3 de abr de 2015

Shemitá, Tsunami em 2015, Luas de Sangue e Sinais do Ápice do Apocalipse para 2036

apophis, shemitá 2035-2036, sinais do apocalipse, lua de sangue


Lua de sangue chegando dia 04 de abril e o tema volta ao debate... Recebi no fórum um interessante vídeo do leitor MM93 mencionando o trabalho do rabino Jonathan Cahn com um estudo sobre os ciclos de shemitá e suas ligação com grandes eventos de ascensão e queda, não apenas dos Estados Unidos como eventos de ordem global. O vídeo está disponível aqui:



Da mesma forma que na cultura hebraica existe o shabat para o homem, ou seja, o sétimo dia da semana que é para o descanso, a terra também possui o seu shabat, que é o sétimo ano dentro de um período de sete anos. Exatamente no ano sétimo novo judaico (Rosh Hoshná) , que ocorre entre final de setembro e início de outubro segundo o calendário ocidental acontece o shemitá (7º Rosh Hoshná de um período de 7 anos).

Segundo a teoria apresentada por Jonathan Cahn (ver o vídeo) o período de setembro de 2014 a setembro de 2015 (que compreende um shemitá) poderá trazer algum evento significativo para a economia americana.  Outro argumento utilizado pelo rabino é que teremos um eclipse solar parcial dia 13 de setembro de 2015 e uma lua de sangue dia 28 de setembro, 15 dias depois e que esses seriam os sinais descritos pelos profetas bíblicos (a lua ficando vermelha como sangue, o sol escurecendo). 

A questão é que Jonathan esqueceu-se de algumas questões importantes: no Sermão Profético quando alguns sinais são descritos, Jesus cita a profecia de Daniel dos 70 períodos e durante o capítulo 12 do Apocalipse um dos sinais citados é de "uma virgem vestida de sol com a lua a seus pés" e no próprio Apocalipse, capítulo 09 é mencionado um conflito de 5 meses que precede o Armagedon (tal conflito teria que começar em abril e arrastar todas as nações do planeta para o Armagedon em setembro e o auge dos eventos profetizados na Bíblia)

Aqui temos um problema, pois 2015 não têm qualquer ligação com a profecia dos 70 períodos de Daniel e, além disso, o Sol passa pela constelação de Virgem (a virgem vestida de Sol) apenas ao final de setembro e esse, segundo o Apocalipse é o primeiro de uma série de sinais e não o sinal derradeiro. Além disso, a lua estaria aos pés da constelação, o que não aconteceu em setembro de 2014, o que demonstra que apesar das observações sobre os ciclos de shemitá estarem corretas, não será nesse shemitá (2014-2015) que veremos o auge do Apocalipse.


Um grande evento em 2015

Como já expliquei em textos anteriores do blog e sobretudo no texto com as previsões para 2015 publicado no dia 2 de janeiro, existem duas profecias, de Nostradamus e Parravicini, apontando para um evento de proporções mundiais quando o papa estivesse nas Américas e quando tivéssemos dois papas. Considerando a idade avançada de Bento XVI, a cada ano essa profecia fica mais próxima de ocorrer e pode ocorrer durante o shemitá que termina em setembro de 2015. Vale ressaltar que esse ano o papa Francisco visitará a América do Sul em julho e os Estados Unidos em setembro. Então poderemos sim ter um grande evento, nas não o auge dos eventos (nem Armagedon, nem Nibiru, nem nova era). O texto com essas profecias de Parravicini e Nostradamus está AQUI 



Parravicini profecia papa na América


"O Papa se afastará do Vaticano em viagens e chegará à América, enquanto a humanidade cairá” (Parravicini)

Na imagem aparece o desenho do papa e da Igreja sobre as águas e boiando uma garrafa com o dizer "humanidade" dentro. Indicação de um evento pelas águas. Recebi inclusive da leitora Andréa a informação de que em vários estados ao leste dos Estados Unidos uma mensagem de alerta passou em várias tvs por vários minutos, como uma espécie de teste (preparação) para um evento futuro que exija um alerta real. O único evento que poderia atingir esses estados ao mesmo tempo seria um tsunami vindo do Atlântico, exatamente por um evento ocasionado pelo Cumbre Vieja. As imagens replicadas no Twiter podem ser vistas AQUI 


Centúria e quadra profetizando dois papas


"O que penúria! Mas dois grandes de “bons ares” Por terra e mar socorrerão todas as partes” (Centúria III, Quadra V)

Temos dois papas, um é europeu e o atual é das Américas. Um santuário de Nossa Senhora de Bonaria existe na Argentina (Américas) outro na Europa (Cagliari, na Sardenha). A profecia parece indicar então essa associação entre os dois papas e os dois santuários de "bons ares"

Centúria 3 multiplicada pela Quadra 5 = 15 (2015) Será?

