19 de nov de 2018

Maçonaria, Mercúrio Filosofal, Baphomet, Cavaleiros Templários, Sociedades Secretas, Iluminati e o Globalismo

Baphomet, Mercúrio filosofal, templários, maçonaria


Pergunta interessante que recebi na fanpage e que deu origem ao texto:

"Acompanho seu trabalho e seus relatos. Conheci seu trabalho na melhor hora, pois como trabalho com a espiritualidade, acabou me ajudando e abrindo outras visões que não tinha. Diante disso quero te parabenizar pela dedicação e empenho. Gostaria de saber se você tem algum relato ou estudo sobre a fraternidade maçônica. Sempre tive muita curiosidade e pé atrás, pois nos chegam poucas informações de suas origens, seus rituais e etc. Há na internet pouca informação e as que tem são comparações com adoração a bafomet (bode), rituais de natureza satânica, com oferendas de bodes dentro de pentagramas em troca de poder e dinheiro. Enfim, se você tiver algo relevante poderia compartilhar? Tenho conhecidos próximos que pertencem a maçonaria e são GADUS, porém sempre tive curiosidade de saber se tb há algum tipo de ligação com o espiritual. Gratidão. Grande abraço." (Pergunta enviada pelo Marcos)

Resposta: Olá Marcos. Tem alguns textos bons sobre o tema no site do Del Debbio, eu escrevi alguma coisa no blog sobre o simbolismo do 33 e da acácia em um texto que deixarei ao final o link. Fico feliz que os textos do blog e da fanpage estejam sendo úteis de alguma forma.

Sobre a Maçonaria em si basicamente ela é uma ordem que tenta congregar homens livres e de bons costumes, ou seja, pessoas que sejam independentes em sua vida financeira e que sigam padrões morais elevados de comportamento, erguendo templos as virtudes e enterrando caixões pretos aos vícios. Normalmente a pessoa ingressa na maçonaria convidada por um maçom e normalmente é feita uma pesquisa na vida social pregressa da pessoa.

Há sessões abertas nas lojas e sessões fechadas apenas para os adeptos com os rituais e estudos específicos de determinadas obras. Há também um gasto financeiro relativamente elevado com a aquisição da indumentária (ternos pretos, aventais bordados) e com jantares que reúnem os membros e funcionam não apenas para arrecadar fundos para a loja como permitir a interação social dos membros, que costumam ajudar uns aos outros na vida social. Inclusive existem determinados sinais feitos com mãos em relação a cabeça e o tronco, determinadas expressões e modo de se expressar e caminhar que permitem os maçons se identificarem inclusive em outros países

Assim como nas Igrejas, casas espíritas, casas de Umbanda, temos bons templos maçônicos e não tão bons, pois tudo depende das pessoas que compõe o templo e cumprem, ou não, suas regras. Há casos de conflitos de poder e até mesmo templos que batem as suas colunas, mas há também bons locais de estudo, confraternização e mútua ajuda

Quanto a questão de baphomet, o que acontece é que boa parte da estrutura do templo maçônico é associada às constelações do Zodíaco e também porque muito dos rituais maçônicos são baseados em representações de eventos ocorridos nas construções do primeiro e segundo templo hebraicos. Nos relatos judaicos sobre essa época contidos nos livros sagrados dos judeus temos um antigo costume conhecido até hoje como "bode expiatório" no qual os antigos hebreus em ritual pegavam dois bodes, um branco e um preto, um para ser sacrificado em honra a YHWH e outro, que ouvia os pecados sussurrados pelos participantes do ritual e que era levado para o deserto (o ritual todo está em Levítico capítulo 16 e há maiores informações no livro de Enoch). Ao mesmo tempo nas 12 casas (colunas) astrológicas do templo, a mais alta é a de Capricórnio simbolizado pela cabra. Dessa união simbólica na ritualística entre homem, bode e cabra é que surgiu a imagem andrógina e simbólica de baphomet criada pelo ocultista Eliphas Levi (há ainda toda uma correlação com a ressurreição através do Sol invictus após o Sol entrar no signo de Capricórnio, tema que também foi narrado no blog e está detalhado ao final do livro "Armagedoom 2036") o que explica o uso do termo que significa "batismo da sabedoria" 



Acontece que essa famosa imagem de baphomet como um ser meio humano, meio cabra/bode criada por Eliphas no livro Ritual de Alta Magia (e a partir daí muito utilizada pelo satanismo, daí a sua má fama) é uma representação posterior a original, que surgiu na verdade com os cavaleiros templários, pelos idos do ano 1.100 quando cuidaram da região que se localizava o templo de Salomão e tiveram acesso a informações e objetos do povo que vivia na região criando diversos símbolos, sendo que por volta de 1300 foram condenados, pela Igreja, por heresia. 


