida tanto na orbita de Sedna como do cinturão de Kuiper.

Quanto a comparação dos dois livros compre ambos, os compare e veja quais são as diferenças

Gilson Nogueira de Almeida disse...

PORTAL - GNA - GRUPO DE NATUREZA ALIENÍGENA - GNA

Agradêço pelo momento em especial, e longe de determinar ou postular informações, considero que diante do texto acima, perguntas e respostas, defino posições favoráveis as dúvidas sobre a presença física ou não do Astro x - Planeta x - Hercólubus - Astro Intruso e etc...
Acredito que de uma forma ou de outra,m este Astro vai aparecer, não porque queremos, más por ser a razão de resolver a limpeza no Astral Terrestre e realmente higienizar para que a Nova Terra e os Novos Céus sejam realidades. Profeticamente falando, tudo já foi revelado. Acredito muito, e intuitivamente recebi informações que este irá se materializar em nosso Sistema Solar, e como se daria esta materialização, talvez seja diante de abertura de um gigantesco Portal. De uma forma ou de outra, relativos fatos e ainda imagens mais detalhadas ainda não mostraram que os Vídeos apresentados de sua presença em várias partes do Mundo foram comprovados pelos estudiosos e cientistas. ATT - GILSON NOGUEIRA - PORTAL - GNA - www.portal-gna.blogspot.com.br

José Alencastro disse...

Olá Gilson, nao existe qualquer prova, argumento ou indicio cientifico de Nibiru ou astro intruso, todos os argumentos que voce expos já foram refutado há anos, a historia do IRAS em 1983, as supostas fotos, não existe qualquer argumento cientifico para a vinda de um astro intruso e menos ainda o que é descrito na obra do Zecharia Sitchin com 3600 anos de orbita.

Crença qualquer um pode ter na existencia de tal planeta, mas o fato é que nao existe qualquer argumento cientifico sobre a existencia dele e os links e textos do post acima comprovam isso com sobras.

Robert Garcia Rodrigues disse...

Olá José! Li todos os comentários e concordo com você integralmente, especialmente nessas questões divergentes, pois opiniões pessoais são bem diferentes de estudos aprofundados usando métodos eficazes como a comparação metódica das profecias. Porém tenho uma pergunta. No livro de Ramatís, que eu li também, essa afirmação de 6.666 anos sempre me intrigou. Que astro é este que ele afirma, já que o Apophis não poderia ser jamais. Seria o Gliese 581D, para onde irão os draconianos e magos negros?

José Alencastro disse...

Então Robert. Se considerarmos integralmente o relato desse trecho, descartando qualquer espécie de animismo do médium, temos as seguintes informações: é um astro, sua massa equivale a massa lunar (portanto não seria nem um planeta rochoso e nem uma estrela anã) e sendo assim a maior chance é que seja um gigante gasoso. A questão é que as opções plausíveis seria a de um objeto transnetuniano na região da nuvem de oort, só que com um tamanho maior do que o de Sedna (7 vezes) e com a metade da órbita de Sedna (que é de 11.500 anos aproximadamente). Mesmo assim tal objeto não passaria próximo da Terra ou, como na teoria de Sitchin, "cortando" a ecliptica entre Marte e Júpiter. Outra hipotese, levantada há alguns anos e descartada recentemente seria a de um gigante gasoso com as dimensões de Júpiter dentro da nuvem de oort próximo a netuno com o nome de "tyche". Creio particularmente que o astro que será visto no auge dos eventos não virá de fora do sistema solar e nem tem tal órbita descrita de 6.666 anos, mas tão somente será a materialização de uma grande estrutura astral que atuará no exilio planetário e fará com que vejamos algo parecido com uma segunda lua nos céus e que após algumas horas se desmaterializará. Qualquer estrela ou planeta massivo que estivesse nas imediações do sistema solar ou já adentrando regiões da ecliptica proximas de Marte ou Júpiter, como preconizado nas teorias de Sitchin, causariam perturbações profundas nos planetas proximos da Terra, o que nos permite claramente descartar as teorias de que "Nibiru' passará próximo da Terra, Vênus ou outro planeta próximo em 2015.