Sobre a questão do Jubileu judaico: AQUI 


Shemitá 2035-2036 e o Auge dos Eventos

Então qual seria a ligação do shemitá com o auge dos eventos em 2036? A primeira delas é que teremos um shemitá entre final de setembro de 2028- setembro de 2029 e início de outubro de 2035 a outubro de 2036 e dentro desse período teremos as duas passagens próximas do asteróide Apophis, em abril de 2029 e 2036.

Temos ainda profecias de Parravicini e Nostradamus apontando que os 5 meses que precedem o Armagedon se iniciam em maio de 2035 e vão até outubro (quando começa o shemitá). Essas profecias estão aqui:





Não bastassem esses indicativos proféticos, exatamente no primeiro dia da shemitá em 2035, 04 de outubro teremos o Sol passando pela constelação de Virgem com a Lua quase "colada" aos "pés" da constelação, exatamente o sinal descrito no capítulo 12 do Apocalipse. João descreveu exatamente a "foto" do céu no dia do Hosh Roshná/ Shemitá de 2035, o último período da profecia de Daniel citada por Jesus no Sermão Profético e deixou a pista: "a lua estaria sob os pés da Virgem" algo que é pouco comum (podem conferir utilizando o programa Stelarium).

Além disso, os 70 períodos da profecia de Daniel iniciados com a restauração de Jerusalém aos hebreus em 1967 termina exatamente em 2036, sendo que antes de abril de 2036 (queda do asteróide) teremos um eclipse lunar e um eclipse solar no mesmo mês em fevereiro de 2036. Ou seja, o raciocínio do rabino sobre os ciclos de shemitá está correto, elas demarcam grandes eventos, o erro foi colocar a shemitá de 2014-2015, pois não há nada na profecia dos 70 períodos de Daniel citada por Jesus entre os sinais do Apocalipse e ao mesmo tempo não existe o sinal do sol passando pela constelação de virgem com a lua a seus pés entre 2014 e 2015. É provável sim que tenhamos um evento significativo em 2015, não apenas pelo shemitá, mas pelas profecias de Parravicini e Nostradamus que apontam nessa direção, mas não para Armagedon ou auge do Apocalipse

A linha do raciocínio de Jonathan Cahn está correta: existe uma interligação entre as profecias, sobretudo as do Sermão Profético, Daniel capítulo 09 e Apocalipse capítulo 12 que falam sobre a cronologia do Apocalipse e seus sinais, entre eles eclipse solar, lua de sangue e "uma virgem vestida de Sol com a lua a seus pés" e uma interligação entre esses sinais com o calendário das principais festas judaicas em ORDEM CRONOLÓGICA.

Esse foi o tema principal da última palestra que eu fiz com mais de 2 horas e que fala exatamente sobre isso (em breve estará disponível no Youtube), com informações inéditas em relação ao blog e em relação A Bíblia no 3º Milênio. Na palestra que fiz em março de 2015  interpretei por completo todo o Sermão Profético, resumindo de forma clara e sintetizada a cronologia do Apocalipse e os sinais contidos no capítulo 12. Todo esse material será compilado em um pequeno livro, que servirá como base e resumo simplificado para aqueles que já estudaram ou desejam estudar o conteúdo mais profundo e completo das profecias na Bíblia no 3º Milênio.

Essa cronologia do capítulo 12 do Apocalipse está explicada AQUI 


Cronologia dos Eventos – Sinais e Calendário Judaico


Os sinais do Apocalipse de 2035 -2036


O primeiro dia do shemitá em outubro de 2035 demarca o sol passando pela constelação de virgem com a lua a seus pés. É o primeiro sinal descrito no apocalipse capítulo 12.

Quando o Sol passar "dentro" da constelação de Virgem e fizer conjunção com a estrela mais brilhante (Spica) e assim a Virgem "der a luz" será exatamente 18 de outubro, diz exato em 2035 da festa do sucot (a primeira das duas colheitas celebradas no ano judaico).

Em fevereiro de 2036, dias 11 e 27 acontecerá os sinais, um eclipse solar e uma lua de sangue.

