11 de ago de 2016

Olimpíadas - Uma Experiência Projetiva, Cerimônia de Abertura , Complexo de Vira Latas às Avessas e o Novo Plano dos Vermelhos



Na manhã do dia 03 agosto eu vivenciei uma interessante experiência projetiva antes de acordar para os afazeres daquele dia e escrever as primeiras impressões que tive do desdobramento ocorrido minutos antes.

Lembrei-me, enquanto escrevia aquelas lembranças recentes e ainda vivas no limiar do subconsciente e do consciente, de uma informação curiosa quando ainda era um jovem adolescente. Durante as festas natalinas do ano de 1992 (lembro porque também foi um ano de Olimpíadas) meu pai relatou um fato muito curioso.

Para quem acompanha há pouco tempo os textos do blog,talvez não saiba, mas ele foi um dos médiuns do Dr.Fritz, sempre avesso a mídia e holofotes, o único médium que conheci pessoalmente em toda minha vida que realizava uma incorporação totalmente inconsciente e que possuía vidência “full time” confundindo freqüentemente encarnados e desencarnados, ainda que alguns outros poucos médiuns do Dr.Fritz como o Edson tivessem faculdade de incorporação semelhante, raríssima nos dias de hoje.

O relato foi muito interessante: estávamos vendo TV quando ele olhou para a entrada da porta e abriu um sorriso. Como não havia ninguém (encarnado) conclui que algum espírito estava ali presente. Ele então relatou o que via através da vidência naquele momento:

– Que interessante. Normalmente quando o Dr.Fritz e os demais membros da equipe se apresentam para o trabalho eles estão com roupas típicas de médicos, semelhantes a uma túnica. Só que agora estou vendo ele pela primeira vez com um elegante smoking

Perguntei então para o meu pai o que ele (o Dr.Fritz) gostaria de falar, já que havia se apresentado com aquela vestimenta diferente e em uma época na qual os trabalhos entravam em recesso. Meu pai então respondeu:

– Ele diz que no mundo espiritual também existem festas para marcar o final do ano ou outros festejos que sejam comuns aos encarnados, e que unem tanto os encarnados como os desencarnados  

Anos depois, após presenciar por 15 anos as reuniões semanais nas quais meu pai incorporava o Dr.Fritz e vivenciar as experiências projetivas que eu vivenciei, ainda ficava espantado como era possível que existissem pessoas que desacreditassem a existência das colônias espirituais e tivessem uma visão tão embotada da vida espiritual. Nessas horas Jeremias sempre costumava lembrar que quando alguém fica preso apenas a teoria, mas não vivencia a prática acaba sendo vítima facilmente das próprias limitações de entendimento.

A grande maioria daqueles que dizem crer na vida após a morte, na reencarnação, na vida no mundo espiritual, mas desacreditam na existência de colônias espirituais ou ainda são contrários ao estudo do fenômenos profético por uma suposta “pureza doutrinária” são, em maioria, pessoas que leram muitos livros mas que na prática não vivenciaram as experiências necessárias, inclusive para o confronto com a realidade através de métodos científicos, pois quanto ao fato de alguém relatar algo que vai acontecer no futuro e esse algo acontece ou ainda relatar informações sobre o futuro colhidas em uma colônia espiritual e essas informações se mostram verdadeiras meses ou poucos anos depois, trata-se de fato que não dá margem para dúvidas ou ideologias: quando algo improvável é previsto e acontece é uma fato que comprova sua veracidade, independente se a pessoa acredita naquilo ou não. 

Eis a beleza de estudar profecias, pois suas sucessivas comprovações são um fato que atestam a veracidade dos argumentos previstos. Pouco importa se dez, vinte ou um único médium traga um relato supostamente de origem espiritual; no caso das profecias basta que tal relato se mostre verdadeiro com a sua comprovação meses ou pouco depois para atestar a sua veracidade. Da mesma forma pouco importa se vinte médiuns falaram a mesma coisa sobre determinado evento futuro quando estamos analisando uma profecia: se o que os vinte falaram (como no caso da enxurrada dos médiuns que falaram da vinda de Nibiru em 2012, inclusive com base em supostas comunicações mediúnicas de espíritos de elevada moral) algo que não se cumpriu e apenas um ou dois falaram que aquela informação estava errada, então o único controle universal do ensinamento só poderá ser feito pela concretização em si do fato. Com fenômenos espirituais a realidade dos fatos está acima de qualquer teoria, ideologia ou nome.   