Séculos depois o barão e arqueólogo austríaco Joseph Von Hammer Purgstall, em 1818 lançou o livro "Mysterium Baphometis Revelatum" que trouxe em sua obra algumas representações (desenhos) atribuídos aos templários que seriam representações de baphomet, igualmente andróginas só que com aparência humana. Se temos pelo menos duas representações andróginas (o mercúrio filosófico da imagem) temos ainda diversas associações e possíveis traduções para o termo baphomet que podem ser vistas aqui:




Então pra resumir a história sobre baphomet o que temos nos dias de hoje é a representação (imagem) de Eliphas Levi como a mais famosa e estudada pelos ocultistas na sua simbologia (inclusive maçons), que ganhou má fama como diversos outros símbolos (por exemplo, a carta o diabo do Tarot que pode assustar quem não estuda ou não entende seu significado), porém esse símbolo de baphomet não é o único (há ainda pelo menos mais uma referência andrógina que o associa ao simbolismo do mercúrio primordial e da própria representação dentro da mitologia de mercúrio ou hermes três vezes (homem, mulher, amálgama) grande (trimegistus) utilizando a alquimia para representar esses símbolos.

É possível dizer com tranqüilidade que em todas as traduções ou interpretações do termo baphomet existe a palavra "sabedoria" presente e nas suas representações desenhadas sempre a cabeça como ponto central (a imagem de Von Hammer atribuída aos templários coloca a caveira como base da figura humana andrógina,enquanto que Levi focaliza a imagem central na cabeça da cabra) apontando que de alguma forma o encontro da sabedoria passa pela razão, pelo bom uso do cérebro, pelo ciclo de vida-morte-reencarnação (a caveira, o gólgota) pelo reconhecimento da natureza animal que existe dentro da cada um e que está no meio entre razão e emoção formando os 3 pilares da Árvore das Vidas que também está claramente associada a todas as imagens (mercúrio filosofal, baphomet dos templários, baphomet de Levi)


Eliphas Levi assim define a imagem que consta no seu livro (páginas 337-338 da obra Dogma e Ritual de Alta Magia):

"O bode, que é representado no nosso frontispício, traz na fronte o signo do pentagrama, com a ponta para cima, o que é suficiente para fazer dele um símbolo de luz; faz com as mãos o sinal do ocultismo, e mostra em cima a lua branca de Chesed, e embaixo a lua preta de Geburah. Este sinal exprime o perfeito acordo da misericórdia com a justiça. Um dos seus braços é feminino, o outro é masculino, como no andrógino de Khunrath, cujos atributos tivemos de reunir aos do nosso bode, pois que é um único e mesmo símbolo. O facho da inteligência que brilha entre os seus chifres é a luz mágica do equilíbrio universal; é também a figura da alma elevada acima da matéria, embora esteja presa à própria matéria, como a chama está presa ao facho. A cabeça horrenda do animal exprime o horror do pecado, de que só o agente material, único responsável, deve para sempre sofrer a pena: porque a alma é impassível por sua própria natureza, e só chega a sofrer, materializando-se. O caduceu, que está em lugar do órgão gerador, representa a vida eterna; o ventre coberto de escamas é a água; o círculo que está em cima é a atmosfera; as penas que vêm depois são o emblema do volátil; depois, a humanidade é presenteada pelos dois seios e os braços andróginos desta esfinge das ciências ocultas" 

Curiosamente Levi usa os mesmos símbolos contidos na imagem templária: uma capa que cobre os membros inferiores de baphomet que está sentado sobre um local esférico semelhante a parte superior de um crânio, utiliza a representação da Lua, do pentagrama, do facho de luz central no topo da cabeça para representar o Sol, o caduceu com seu entrelaçamento tipicamente mercurial, a imagem está toda baseada na imagem templária em especial no detalhe dos 3 "chifres" (na imagem templária aparece como uma coroa, no baphomet de Levi são os dois cornos da cabeça e um adicional ao centro com um facho de luz)