Dia 11 de abril começa a Pessach, a páscoa, que simboliza o início da primavera. No mundo cristão esse período simboliza, todos os anos, A VOLTA DE JESUS, quando ele ressuscita e fica 40 dias materializado entre os homens após ter sido crucificado. Por isso Jesus falou no Sermão que seria "como nos tempos de Noé" no qual "choveu" por 40 dias. Mas também diz que "aqueles dias seriam abreviados", pois o Apocalipse e as Escrituras falam "no dia do senhor", "o dia da ceifa", que simboliza não o Yom Kipur judaico, mas sim a colheita (ceifa)

Eclipse, lua de sangue e sinais no sermão profético


A partir da Pessach (11 abril de 2036) temos a contagem do Omer (49 dias ou 7 semanas) período que a cevada e outros grãos são colhidos e ao final, no 50º dia ocorre o Shavuot, festa que celebra a colheita do trigo, a separação do joio e do trigo, exatamente no final da primavera e início do verão, mencionado por Jesus no Sermão profético quando ele fala da geração dos frutos na figueira e menciona que tudo aquilo que ele estava profetizando aconteceria DURANTE ESSA GERAÇÃO , ou seja, durante a contagem do Omer.

Espiritualmente isso se explica claramente, pois após o desencarne de bilhões de pessoas (metade da humanidade) a separação do "joio e do trigo", ou seja, quem permanecerá na Terra e quem será exilado, só poderia acontecer após findados os eventos no mundo físico e os espíritos que fossem exilados já estivessem desencarnados. Considerando que o auge dos eventos físicos será em 24 de abril de 2036 e o final do Omer em 2036 será bem no fim de maio, com a separação do joio e do trigo, temos a exata cronologia dos eventos, com o período entre final de abril de 2036 e final de maio de 2036 como os dias que os futuros exilados já desencarnados serão encaminhados para o mundo exílio.

Podemos então compreender que o rabino Jonathan Carter chegou perto, mas faltou "o pulo do gato" que seria exatamente considerar as profecias (Daniel cap 9) e os sinais além dos eclipses, que foram citados no sermão profético e no Apocalipse para que ao unir todas essas profecias ele chegasse ao ano de 2036 ao invés de considerar 2015 como auge dos eventos do Apocalipse. É por esses motivos que o estudo comparativo e amplo das profecias evita equívocos, como o foram a "profecia maia 2012" ou "nova era em 2012", pois bastaria apenas comparar as profecias mais confiáveis do mundo para observar que nem em 2012 e nem em 2015 teremos auge do Apocalipse, a não ser que Daniel, Jesus, João no Apocalipse, Nostradamus e Parravicini (apenas para citar alguns) tenham combinado de errar em conjunto, o que devido ao grande número dos seus acertos é bem improvável.


Nova Palestra e Novo Livro sobre 2036

Espero que após a divulgação do vídeo da palestra (realizada em março e em processo de edição) e em breve o lançamento de um pequeno livro (de no máximo 150 páginas) as questões ligadas ao auge dos eventos em 2036 e sua cronologia mostrada nas profecias fique mais "palatável" devido ao grande número de informações contida no blog e na A Bíblia no 3º Milênio o que pode dificultar o estudo mais básico e resumido devido a amplitude e quantidade das informações ali mostradas.

Acredito que assim possa facilitar o estudo sobre o auge dos eventos do Apocalipse, permitindo um estudo mais fácil sobre a transição planetária e a vinda da nova era após o exílio planetário em 2036, evitando confusões como a que alguns fizeram em 2012 e esclarecendo algumas questões importantes sobre 2015 e sobre eventos em outros anos antes de 2036, mas que serão eventos que ainda não representarão o auge dos eventos. 


Dessa forma acredito que um número maior de leitores, interessados no tema profético, compreenderão melhor o desenrolar dos eventos da transição planetária, com base nos estudos comparativos das profecias dos profetas mais confiáveis do mundo, uma bússola verdadeiramente segura apontando para uma direção correta nesses estudos, sobre os sinais do Apocalipse (eclipse solar e luas de sangue) o Armagedon e a vinda da serpente primitiva (Apep) nas asas (voando) da abominação trazendo através do asteróide Apophis em 2036 o auge dos eventos da transição planetária   


Facebook Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias o Ápice em 2036:
  

27 comentários:

Marta Lopes disse...

Este conjunto de informações tem sido muito importantes para compreensão dos eventos vindouros.

Marta Lopes disse...

O próximo Shemitá, entendi que já está ocorrendo o fechamento do seu ciclo de 7 anos. É necessário observar os fatos mundiais de grande relevância e suas consequências. Gostei muito da matéria do vídeo.