Voltando agora ao dia 03 de agosto: com a proximidade da abertura dos jogos (que comentarei também neste texto), uma grande festa também foi organizada no mundo espiritual. O pouco que eu tive acesso, dentro dos preparativos para essa festa, aconteceu exatamente na manhã daquele início de agosto, dois dias antes da abertura dos jogos. Fui levado pelo gigante guardião Jeremias (cuja equipe estava cuidando pessoalmente de toda a segurança dos jogos no RJ) a um local que parecia ser um grande centro comercial. Caminhei com o guardião e chegamos a uma grande parede branca, um beco sem saída naquele centro comercial e naquela local havia alguns jovens de 15-20 anos, uns cinco ou seis pelo que pude contar.

– Onde estamos? – Perguntei aos jovens

– Na Tijuca, amigo – respondeu um dos jovens – vamos levá-lo até a escola para que você veja um dos ensaios

Pensei comigo mesmo se teria me projetado para ver um ensaio de escolas de samba, mas na época das Olimpíadas isso não faria muito sentido

Ao atravessar a parede, que era um portal que protegia aquela região no astral intermediário sobre a superfície do bairro da Tijuca, os jovens se juntaram a outros jovens, enquanto Jeremias trouxe algumas informações:

– Esses jovens pertencem ao grupo que tem estudado diretamente com o “cantor” – disse em referência aos relatos do livro Armagedoom 2036

– Entendi, por isso que a escola foi montada aqui na Tijuca

– Exatamente – respondeu o gigante guardião

Os jovens estavam com roupas coloridas, bermudas e camisetas bem a moda das roupas de skate e basquete, bem em frente a um prédio que era a escola. O local em si era uma espécie de um pequeno condomínio, com uma rua principal bem larga, outros prédios, algumas quadras de esporte e zonas arborizadas, tudo muito simples e arrumado.

Observei no meio daqueles jovens um pequeno grupo, de aproximadamente 6 deles, estavam treinando um número de dança. Havia um prédio ao lado daquele que nós estávamos concentrados com aproximadamente uns 5 andares e uma parede bem lisa, com a coloração cinza bem clara, quase branca. Os jovens que começaram a ensaiar o número possuíam um cordão metalizado no pescoço e nesse cordão havia um pequeno cristal que emitia luzes e uma música ritmada, lembrava algo entre o som da música eletrônica e um ponto de curimba, um ritmo que emitia uma energia muito agradável. Os jovens começaram a realizar passes sincronizados e em virtude das leis da gravidade serem um pouco diferentes no mundo astral, eles facilmente realizavam saltos mais altos, conseguindo levitar temporariamente sobre a parede cinza clara, com movimentos bem harmoniosos.

O que foi visto na abertura dos jogos, quando dançarinos realizavam algo semelhante em prédios projetados no cenário do estádio, foi uma pálida cópia daquilo que eu vi no astral feito pelos jovens, com uma sincronia e velocidade que seriam impossíveis para um encarnado.   

Fiquei imaginando., dias depois, a beleza que aquela abertura deve ter sido no mundo espiritual, contando apenas com um pálido exemplo daquele ensaio que eu havia presenciado.



CERIMÔNIA DE ABERTURA E O COMPLEXO DE VIRA LATAS ÀS AVESSAS

Se há uma expressão que corriqueiramente é utilizada fora de contexto é "complexo de vira latas". Criada por Nelson Rodrigues, a expressão procurava definir um sentimento coletivo, de falta de fé em si mesmo, do povo brasileiro em 1958, quando o Brasil contava com a melhor seleção de futebol da época (talvez da história), mas o povo se sentia inseguro, sem convicção de que seria possível conquistar a Copa do Mundo após o fracasso de 1950, quando a seleção igualmente favorita e jogando em casa, sucumbiu diante do Uruguai diante de um Maracanã emudecido por 200 mil pessoas.

Atualmente, sobretudo nos 13 anos do governo vermelho durante o seu desastre econômico, qualquer crítica ou análise que apontasse os pontos fracos e desastrados da economia era visto (prioritariamente pelos defensores de tal governo) como "complexo de vira lata". Nada mais falacioso.