Obviamente que tais representações de aparência até certo ponto assustadoras como um bode, uma caveira entre outras são propositalmente criadas pelos estudiosos para afastar os curiosos e ao mesmo tempo habituar o estudioso a ter um olhar mais minucioso alem das aparências, pois muitas vezes nos embates astrais ou magisticos o mais difícil nem é ter coragem de enfrentar um ser medonho de aparência horrorosa, mas aprender a identificar o que está escondido por trás de uma aparência sedutora  

MAÇONARIA X SATANISMO

O Satanismo ou o grupo que se conhece como satanismo nos dias de hoje (Satanismo moderno) foi criado nos anos 60 por Anton LaVey e, como explicado no texto, estuda vários dos símbolos que já eram estudados muito tempo antes na Maçonaria e exatamente a partir desse ponto surgiram as associações da Maçonaria com o Satanismo, a grande maioria errônea.

A história da maçonaria pode ser lida aqui:




A maioria das lojas maçônicas pratica 3 tipos de ritos: o Rito de York, O Rito Escocês Antigo e Aceito e o Rito Francês. Cada um deles tem regras e um cerimonial bem definido, portanto qualquer coisa fora disso não é Maçonaria. Agora que sabemos o que é Maçonaria é importante não confundir Maçonaria com outros grupos:


BOHEMIAN GROOVE, CLUBE DE BILDBERG, SKULL AND BONES, ILUMINATIS – É TUDO MAÇONARIA DO CAPETA???

Você já deve ter lido algum crente ou algum espiritualista que não sabe lhufas de coisas nenhuma ou ainda algum olavete falando em “maçonaria berço do globalismo”, que “Jorge Soros é um maçom satanista” ou ainda sobre “cabala negra e rituais demoníacos da maçonaria”. O que todas essas pessoas tem em comum é que falam daquilo que nada sabem.

Existem diversos grupos e ordens poderosas no mundo, que reúnem grandes magnatas, políticos, reis, banqueiros, famílias poderosas, cada uma com objetivos bem definidos, mas que não são maçônicas (ainda que eventualmente um maçom ou outro participe de alguma dessas ordens ou grupos). Como expliquei ao longo do texto há costumes e ritos próprios dentro da Maçonaria que a distinguem de outras ordens ou grupos

Da mesma forma que nem todo presidente americano ou europeu é ou foi maçom (ainda que número expressivo de políticos e pessoas influentes seja ou tenha sido), temos muitos maçons que associam à outros grupos por questões ou objetivos pessoais. Grupos como o Bohemian Groove ou o Clube de Bildberg reúnem as pessoas mais poderosas da Califórnia e do eixo EUA-Europa que ao entrar nesses grupos passam a seguir o código de conduta de tais grupos. Sobre esses grupos poderosos e especificamente o Clube de Bildberg eu falei bastante nesse texto aqui:


Inclusive no texto linkado acima está explicado como essas grandes organizações atuam no cenário mundial, muitas delas movidas muito mais por interesses pessoais (de poder e dinheiro) dos seus membros do que ideologias como apoiar marxismo ou conservadorismo. Perguntem a qualquer grande investidor da Bolsa de Valores, seja nos EUA ou no Brasil, quando que as melhores oportunidades surgem e todos responderão a mesma coisa: nas crises. Talvez a mais poderosa família européia, os Rotschild cunhou a celebre frase que virou um mantra de mega investidores como Soros e Warren Buffet: “compre ao som dos canhões e venda ao som dos violinos”. Em épocas de guerra (e nos tempos modernos nas Bolsas de Valores) é nas grandes crises, quando os canhões estouram, que o valor de empresas com sólidos fundamentos cai abruptamente muito abaixo do seu valor real e é aí que os grandes investidores compram e erguem seus impérios. Soros e Buffet estão pouco se importando com marxismo, conservadorismo ou qualquer outra ideologia, com globalismo ou isolacionismo, estão apenas interessados em saber como é possível manipular mercados e governos para novas crises nas quais eles possam comprar ativos por um valor bem abaixo do que eles realmente valem.

Grupos como Bohemian Groove e Bildberg entendem que é muito mais lucrativo fortalecer os laços econômicos entre EUA e Europa, não apenas por questões econômicas, mas também sociais e políticas, pois existe um laço de confiança construído ao longo de séculos. O que muitos homens poderosos que entram nesses grupos vislumbram é exatamente um veículo que proporcione fazer bons negócios, de forma segura e confiável, com pessoas dispostas a seguir o mesmo código de ética e sujeitos as mesmas punições. Entender isso é compreender que o conceito de “nação” e “globalismo” vai muito além de disputas ideológicas ou patrióticas como alguns (olavetes) querem vender aos incautos.

Reflitam: em um passado não tão distante homens poderosos na política, nas finanças e no comércio (que os comunas chamariam de burguesia) se uniram nos EUA, depois na França e depois no Brasil para lutar por independência. A Maçonaria esteve em cada uma dessas lutas como peça fundamental, inclusive nos EUA eles foram conhecidos como os “pais fundadores”. Inclusive o presidente George Washington (que era maçom) colocou a pedra fundamental do Capitólio devidamente paramentado com avental


Mais sobre a influência maçônica na independência e desenvolvimento dos EUA pode ser visto aqui:


E como os Estados Unidos (como o próprio nome diz) tornaram-se a nação mais poderosa e próspera do mundo? A resposta é: colocando seus Estados independentes, cada qual com suas leis, dentro de uma Confederação a qual deveriam seguir (A Constituição Americana). É exatamente o mesmíssimo modelo que os países europeus signatários da zona do Euro seguiram, assim como é o mesmo modelo que todos os países que desejam comercializar globalmente seguiram ao entrar na OMC (organização mundial do comércio)

Como expliquei no texto do xadrez mundial linkado a pouco não existe nova ordem mundial alguma, a ordem ou status quo do mundo permanece a mesma, apenas mais globalizada: homens poderosos e nações criam grupos que representem seus interesses e permitem que esses grupos, com maior poder, possam barganhar ou negociar de forma mais vantajosa com outras nações ou grupos. Simples assim. O problema é que tem alguns "estudiosos" que são estatistas e antiglobalização e aí querem inventar histórinhas com outros nomes (globalismo) para esconder o que realmente desejam combater que é a economia liberal e globalizada.  Tem ex comunista que agora é (ou se diz) conservador que se esqueceu de abandonar a velha dialética, mas sobretudo de abandonar o velho estatismo.

Inclusive fiz um texto ainda mais específico explicando como as grandes famílias poderosas atuam para fortalecer ainda mais a hegemonia do grupo EUA-Europa dentro do “xadrez mundial”:


Portanto é muito ingenuidade de alguns “analistas” (os mesmos que disseram que com a eleição de Lula e Obama o Brasil estava fadado a ser uma Venezuela, porque Obama era um comunista e o Exército brasileiro não teria pulso para segurar o avanço comunista.....pelo visto não tinha razão) acreditarem que existem forças do “globalismo” querendo controlar nações ou continentes... queridinho, tais forças fazem parte exatamente do sistema associado a esses governos e nações exatamente para fortalecê-los, pois diferente desses “pseudo analistas” tais governos e nações sabem que o mundo caminha para um grande confronto final por PODER de ação e controle, no qual cada nação, cada homem poderoso confia que aquele grande grupos que está inserido poderá ser o vencedor. Se tem gente achando que há uma nova ordem mundial ou um grande acordo mundial esse pessoal precisa olhar um pouco melhor a geopolítica mundial (deixo novamente o texto sobre o xadrez mundial) aqui:


Os três grandes grupos (EUA-Europa, Marxismo e Islamismo) se articulam para a batalha final prevista há séculos. Uma briga por poder que reflete a mesma briga por poder das zonas umbralinas. A mesma e velha ordem mundial que lutou e luta por poder. Somente após os eventos da grande tribulação, o ápice da Transição Planetária é que vivenciaremos, aí sim, uma Nova Ordem Mundial, reconstruídas sobre os escombros da antiga civilização e erguida sobre novas bases, confederados e irmanados pelos ideais de fraternidade, cooperação e democracia, onde fronteiras e muros não serão mais necessários, onde a busca pela paz e o fim da miséria, pela dignidade e progresso pessoal e coletivo serão os objetivos globais, onde somente haverá uma raça, a humana e somente uma pátria, o planeta inteiro.    