José Alencastro disse...

Olá Marta. O shemitá que estamos vivendo iniciou-se em setembro (final) de 2014 e vai até setembro de 2015, pois a contagem de 7 anos se iniciou no Rosh Hashná (ano novo judaico) ao final do shemitá anterior (setembro de 2008, primeiro ano depois do shemitá). Temos então 2008, 09, 10, 11, 12, 13 e o sétimo ano em setembro de 2014 com um novo shemitá, que dura um ano.

O fina desse shemitá coincidirá com um eclipse solar, uma lua de sangue e uma visita do papa aos Estados Unidos, o que somado as profecias do Parravicini e Nostradamus sobre dois papas e um grande evento quando o papa estivesse nas Américas, apontam que algo significativo está pra acontecer em 2015.

Vamos aguardar :)

Caetano Motta disse...

Olá, gostaria de saber se tu tens uma resposta pra essa duvida que tenho!!
Nessa época de páscoa está passando muitos filmes da vida de Jesus. Gostaria de saber se era necessário todo esse processo de crucificação??
Se o homem tem o livre arbítrio tudo aquilo não poderia ter sido evitado?
Abraço, Caetano.

José Alencastro disse...

Olá Caetano

Essas são questões que eu abordei no capítulo 12 da A Bíblia no 3º Milênio sobre a vida de Jesus, capítulo com quase 70 páginas que eu disponibilizo gratuitamente em pdf pra quem quiser :)

Jesus ao encarnar sabia que não teria muitos anos de vida. O processo para que um espírito da sua estirpe sideral encarnasse demandou séculos de trabalho para permitir que por alguns anos o seu espirito pudesse permanecer aprisionado em um corpo físico. Considerando o nível evolutivo de Jesus a morte física pra ele seria uma libertação.

A missão de Jesus era exatamente ensinar e mostrar não apenas a lei de amor, mas a realidade da vida espiritual. O grande impacto da crucificação do Messias aconteceu exatamente por ele ser querido por boa parte dos judeus, sobretudo os mais pobres (ebionitas) e os zelotes, transmitindo a mensagem de que eles, que seriam os primeiros cristãos, deveriam seguir o seu exemplo e resistir bravamente contra o Império Romano e contra o Sinédrio, uma resistencia baseada na fé, exatamente como os primeiros cristãos que foram jogados as feras no circos romanos e ante a inevitável morte cantavam e não perdiam a fé.

A missão de Jesus não era libertar Israel do jugo romano, mas sim manter viva a sua mensagem de fé sobre a realidade da vida espiritual e nenhum exemplo seria mais claro do que um crucificado retornando da morte, aparecendo em um corpo glorioso (de luz) materializado mostrando que mesmo diante do mais terrivel martirio a vida espiritual existia e era essa a fé que ele demonstrou com o seu sacrificio, inspirando milhões a resistir da mesma forma, não a lutar por um exercito ou por um reino,mas pela fé de que a verdadeira vida estava e está muito além do corpo físico.

A idéia da reencarnação é facilmente identificada na Bíblia, na cultura judaica (tema que abordo também no livro), tanto que os cristãos primitivos eram reencarnacionistas.

Jesus morreu na cruz pois sabia que nos séculos vindouros, em um mundo de expiação e provas exercitos tentariam usar a religião para justificar o poder material, por isso os cristaos primitivos foram tao perseguidos, pois reconheciam apenas o poder espiritual a ponto de não temerem a morte física e as perseguições que sofriam. E essa fé veio exatamente do exemplo de Jesus, da ressurreição comprovando a vida após a morte.

Se Jesus tivesse encarnado no meio de uma civilização regenerada, como será a Terra após o ápice do Apocalipse, certamente ele não teria sido crucificado. Jesus facilmente poderia ter evitado sua crucificação, Pilatos não desejava crucifica-lo (falo sobre isso no capítulo 12), boa parte da população que assistia seu julgamento gritava pelo "Filho do Pai" (Bar'Abbas), os zelotes rapidamente com a população teriam iniciado uma revolução ali mesmo ( o que aconteceu anos depois com a revolta de Massada), mas o proprio Jesus se condenou em publico (quando então Pilatos lavou as mãos e deixou que o Messias fosse condenado), pois sabia que não teria mais do que algumas horas de vida, suou sangue pra não ter morrido por derrame, seu corpo já nao suportava mais aprisionar um ser de tamanha luz. O exemplo final de amor pela humanidade e a ressurreição foram o coroamento da sua missão, a libertação da carne para mostrar a verdadeira vida do espirito, exemplo que inspiraria milhões séculos depois, até que a humanidade estivesse pronta para novamente estudar de forma mais profunda a realidade da vida espiritual e da reencarnação.

david cleber disse...

em no mês de Setembro de 2015 tem o Eclipse solar dia 13 , Lua de Sangue dia 28 e também sol de virgem dia 23

José Alencastro disse...

David, o sinal descrito no Apocalipse cap 12 é a virgem vestida de sol (acontece em todo final de setembro/inicio de outubro simbolizando o Rosh Hoshná ou ano novo judaico) PORÉM o sinal completa: COM A LUA A SEUS PÉS. Vai no Stelarium e veja aonde a Lua está dia 23 ou qualquer outro dia próximo de setembro no ano de 2015 (bem longe dos "pés" da constelação). Agora, bota lá dia 4 de outubro de 2035 (ano novo judaico e o Sol na constelação de virgem) e veja onde a Lua está (colada nos pés da Virgem, logo abaixo)

Não bastasse isso, Jesus citou como outro sinal claro a profecia dos 70 periodos de Daniel que começou com a restauração de Jerusalém (Dn 9:27), ou seja, em 1967 e termina 70 anos depois (pois Dn 9:2 define um periodo como um ano), ou seja, conta 70 anos a partir de 1967 e você chega em 2036, sendo outubro de 2035 a METADE DO PERÍODO FINAL da profecia de 70 anos/periodos e anuncio do Armagedon

Desprezar esses dois sinais ditos nas profecias biblicas (citação aos 70 periodos da profecia de Daniel e a lua aos pes da Virgem quando o Sol passasse pela constelação) é o erro decisivo que faz alguns verem fim de mundo ou Armagedon em 2015 e aqueles que interpretam corretamente a profecia, apontando para a janela entre outubro de 2035 e abril de 2036

Abraço

José Alencastro disse...

Pra confirmar que o ano novo judaico de 2035 começa exatamente no dia 04 de outubro, basta entrar no conversor de datas do site chabad, marcar o mês de Tishrei, no dia colocar 01 e o ano de 5796, clicar em próximo e ele mostrará quando se inicia o ano novo judaico em 2035. O link do site é esse aqui:

http://www.pt.chabad.org/calendar/1000year_cdo/aid/900173/jewish/Conversor-de-Data.htm

Quanto ao stelarium, o site é esse aqui, é bem intuitivo e fácil de manusear, com uma pequena barra menu horizontal e outra vertical:

http://www.stellarium.org/pt_BR/

Essa é a versão já em português do Brasil. Lá da pra conferir a posição da lua no céu em qualquer dia e horário do ano, inclusive em relação a constelação de Virgem.

Flávio Henrique Fernandes de Souza disse...

Olá José, tudo jóia? Amigo, como será que a interpretação dessas profecias se encaixam com o prazo de 50 anos que o Chico Xavier nos deixou? Estes 50 anos (que se encerram em 2019), deveriam coincidir com o fim da política de acobertamento dos ovnis e das raças de et's pelos governos do mundo. O que imagino, seria com eles se mostrando de uma vez por todas para toda a humanidade. Se assim for, este intercâmbio nos proveria de um conhecimento e de uma tecnologia sem precedentes. Ora, como os eventos posteriores a esta data, como alianças sino-islâmicas, papados e outras religiosices e papagaidas do gênero se sustentariam? A simples certeza de que não estamos sós no universo, não seria o suficiente para destronar religiosos e religiões decrépitas da face da Terra? Não seria o suficiente para unir toda a raça humana sobre uma única bandeira?
Grato desde já por suas sempre instrutivas moderações.
Flávio Henrique Fernandes de Souza

José Alencastro disse...

Olá Flávio. Primeiramente não existe profecia alguma do Chico sobre 50 anos, vinda de nova era em 2019 ou contato com Ets em 2019. Nos livros "Brasil Coração do Mundo" e "Plantão de Respostas volume 2" ele esclarece que a nova era só começará pelos idos da década de 50. Além disso, no video do programa Pinga Fogo ele nao fala em momento algum que se evitassemos uma guerra de exterminio atomica entrariamos em uma nova era , ele diz que se evitassemos guerras de exterminio (no plural) e sem citar que essas guerras seriam exclusivamente atomicas, ai sim entrariamos numa nova era, ou seja, a "nota de corte" era não fazer qualquer tipo de guerra com o uso de qualquer tipo de armas, mostrando assim que a Terra já poderia receber o contato de civilizações regeneradas de outros orbes.

O problema da humanidade não é falta de tecnologia mas sim falta de moral. O problema da humanidade não é falta de conhecimento, mas sim falta de moral. Os Ets bons nada mais são do que espíritos bons, assim como os mentores e espiritos iluminados que nos assistem no plano astral, a unica diferença é que eles vivem em outros orbes e estão temporariamente na esfera terrestre ajudando na transição (periodo final da Era de expiação), tão somente isso.

O que alguns ainda não entenderam é que a Terra ainda é um mundo provacional pois ainda necessita servir de escola de provações e expiações para almas atrasadas, que tem direito a sua ultima encarnação antes do fim desse estagio, que será simbolizado por um exilio planetário em massa, a separaçao do joio e do trigo. Ocorre que nessa "galera" a grande maioria apesar de ter direito a derradeira chance reencarnatório vai "rodar de ano" no ciclo evolutivo, entorno de 2 terços das almas, que não possuem o menor interesse em buscar uma transformação moral interior. E pra essas almas é necessário vivenciar provações e expiações, só que juntas, encarnadas, numa escala global, pois ocorrerá um exilio de BILHÕES de almas, por isso é que Ets, naves e o próprio Jesus não intervém diretamente, pois esses acontecimentos já profetizados há séculos são necessários para o ciclo evolutivo dessas almas e para a própria Terra para que ocorra o exilio.

José Alencastro disse...

Sobre a suposta profecia de "nova era pra 2019" eu falei em dois textos sobre o tema:

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2015/01/a-profecia-de-2019-reloaded.html

https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036/photos/a.366298710058766.83206.360490373972933/857438024278163/?type=3&theater

A raça humana somente vai se unir quando a Terra for habitada por almas sintonizadas com um mundo regenerado, ou seja, mais preocupadas com o crescimento espiritual e coletivo do que com os valores da matéria (luxo, fama) e do egoísmo. Enquanto 2 terço das almas da Terra forem rebeldes, materialistas, egoistas não há Jesus ou ets que mudem isso, seria o mesmo que tentar ensinar a formula de baskára para crianças que estão a recem aprendendo a somar. A função das altas hierarquias espirituais é evitar a destruição do mundo por uma guerra atomica e não unir o mundo em uma mesma ideologia de amor e fraternidade, pois essa união somente vai ocorrer quando as almas rebeldes forem apartadas do orbe.

Abraço

BVB disse...

José, você tocou num ponto que tenho particular interesse: seres de outros planetas.

Você acha que há possibilidade de um encontro noticiado mundialmente? Minha impressão é que isso só aconteceria após os eventos de 2036, como forma de impulsionar a tecnologia e conhecimento.

Gostaria de lhe indicar um vídeo que gosto muito, se chama "A mensagem de Arecibo", está o youtube. Se possível, poderia fazer um comentário sobre a viabilidade da mensagem?

Abraços.

david cleber disse...

Obrigado pelas respostas
em e para você quando os mortos vão volta a vida neste ano?

José Alencastro disse...

Depende de quais "mortos" David

Se os "mortos" que você se refere são os espíritos desencarnados que passaram pela experiência da morte (que abandonaram a carne, desencarnaram) esses após certo período na erraticidade (período entre uma encarnação e outra), vivendo nas colônias espirituais ou cidades astrais, periodo que varia normalmente de 30,40, 50 anos, retornam a Terra através da reencarnação, em um novo corpo físico carnal gerado nas "águas" do útero materno através da reencarnação, visto que é o espírito imortal e que pode herdar o Reino dos céus e não o corpo carnal, que segundo João não pode herdar o céu e segundo Jó ao descer a sepultura se desfaz como a nuvem no céu, algo inclusive comprovado pela ciencia, pois as moleculas e atomos do corpo fisico em decomposição são absorvidos pelo solo e transformados em novas formas moleculares.

Agora, se os "mortos" que você se refere são os cadáveres físicos ou despojos físicos que o espírito imortal abandona durante o desencarne, caracterizando o fenômeno morte, esses não ressuscitam, pois segundo a própria Bíblia ao serem enterrados na sepultura jamais tornam a subir das covas (ressuscitar):

"Da mesma maneira que a nuvem se esvai e desaparece, aquele que desce ao Sheol, à sepultura, jamais voltará a subir" (Jó 7:9)

Vale lembrar que "sheol" significa literalmente "lugar profundo", definindo tanto a cova ou sepultura física que recebia o corpo físico, como também o lugar espiritual que recebia os espiritos desencarnados, sendo que no caso do versículo acima se refere a sepultura ou cova.

Vale ainda lembrar que na primeira epístola a Igreja de Corinto, escrita por Paulo, é relatado que o corpo espiritual coexiste com o corpo material, o que também inviabiliza a teoria de algumas agremiações cristãs de que no dia do juízo os corpos físicos enterrados se transformariam em corpos espirituais,afirmando que na verdade existe ao mesmo tempo no homem um corpo material e um corpo espiritual, este último denominado no Espiritismo de perispirito ou pelos espiritualistas de corpo astral, veículo que o espírito se utiliza nas cidades astrais ou colonias espirituais enquanto não vivencia uma nova reencarnação, sendo que esse corpo (o espiritual) é que pode ressuscitar, retornar a vida física, quando reencarna em um novo corpo físico.

Todas essas explicações estão contidas no livro A Bíblia no 3º Milênio explicando através de centenas de versículos biblicos a realidade da reencarnação e da vida após a morte. Abraço

Tamires disse...

Boa tarde, José. Venho lendo os textos do seu blog há um tempo e estou achando interessante uma correlação aqui. Na parte da correlação de Nostradamus com Parravicini, você fala de um grande evento relacionado a água com a visita do papa atual às Américas. Eu estava pesquisando e parece que a agenda do papa já foi meio que definida: ele vai visitar Bolívia, Uruguai e Equador, pelo o que parece a partir de julho, e os EUA de 22 a 27 de setembro. Mas pelo seu post do dia 2/1/15,você fala de um posicionamento de Saturno entre escorpião e sagitário e Júpiter em quadratura com Saturno e oposição a Netuno, que indica eventos grandes com água. Será que entre 22 e 27/9 esse posicionamento ainda está no céu? Porque isso bateria com a data da visita do papa, dando grandes indicações de talvez ser a época de erupção do Cumbre Vieja, gerando o Mega tsunami que afetaria toda a humanidade.

José Alencastro disse...

Olá Tamires

Profeticamente temos profecias bem definidas, de Parravicini e Nostradamus sobre um grande evento a nível global (ou seja, atingindo de alguma forma boa parte do Globo) antes do ápice do Apocalipse. E tal evento antes do ápice, pelo descrito, será pelas águas.

Nostradamus e Parravicini indicam que acontecerá quando tivessemos dois papas. Parravicini aponta ainda mais exatamente que ocorrerá em uma visita ao papa as Américas e que esse evento ocorrerá na "hora 10", segundo o relógio profético trazido por ele até 2021.

Teremos, portanto, caso Bento XVI esteja vivo até setembro de 2015, todos os requisitos para que a profecia se cumpra, ou em julho ou em setembro, datas da viagem do papa as Américas.

Segundo a cronologia de Parravicini e Nostradamus, teremos um evento de grande impacto até 2021, depois um evento centrado na Europa pelos idos de 2032-2033 permitindo invasões ao território Europeu e em sequencia a Israel e por fim, entre outubro de 2035 e abril de 2036 o Armagedon, que é a aliança a favor de Israel partindo para o confronto contra as forças invasoras sobre Israel para o Armagedon, culminando com a queda do Apophis para impedir uma guerra de exterminio nuclear.

Essa é a cronologia apontada por esses profetas e respaldada nas profecias biblicas, inclusive considerando os periodos da shemita (2015, 2029, 2036) e dos eclipses lunar e solar acontecendo muito próximos (fevereiro de 2036) após a lua passar pelos pés da constelação de Virgem (fenomeno que acontece em setembro-outubro mas não todos os anos, não acontecendo em 2015 mas que acontecerá em outubro de 2035, no inicio da shemita e ano novo judaico)

Essas são os indicativos proféticos, deixando claro que não teremos auge dos eventos do Apocalipse nem em 2015, nem em 2017, nem em 2018, nem em 2019 e nem em qual outra data que não seja 2036 e da mesma forma uma "Nova Era" apenas começará após esse auge e não em 2012 ou em 2019.

Abraço

Marco Barros disse...

Visita do papa em cuba foi confirmada para setembro

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2015-04-22/vaticano-confirma-visita-do-papa-francisco-a-cuba-em-setembro.html

Iara Silva disse...

Boa noite José Alencastro, gostaria demais de fazer minha cabala, e sei que do jeito que vi em seu Blog, é o que estou procurando já faz algum tempo, fiz uma vez com um Senhor e não gostei era sobre os anjos, gostaria de saber se vc. faz, ou se pode indicar quem faça agradeceria muito.
Obrigada,
Iara
lalamoi1@hotmail.com

José Alencastro disse...

Olá

Respondi no seu email, enviei pelo email do blog, profecias2036@gmail.com

Abraço

Elisa Edite disse...

Antes de demais quero agradecer as suas informações, as mais credíveis que vi até agora e pautadas de grande inteligência! Continue a fazer este maravilhoso trabalho! O que eu quero saber é se nas profecias de 2015 traz alguma informação sobre o terramoto no Tibete! Obrigado...

José Alencastro disse...

Olá Elisa, fico feliz que esteja apreciando o blog

O texto com as projeções para 2015 que recebi dos amigos espirituais foi publicado dia 2 de janeiro e está íntegra aqui:

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2015/01/previsoes-para-2015.html

Lá o guardião Jeremias, que participou na elaboração dos 2 livros que escrevi até agora relatou o seguinte:

"Jeremias falava comigo: “muitos problemas surgirão na Ásia, o dragão vermelho começa a intensificar a sua jornada de expansão pela Ásia (enquanto isso um ponto escarlate brilhava na região do deserto de Gobi), já a partir de 2015 é possível que problemas na fronteira entre a China e o Kazaquistão e na fronteira do Kazaquistão com a Rússia aconteçam”.

Além da crise entre China e EUA pela expansão chinesa em uma área de corais temos visto claros problemas na Ásia (terremoto no Nepal e agora um vulcão na Indonésia e um alerta de vulcão no Japão)

Portanto ele nao falou especificamente sobre um evento, mas literalmente "muitos problemas surgirao na Ásia", o que pode significar os multiplos eventos de ordem natural e com intensidade significativa que já atingiram a região nesses primeiros 5 meses do ano.

Alberto Hirota disse...

José,

O grande evento que ocorrerá quando um dos Papas estiver na América, seria um evento natural, ou poderia ser um evento econômico, como a saída da Grécia da zona do Euro?

Abs

Eloi disse...

Pessoal, muito interessante o texto do blog, mas o que dizem vocês a respeito desta passagem:

Mar 13:32 "Mas, daquele dia e hora, ninguém sabe, nem os anjos que [estão] no céu, nem o filho, senão o pai

abraço

José Alencastro disse...

Já comentado aqui Eloi:

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2010/11/o-dia-e-hora-ninguem-sabe.html
/

Χριστός disse...

Além da contagem do ano de shemitá, de sete em sete anos, existe a contagem do yovel - o jubileu, que ocorre a cada cinquenta anos, no ano seguinte ao término de 7 anos sabáticos.

Para um agricultor judeu, é muito difícil não trabalhar os campos e pomares durante um ano inteiro, não podendo dispensar-lhes os cuidados adequados. Que dirá então o quão difícil é para ele não trabalhar a terra por dois anos seguidos! O sétimo ano de Shabat Shemitá e o seguinte, do jubileu.

Na época do Templo isto era exatamente o que acontecia a cada cinqüenta anos. Atualmente, não se guarda o Yovel.

O Yovel caracterizava-se por três obrigações, que recaíam sobre a nação inteira:

1. Abstenção de qualquer trabalho agrícola, exatamente como em Shemitá.
2. Liberdade incondicional para todo escravo hebreu.
3. A devolução de todos os campos aos seus proprietários originais.

A cada ano de Yovel, em Yom Kipur, o San'hedrin (Tribunal Superior) tocava o shofar. A seguir os judeus em Israel, tocavam o shofar. O som podia ser ouvido em Israel inteira, anunciando: "Chegou a hora de libertar todos os escravos judeus. Todos os que possuem escravos judeus devem libertá-los e enviá-los à suas casas."


Gostaria de saber se há alguma razão específica em não ter comentado sobre o Jubileu, ou se a análise do mesmo passou desapercebida.

Gratidão!

fabio barbosa disse...

Seguinte, acho que são nossas próprias decisões que fazem essas previsões futuras, só olharmos em nós mesmos e ao nosso redor para ver que não é dificil de prever o que pode acontecer.
Estamos acabando com nosso próprio mundo.
Abraço

Marcelo Souza disse...

NÃO TERIA HAVER O RECENTE TERREMOTO NO CHILE E AVISO DE TSUNAMI COM A VISITA DO PAPA AS AMÉRICAS?