Seus apoiadores ao longo dos últimos 13 anos tentaram definir qualquer crítica ou visão realista a respeito dos graves problemas gerados pelo próprio Estado (e seu partido vermelho) como se tal crítica fosse um "complexo de vira lata", tendo por objetivo disseminar na população a idéia de que auto-estima ou patriotismo (antítese do complexo de vira lata) seria supostamente aceitar e não reclamar de toda a bagunça patrocinada pelo Estado através do maior caso de corrupção da história e do mundo, do governo mais corrupto e mentiroso que o Brasil teve.

Vencer o verdadeiro "complexo de vira lata" passa sem dúvida por exaltar todas as coisas boas que o Brasil possui suas belezas, seu potencial, sentindo verdadeiramente que podemos e devemos acreditar em nós mesmos como nação, tendo ao mesmo tempo a consciência de que essa crença e esse potencial será materializado quando reconhecermos e combatermos as nossas mazelas, de forma realista: trabalhando e acreditando no potencial que possuímos mas sem fechar os olhos para os problemas que precisam urgentemente de solução

Se acharmos que não devemos ver claramente os graves problemas que existem porque isso seria "complexo de vira lata", estaremos na verdade praticando um "complexo de vira latas às avessas" que nada mais é do que o "complexo de avestruz" que é esconder a cabeça no buraco fingindo que os problemas não existem e gritando dentro do buraco "Veja como o Brasil é grande, veja como o Brasil é uma potência"

A abertura dos jogos Olímpicos no Brasil teve sim pontos positivos. Do ponto de vista espiritual se criou uma atmosfera de alegria e de paz que vibratoriamente colaborou e muito para as equipes espirituais que apóiam a organização e segurança espiritual do evento somarem uma grande quantidade de energia voltada para o combate às forças trevosas que se alimentam do medo e do terror, forças essas que buscam estimular ações de violência entre os encarnados. Sendo assim, toda a energia positiva criada na abertura foi muito bem vinda para a equipe de guardiões e amigos espirituais.

Do ponto de vista físico a abertura dos jogos também mostrou que o Brasil tem a capacidade de organizar um evento com criatividade e beleza e ao mostrar essa capacidade conseguiu apagar um pouco, ainda que em parte, a péssima impressão que marcou a desorganização dos jogos, sobretudo no atraso de obras e das obras que não mostraram o padrão exigido, como por exemplo, os alojamentos da vila olímpica.

O fato de exaltarmos uma abertura bem feita dos jogos não deve servir de pretexto para que esqueçamos toda a desorganização que precisa ser concertada. Em outras palavras, o fato de conseguirmos fazer algo bem feito deve servir de combustível para que façamos todo o resto bem feito e para isso se faz necessário o reconhecimento que há sim muita coisa errada que precisa ser mudada e reconhecer isso não é ter complexo de vira latas é em verdade ser realista

A ABERTURA DOS JOGOS DO PONTO DE VISTA POLÍTICO E SIMBÓLICO

Em uma abertura de Olimpíada o que normalmente ocorre é o país sede tentar mostrar um pouco da sua história de um ponto positivo: o melhor da sua cultura, suas conquistas históricas, enfim, mostrar aquilo que de melhor o país possui e ao mesmo tempo tentar transmitir um pouco dos seus valores para o mundo.  Teoricamente.

O que talvez seja um pouco triste de observar na abertura dos jogos no RJ é que os pontos escolhidos a serem superdimensionados, em sua maioria, não exaltam as principais qualidades do país e da sua história: a mensagem principal, idealizada por um ferrenho eleitor da Marina Silva diga-se de passagem, é de que o Brasil em essência é um país de belezas naturais, que foi vítima da colonização portuguesa e que as maiores expressões culturais do país são o samba e a favela (ou com um outro nome, comunidade)

Claro que para governos demagógicos e populistas é muito mais bonito "glamourizar" a pobreza, como se a falta de saneamento básico nas comunidades (a principal culpa pela poluição da Baía de Guanabara) não fosse responsabilidade exatamente do Estado. Chega a ser irônico que uma cerimônia olímpica exalte a natureza e o comitê olímpico não tenha entregado, como prometido a baía de Guanabara despoluída.

A ocupação desordenada dos morros, a ausência do Estado em prover serviços básicos criando uma clara separação entre "favela e asfalto" que culmina com o surgimento do tráfico nessas regiões e de terríveis tragédias como deslizamentos por conta de fortes chuvas, mostram que na verdade a favela ou "comunidade" não é motivo de orgulho ou "glamourização", mas um claro reflexo da incompetência do Estado. 