MAS E OS ILUMINATI ZÉ??? A MAÇONARIA É ILUMINATI???

Aqui a coisa fica interessante pois é comum confundirmos os membros da sociedade iluminati com os homens que desencadearam o movimento conhecido como Iluminismo.

A sociedade iluminati também conhecida como os iluminados da Baviera foi criada na Alemanha pelos idos de 1776 por um maçom chamada Adam Weishaupt. Politicamente eram contra a propriedade privada, contra os grandes proprietários econômicos (leia-se burguesia) e contra a autoridade social (seja a Monarquia sistema mais comum na época, seja a Igreja no âmbito religioso). Se você leitor foi perspicaz então você percebeu que os Iluminati trouxeram, na verdade, todas as bases do marxismo, que décadas depois ganharia praticamente as mesmas idéias, só que agora através de Karl Marx (nascido em 1818 na antiga Prússia, hoje Alemanha) no Manifesto Comunista de 1848

Os Iluminati não pertenciam ou eram Maçonaria (pois não seguiam seus ritos) mas tão somente foi uma sociedade criada originalmente por um maçom e que trouxe o gérmen, no seio da Europa, daquilo que futuramente seria conhecido como marxismo. É importante aqui diferenciarmos os Iluminati do Iluminismo

O Iluminismo defendia a separação da Igreja do Estado juntamente com maior liberdade política e econômica com a clara diferença em relação aos Iluminati e posteriormente os marxistas, de que o Iluminismo era patrocinado e defendia a burguesia, ou seja, um comércio menos descentralizado (por isso o combate às Monarquias Absolutistas e ao poder da Igreja) o que em síntese significava um comércio menos regulado pelo Estado, com menor intervenção do Estado. Se hoje os países mais prósperos são aqueles com maior liberdade, sobretudo econômica muito disso se deve exatamente aos ideais iluministas e a clara comprovação de que os ideais marxistas (comunistas e iluminatis) definitivamente fracassaram.


ENCERRANDO

Aconselho a leitura e releitura do texto bem como dos links que foram colocados ao longo do texto, pois acredito que a leitura de todo esse material permitirá esclarecer as principais dúvidas sobre o tema Maçonaria bem como colocar por terra crendices de alguns “intelectuais” que não entendem lhufas do tema.   

Previsões cumpridas sobre o Brasil e como adquirir as obras (tanto no formato impresso como em pdf) clique no banner abaixo: 


9 de nov de 2018

Júpiter - Entrada em Sagitário - Primeiras Análises 2019

Júpiter Sagitário previsões 2019

Ontem, dia 08 de novembro, mais especificamente às 10h39min, Júpiter adentrou no signo de Sagitário que é regido exatamente por esse astro. Poucas horas depois, por volta das 17 horas, a Lua Nova fez uma conjunção exata com Júpiter. Até o final de novembro de 2019, Júpiter permanecerá em Sagitário antes que adentre no signo de Capricórnio quando então teremos o grande evento astrológico de 2020 (descrito amplamente no livro “Brasil o Lírio das Américas” lançado no ano de 2014, página 285) 

Júpiter demora 11 anos e 315 dias para completar uma volta ao redor do Sol, ou seja, seu ciclo astrológico é de aproximadamente 12 anos e aproximadamente 12 meses para cada signo. Júpiter representa no mapa de uma pessoa a busca pelo sentido da vida, a conexão com a sua jornada pessoal, ou seja, como a pessoa busca filosoficamente compreender e vivenciar a vida.

Júpiter é o maior planeta do sistema solar, representa o impulso primordial à ação, a boa sorte, tem profunda influência cultural no enriquecimento mental de uma pessoa, ele mostra onde a pessoa encontra felicidade e sentido pra própria vida, em suma, a busca filosófica pela própria missão de vida.

Por esses motivos Júpiter é considerado um astro benéfico ou de boa sorte no mapa, um facilitador, pois sua função no mapa é apontar em qual assunto (casa que está domiciliado) a pessoa encontrará sentido para a sua vida, encontrará a sua jornada e de qual forma (segundo o signo) ela buscará essa jornada e esse sentido filosófico para a sua existência.

Sagitário por sua vez é conhecido pelo dilema entre a razão e o instinto simbolizado no centauro que representa o signo: o lado racional impulsiona o conhecimento filosófico, o lado instintivo busca a aventura para descobrir na prática o que foi aprendido na teoria. Por isso que Sagitário rege, ao mesmo tempo, a busca pelo conhecimento filosófico, os grandes centros acadêmicos, as universidades e, ao mesmo tempo, rege as viagens, o contato com outras culturas e países.

O lado mais humano do centauro busca o conhecimento, mas ao mesmo tempo necessita da adrenalina da jornada, do aprendizado prático. Por esse motivo Sagitário, diferente do seu oposto (e complementar) Gêmeos não busca apenas o conhecimento, a troca intelectual, mas sim a compreensão dos sistemas que regem a vida e de que forma povos, culturas e filosofias compõe esses sistemas, e de que forma ele Sagitário pode fazer parte desse mundo no seu sentido mais amplo de compreensão e vivência prática.

Outro ponto importante que precisamos compreender é que a fama de “boa sorte” de Júpiter representa, na verdade, a capacidade para atingir um alvo, ter uma meta, determinar-se em uma direção. Tanto o astro Júpiter (representação romana de Zeus) como o signo por ele regido, Sagitarius (do latim sagitta que significa flecha, seta) são representados por seres (tanto Zeus como o centauro) que levam nas mãos uma arma de longa distância (Zeus segura um raio e o centauro as flechas para atirar com o arco).

Júpiter demarca o assunto (dependendo da casa que estiver localizado no mapa) que dará sentido para a vida da pessoa, onde ela buscará alcançar suas principais metas, enquanto que o signo de Sagitário demarcará em qual assunto (a casa na qual estiver localizado) ela encontrará o sentido da sua vida. Por exemplo: alguém com Júpiter na casa 07 (casa das associações com outra pessoa, seja um casamento ou sociedade na vida profissional) e com Sagitário na casa 11 (grupos que unem pessoas com um ideal comum, o trabalho em grupo por um objetivo social) buscará boas associações, pois é sua meta principal, o que dá sentido para a sua vida, mas na verdade esse será um caminho para chegar a casa 11, casa na qual realmente encontrará o sentido para a sua vida (pois Sagitário está nessa casa).

Obviamente um Júpiter em Leão será diferente de um Júpiter em Peixes (o primeiro sempre buscará a liderança a qualquer custo, o segundo estará mais disposto a sacrifícios, renúncias e a se adaptar ao grupo ou associação que estiver inserido) e obviamente os aspectos envolvendo tanto Júpiter como Sagitário no mapa da pessoa devem ser considerados, pois quanto maiores forem as tensões (quadraturas, oposições, quincúcios) mais árido será o caminho de realização desse Júpiter, enquanto que facilitadores (sextis, trígonos ou conjunções envolvendo astros “benéficos” como por exemplo com Sol e Vênus) mostram que será um caminho de despertar mais rápido ou com menos sobressaltos.

Com a entrada de Júpiter em Sagitário (assim como a entrada de Kiron em Áries) teremos coletivamente uma preocupação em atingir metas muito claras para o futuro próximo, maior debate sobre questões filosóficas e valores éticos e morais, ao mesmo tempo em que a população terá grande disposição para iniciar uma nova jornada com disposição para enfrentar os desafios e aventuras nessa nova trajetória. Isso representa um ponto positivo para o novo governo, pois no geral a população estará atenta às questões políticas, cobrando combate firme à corrupção e tendo metas muito claras, projetando prazos para os objetivos traçados.

Um deles que posso adiantar diz respeito às reformas (previdenciária, política, tributária entre outras): caso o governo não consiga até os idos de final de 2019/começo de 2020 passar as reformas que deseja, uma semi-constituinte via plebiscito com algumas emendas será realizado nas eleições de 2020 como uma espécie de “base” ou “gênese” de uma constituinte mais ampla que deverá ser realizada a partir da eleição do novo presidente ao final de 2022.

As mudanças que se iniciarão agora no início de 2019 no sentido de elevar os valores éticos e filosóficos do país na política, sobretudo no combate à corrupção encontrarão seu apogeu ao longo de 2020 quando Saturno e Plutão e depois na companhia de Júpiter, todos em Capricórnio, definitivamente “passarão a foice” em tudo aquilo que está carcomido nas instituições e valores não republicanos.

Curiosamente no ciclo anterior de Júpiter em Sagitário (2006-2007) tivemos o julgamento do mensalão na Câmara (o julgamento no STF só ocorreria em 2012), porém naquela época estávamos sob o grande ciclo do Sol (1981-2016) então tivemos “apenas” o grande esquema antiético e corrupto sendo exposto, iluminado, vindo às claras para todo mundo, só que agora o grande ciclo é de Saturno (2017-2052), a grande foice de chumbo retirando tudo aquilo que não presta e, para ficar ainda mais interessante ao longo de 2019 teremos a regência de Ogum (Marte) então os corruptos que se preparem, pois a caçada do super Moro aos corruptos será implacável (nas últimas vezes que tivemos a combinação Saturno – Marte na regência de grandes ciclos e ciclos menores, tendo Marte como o regente de ciclo, foi exatamente o período das duas grandes guerras)         

Júpiter Sagitário novembro


Júpiter adentrará Sagitário na casa 11 e estará nessa casa na companhia de Sol, Lua e Mercúrio no próximo dia 08 de novembro, sendo que o trânsito do Sol nesse dia fará uma conjunção exata com o Meio Céu do mapa da Independência, realçando o mesmo movimento coletivo de libertação do povo na busca por uma transformação profunda (nada mais escorpiônico afinal o grito de “independência ou morte” foi dado com o MC em Escorpião e com Marte no mesmo signo). A depuração das mais altas instituições do país, simbolizadas no MC do mapa da Independência serão levadas a cabo pela união coletiva de um grupo unido por uma causa social/humanitária (a maioria que elegeu Bolsonaro) alavancando uma transformação profunda, a quebra de antigos hábitos enraizados (corrupção) nas entranhas do poder. 

Poucas horas depois os mesmos astros (Sol, Lua, Júpiter e Mercúrio) estarão todos na casa 08 só que agora a conjunção exata Júpiter + Lua Nova, tendo Saturno e Plutão (ambos em Capricórnio no topo do mapa) como podemos observar na imagem abaixo:

Júpiter Sagitário 2019


A casa 08 fala do poder, controle, jogos de poder nos bastidores, transformações, regeneração, renascimento, tudo isso potencializado por essa conjunção de Júpiter com a Lua Nova.

INDIVIDUALMENTE

Todo esse efeito de Júpiter, sobretudo fortalecendo, regenerando e aumentando a capacidade de renascimento de cada pessoa na busca por suas metas e sentido de vida será mais benéfico para aqueles que possuem Sol, Júpiter ou Ascendente natal em Sagitário (e receberão ao longo do ano a conjunção pelo trânsito de Júpiter no céu) como também aqueles que possuem Sol, Júpiter ou Ascendente em Leão (receberão trigonos pelo trânsito de Júpiter) ou em Aquário (receberão sextis). Os nativos que possuírem Sol, Júpiter ou Ascendente a menos de 5º ou acima de 20º em Libra ou Áries também serão beneficiados, assim como aqueles que possuírem Sol, Júpiter ou Ascendente entre o grau 5 e o grau 20 de Capricórnio (todos com essas posições terão em alguns momentos do ano a “sorte” favorecida, na realidade favorecido o caminho para aqueles que estão trilhando nos últimos meses a busca pela realização dos seus objetivos)

Para acompanhar a trajetória de Júpiter nos próximos 12 meses deixo a seguir uma tabela que mostra em quais graus o astro transitará mês a mês, lembrando que em 10 de abril ele inicia a retrogradação e em 11 de agosto volta ao movimento direto

Novembro – 0, 1, 2, 3, 4,5
Dezembro – 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11
Janeiro – 12, 13, 14, 15, 16, 17
Fevereiro – 18, 19, 20, 21
Março – 22, 23, 24
Abril – 23, 24
Maio – 23, 22, 21, 20
Junho – 20, 19, 18, 17
Julho – 16, 15, 14
Agosto – 15, 14
Setembro – 15, 16, 17, 18
Outubro – 18, 19, 20, 21, 22, 23
Novembro – 24, 25, 26, 27, 28, 29

Bem no início de dezembro, no dia 03, Júpiter adentrará em Capricórnio

Para complementar os assuntos abordados nesse post:

Urano Em Touro (2018-2026), Kíron em Áries, o grande ciclo de Saturno e a passagem de Saturno e Plutão em Capricórnio até final de 2020 (para acessar o link clique no banner abaixo):