O processo de independência do Brasil, o crescimento da cidade (SP) que é hoje a maior metrópole da América do Sul e outros pontos marcantes da história do país, como o "milagre econômico" quando o Brasil pulou de 40º economia do mundo para o top 10 mundial, crescendo dois dígitos ao ano, crescimento que em quase duas décadas foi o maior do planeta, foram alguns pontos que sequer ganharam relevo na abertura... E porque será? Será porque era uma época de um governo que combatia o marxismo “moreno” dos guerrilheiros treinados em Cuba e que ansiavam implementar no Brasil a ditadura do proletariado nos moldes castristas?


Tenho observado de forma curiosa, ainda que sem o menor espanto, que muitos apoiadores do governo vermelho estranhamente nas últimas semanas só falam em natureza e valorização do meio ambiente, uma causa justa certamente, mas porque subitamente essa pauta ganhou tanta importância? Para quem defendia a exploração do petróleo no pré sal até pouco tempo como uma das principais matrizes energéticas do país e a solução mágica para o avanço econômico do país (uma saída certamente nada ecológica) fica estranho observar o súbito interesse ou "mudança" pela causa ecológica. Os vermelhos, sobretudo os neoconvertidos em "esquerda melancia" (verde por fora, mas vermelho por dentro) estão deixando cada vez mais claro o seu entendimento que as suas duas principais lideranças políticas estão mortas e enterradas politicamente e que, por conseqüência, só existe um único nome capaz de prosseguir com o legado "marxista populista" de exaltação da pobreza, estado gordo e paternalista,  só que em uma linguagem mais "soft", "cool", "e-consciente".

Muitos podem dizer: mas Zé, o diretor da festa é antipetista, a Marina se diz antipetista (inclusive apoiou o Aécio, mas isso só depois de ser muito atacada moralmente pela campanha dilmista) como que você fala que o plano dos vermelhos é a Marina? A resposta é simples: Marina sempre sonhou em ser uma liderança, em ser presidente, e soube bem cedo que jamais conseguiria isso no partido de Lula. 

Com o fim próximo da legenda vermelha, muitos políticos e membros do partido, que possuem forte capilaridade nas universidades, nas redações de jornal, nos movimentos estudantis e nas associações municipais sabem que precisam de alguém com força política para voltar ao poder máximo do Estado, porque eles vivem disso, ideologicamente o partido existe para controlar o Estado e se sustentar através do Estado. Os parlamentares ligados ao partido da Marina votaram contra o impeachment, inclusive com defesas apaixonadas pela tese do golpe...ora, quem se diz antipetista vota contra o PT e não a favor, assim fica muito fácil se dizer ex petista, criando um partido para abarcar todos os ex petistas e falar em um “novo discurso” de “social democracia” ou “terceira via”.    

Não se enganem meus amigos, o plano B dos vermelhos já está em prática para 2018 e o que eles puderem fazer para tentar convencer o povo que o problema maior não é a corrupção, mas sim a natureza, o farão. Mas não levarão, garanto.

Como já disse anteriormente, nunca mais um governo de viés populista e marxista elegerá um presidente, ainda que não seja necessariamente pelo partido vermelho e ainda que tenha uma cara de “social democracia ecológica”.

O processo de depuração da política no país não passa apenas pela prisão de algumas lideranças, fechamento de partidos políticos, mas sim o alijamento de pessoas que comungaram das idéias do governo vermelho e que participaram ativamente da tomada do Estado, ainda que tais pessoas responsáveis pela capilarização atual da ideologia vermelha tentem agora aparecer com uma máscara  “social eco democrática”. O processo de limpeza é muito mais profundo, visa colocar fim a idéia, ao ideário marxista-populista-gramsciano, assim como o afastamento e retirada de poder de todos aqueles que defenderem e defendem tal ideário. Esse é o trabalho dos guardiões, que foi previsto e vem acontecendo exatamente como previ, não adianta qualquer força de oposição, qualquer tentativa de resistência ao sopro avassalador da mudança será em vão.  

Garanto a vocês, se em 2013 todo o cenário que vemos agora em 2016 já era previsto, o mesmo vale pra 2018, não adianta querer inventar novas estratégias, repito: o ideal marxista populista no Brasil acabou, nunca mais elegerão um presidente ou "presidenta", que isso esteja sempre muito claro, pois todas as tentativas serão frustradas.


Previsto uma vez, previsto uma segunda vez. Aqui não falamos depois que o fato acontece, avisamos e alertamos antes do fato acontecer para que tenham certeza que nada nesse processo de mudança é por acaso.

Para adquirir o novo livro "Brasil Ordem em Progresso" clique no banner abaixo:




Para adquirir o livro "Brasil o Lírio das Américas":



Para adquirir o livro "Armagedoom 2036":



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Grupo Profecias 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036: 


29 de jul de 2016

Lançamento do Novo Livro – “Brasil: Ordem em Progresso”

Livro Brasil Ordem em Progresso José Alencastro


Um grande processo de limpeza se iniciou nas regiões da América do Sul e Central, em especial no Brasil, a partir de dezembro de 2012. Era o início de uma das etapas da fase mais importante do cronograma mundial da Transição Planetária, aquela que engloba os próximos vinte anos finais que precedem o dia do juízo, o Armagedon, profetizado pelo próprio Cristo.

Mais do que trazer novas informações sobre missões realizadas no mundo espiritual com o objetivo de combater milícias umbralinas, em especial durante os jogos Olímpicos, mais do que trazer novas informações sobre o futuro político do país relatando eventos futuros dentro desse cronograma e mais do que trazer os bastidores de algumas das missões já relatadas no blog, essa nova obra tem alguns objetivos principais.

Entre esses objetivos está a preparação, com alguns conhecimentos fundamentais, para aqueles que estão começando as primeiras experiências projetivas conscientes e semi conscientes no mundo espiritual e têm se mostrado interessados em colaborar junto as atividades dos amigos espirituais que visam assegurar a lei e a ordem durante a guerra espiritual que está em curso e que mostrou apenas uma pálida imagem do que realmente acontecerá no ápice dos eventos quando realmente chegar ao mundo físico.

Podem acreditar, sobretudo quem tem encarado esses confrontos no astral, nem de perto o que estamos vendo no físico representa o que está acontecendo nas zonas umbralinas

Tal preparação traz conhecimentos sobre energia mental, ectoplasma, desenvolvimento de alguns potenciais projetivos, além de mostrar com uma linguagem muito simples, baseada nas experiências pessoais do próprio autor, como realmente funcionam as "coisas" no mundo astral, não apenas no aspecto que tem sido muito abordado em diversas obras mediúnicas de valor sobre o intercâmbio entre as consciências desencarnadas e encarnadas em projeção, mas o contato de cada encarnado com sua própria realidade interior, seu próprio subconsciente e inconsciente durante essas experiências.

Vamos descobrir algumas tecnologias do mundo espiritual que em breve estarão na Terra entre os encarnados, compreender através de exemplos práticos como funciona um pouco do dia a dia dessas localidades. Vamos conhecer um pouco mais sobre como funciona a hierarquia das esferas superiores no trabalho de manutenção da lei e da ordem e como os médiuns são aproveitados, segundo seus potenciais, através dessas diversas hierarquias, em especial nas situações que envolvem atualmente o Brasil.

E finalmente, após toda essa jornada que busca compreender todo o processo de transformação que a espiritualidade está realizando sobre o Brasil e o mundo, compreenderemos um pouco mais sobre a tecnologia de pesquisa do Akasha, , pesquisa essa que permitirá contar onde tudo começou: a Atlântida

Livro Brasil Ordem em Progresso, guardiã Anik, guardião Jeremias, José Alencastro, 2036


ALGUMAS CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES SOBRE COMO ADQUIRIR O MATERIAL

1) O livro “Brasil : Ordem em Progresso” não será vendido no formato impresso, apenas no formato pdf.

2) O livro será vendido junto com a versão pdf do livro A Bíblia no 3º Milênio (exatamente no aniversário de 3 anos do lançamento do livro, em 29 de julho de 2013).

3) O valor desse material duplo é vinte reais.

4) Quem quiser o material envie um email com o título "EU QUERO" para os emails profecias2036@hotmail.com e profecias2036@gmail.com que eu responderei como proceder a aquisição.

5) Quem já recebeu o email e seguiu os passos para a aquisição basta enviar um print confirmando a compra para um dos emails citados no item 04.

6) Os pdfs serão enviados ao longo do dia 29 de julho a partir das 17:30. Quem confirmar a compra dia 29 ou posteriormente, recebe um dia depois da confirmação através do email.

.


Fanpage Profecias o ápice em 2036 no Facebook:

Grupo Profecias 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036: