26 de jun de 2015

Matrix Decodificada - Os Significados Espirituais e Mitológicos


Matrix significados espirituais


Mais de quinze anos após o primeiro filme (Matrix 1999) há ainda muito por ser compreendido sobre os significados ocultos da trilogia. Nas próximas linhas alguns significados dos personagens e história do ponto de vista da atual realidade da Terra (entre o plano físico e astral na atual Era de expiação e provas) e também alguns significados mitológicos e bíblicos dos personagens de Matrix. Escolha sua pílula... 

Zion – simboliza o astral inferior, representa o lugar que os espíritos libertos do materialismo se reúnem para combater a escuridão e a ilusão, simbolizada pelo mundo material (no filme a superfície terrestre está coberta de trevas e as máquinas fazem os seres humanos dormirem em casulos, enquanto permanecem presos ao materialismo através das ilusões e dos gozos oferecidos pela matrix) 

Matrix , neo na cidade das maquinas


Matrix – simboliza a interação entre o mundo material e o astral intermediário. Nesses dois planos muitos espíritos “dormem” encarnados no mundo físico sem qualquer percepção da realidade espiritual (dormem a semelhança dos seus corpos presos aos grandes casulos), ao mesmo tempo que enquanto dormem (estão encarnados) vivem as ilusões da matéria acreditando que o plano material é a verdadeira realidade. 

Ocorre que o plano material é interpenetrado pelo astral intermediário e nesse plano temos a face “astral” da Matrix (simbolizando nessa face o astral intermediário): a luta entre os espíritos libertos do materialismo, que por conhecerem as regras do astral, diferente do mundo físico, conseguem voar, mover-se mais rapidamente, tudo que um encarnado em projeção consciente ou em algum trabalho mediúnico mais ostensivo consegue fazer, ao mesmo tempo enfrentando os “agentes” ou “programas” que atuam para manter o mundo das ilusões como ele está. Se os agentes podem ser compreendidos como os “obsessores” ou “kiumbas” que agem nessa realidade, Smith é o claro arquétipo do mago das trevas com a capacidade de realizar amplos processos obsessivos ao ponto de conseguir se replicar em toda Matrix, agindo diretamente sobre o chacra cardíaco e transmitindo uma substância negra e viscosa (vibrião), quando então transforma o obsesediado em uma marionete sob o seu controle (ao ser transformado em alguém com a aparência de Smith)

Os despertos (como Neo, Morfeus, Seraph, Trinity, Niobe entre outros) representam os espíritos com conhecimento da vida espiritual que lutam tanto no astral inferior como no astral intermediário e também no físico para despertar os encarnados que ainda dormem e que vivem a “realidade” da Matrix semelhante ao mundo como o conhecemos, enquanto que em suas batalhas esses “despertos” vivem os confrontos no astral intermediário contra agentes e outros programas. O filme ao retratar a Matrix mostra essas duas realidades, interagindo entre si, de forma bem semelhante ao que ocorre no mundo físico e no astral intermediário, dois “locais” (planos) diferentes em um mesmo “local”.

Máquinas - As máquina representam a própria falta de espiritualidade, de alma, o excesso de materialismo, ou seja, o principal adversário do ser humano na sua jornada evolutiva: a falta de percepção da essência espiritual, do divino. Por isso elas são apresentadas no filme se alimentando dos humanos (os encarnados dormindo nos casulos, sem consciência da realidade espiritual), vivendo na escuridão e prontas para destruir qualquer luta pelo despertar espiritual. A própria Fonte das máquinas, apresentada ao final do filme mostra o resultado disso: a destruição do mundo das ilusões, através da ação do escolhido

Matrix cidade das trevas


Neo – É um arquétipo que representa todos os profetas, os escolhidos por Deus para anunciar sobre a vida espiritual, realizar feitos fantásticos, ajudar a livrar a humanidade do materialismo, das trevas e da ilusão. Neo é uma referência clara em seu nome ao profeta Noé, pois na Bíblia Latina o profeta é descrito como Noe e na versão Grega como Nwe, ou seja, um anagrama para New = novo = neo = Noé.

Há ainda outras curiosidades: quando Deus anuncia o dilúvio a Noé (lembrando que a batalha final entre Neo e Smith é no meio de uma chuva torrencial), o profeta contava com 600 anos. Segundo as escrituras, nenhum homem poderia viver mais do que 120 anos e no diálogo com o Arquiteto, este diz que Neo é a sexta anomalia, ou seja, depois de 5 anomalias de 120 anos ou 5 “encarnações” ou 600 anos de vida surge o aviso de Deus a Noé que o mundo seria destruído pelo dilúvio universal.

Zion é a forma inglesa de Tsion (monte Sião em árabe) o monte mais alto de Israel (na época de Abraão chamado de Sião e hoje conhecido como Monte Hermon. Tsion significa “cume”. No dilúvio bíblico a Arca de Noé ficou acima do monte mais alto, ou seja, o próprio Sião. Biblicamente, o monte mais alto representa o afundamento da Atlântida que na época era o maior farol de conhecimento da humanidade, já no filme representa a destruição do mundo das ilusões quando as “águas”(simbolizando a purificação) cobrirem todo o astral inferior (simbolizado por Zion), permitindo simbolicamente a vitória da espiritualidade sobre o materialismo.

Morpheus – Clara referência ao mitológico deus grego Morfeus que significa “moldador de sonhos”, em um sentido mais amplo aquele que consegue agir do plano astral sobre os que dormem no plano físico, influenciando e moldando seus sonhos.

Essa faceta de Morfeus é mostrada na própria influência que ele realiza sobre os companheiros de luta para que acreditem na profecia do escolhido, despertando um sentido ainda maior de fé e espiritualidade. Por tudo isso é ele a guiar Neo por toda a jornada de esclarecimento e descoberta sobre o que é a Matrix assim que ele é liberto ao mesmo tempo que encoraja com o seu discurso na caverna de Zion a resistência contra a invasão das máquinas.

Matrix, Neo e Morfeu, pilula vermelha e azul


Curiosamente Morfeus comanda a nave Nabucodonosor, nome de um famoso rei bíblico que após um sonho (opa) busca a ajuda de um profeta, Daniel (ooopa) para interpretar o sonho. Dentro da nave tem a inscrição Marcos 3:11, a nave do anunciador da profecia (Morfeus) e do profeta que vai realizar a profecia (Neo) , sendo que Marcos capítulo 3 (terceiro milênio, iniciado em 2001) tem 35 versículos (termina em 2036...oooooopa).

Ou seja, Mark ou Marcos (MA) capítulo 3 (TRIX) acaba no versículo 35, ou seja, a Matrix (o mundo das ilusões alimentado pelo materialismo) acaba no ano 35 do terceiro milênio (2036... ooooooooooooopa).

Mas vamos prosseguir com a análise mais espiritual do filme...

Na mitologia, o plano astral ou reino subterrâneo era conhecido como Hades (guarde bem esse nome) e dentro dele dois deuses mitológicos tinham a capacidade de conduzir as almas, de agir diretamente com grande força sobre esse “reino”. Um deles já foi apresentado, Morfeus.

O outro, na verdade a outra é Hécate, conhecida como a deusa tríplice por carregar duas tochas de fogo e uma chave. E quem é Hécate, a deusa “tripla” que é encarregada de salvar o chaveiro em Matrix Reloaded e que foge em uma moto após receber uma chave do chaveiro? Bingo se você respondeu Trinity.

No segundo filme surge a figura de Perséfone, que segundo a mitologia era uma bela mulher de olhos escuros (como a protagonista Mônica Belucci), que vivia em um casamento tranqüilo com Hades, a exceção de um episódio, quando Hades sentiu-se atraído por uma ninfa chamada Menthe (no filme o seu esposo desperta a fúria de Perséfone quando se envolve com uma mulher do restaurante, fazendo com que ela leve Neo, Trinity e Morfeus ao chaveiro). Segundo a mitologia, Perséfone interferia nas decisões de Hades sempre em favor dos heróis e mortais, sempre disposta a atendê-los quando buscavam ajuda.

E quem era o esposo de Perséfone no filme? Trata-se de Merovíngeo, a representação do próprio Hades, o deus mitológico do mundo inferior, ou seja, do plano astral. No filme ele é um programa responsável por traficar todas as informações da Matrix, corroborando para o entendimento que ele é o próprio Hades.

No primeiro filme (Matrix, 1999) por volta de 01h32min o agente Smith revela que aquela versão de Matrix era a segunda, pois a primeira havia sido um fracasso em virtude da sua “perfeição” e inevitabilidade, algo “corrigido”, segundo o Arquiteto ao final do segundo filme da trilogia, através do Oráculo. Na mitologia, Hades faz parte dos deuses da segunda geração (coincidência não?).

Seguindo essa linha de interpretação associando os principais programas da Matrix às principais divindades mitológicas, a Fonte (personagem que Neo encontra na cidade das máquinas ao final do ultimo filme) representa o deus Urano, divindade do céu e da noite, criando seres gigantes com vários braços e pernas (a semelhança das máquinas) e por odiá-los os aprisionou na Terra, inclusive uma indício desse entendimento é que, por aprisionar os filhos mais novos de Gaia, o próprio personagem aparece ao final do filme com um rosto de criança. Em um sentido mais filosófico, representa as forças primordiais instintivas, infantis, que muitas vezes permitem que os desejos e a falta de discernimento nublem os sentimentos mais nobres, conduzindo ao materialismo (representado no filme pelas máquinas) e a falta de espiritualidade.

O Arquiteto e o Oráculo simbolizam os pais de Hades, ou seja, Cronos e Reia, os criadores da primeira Matrix. Inclusive segundo a mitologia foi durante o reinado de Cronos que a humanidade viveu sua “Era de Ouro” (uma clara referência a primeira geração da Matrix que refletia a “perfeição” e “inevitabilidade” segundo as palavras de Smith e do Arquiteto ao longo da trilogia)    

A mitologia de Reia (Oráculo) é ainda mais interessante: devido a um oráculo de Urano, Cronos seria destronado por um dos seus filhos. Após Cronos matar cinco filhos (Arquiteto derrotando as 5 anomalias da Matrix), Reia resolve salvar o sexto filho (a sexta anomalia, Neo, que é ajudado o filme inteiro pelo Oráculo) e ele então derrota Cronos tornando-se o rei dos “deuses” (programas que dominam a Matrix). Esse deus, filho de Reia, que representa a sexta anomalia ou Neo é exatamente Zeus, que na mitologia é também conhecido como o “ajuntador de nuvens” (em uma passagem do segundo filme, Neo voa pelos céus e faz um redemoinho com as nuvens).

Em um sentido mais filosófico, o Arquiteto e o Oráculo representam a capacidade criativa de cada pessoa: a face mais intelectual, analítica, racional, a inflexibilidade (Arquiteto) e a face mais intuitiva, emocional, flexível (Oráculo)

Mas voltando a Hades/Merovíngeo..... porque o nome de Merovíngeo? Os merovíngeos foram uma linhagem de reis franceses (por isso o personagem fala francês) que reivindicaram seu reinado e uma terra prometida por acreditarem que representavam uma linhagem sagrada de supostos filhos de Jesus e Maria Madalena, nada mais adequado para um ser mitológico (Hades) que equivale ao arquétipo do diabo criado pelos católicos como um ser que advoga pra si poder semelhante a Deus (e por isso advoga ser descendente do próprio Jesus, que diga-se de passagem não teve filhos e nem filhas apesar de realmente ter se casado com Maria de Magdala como explico em pormenores no livro A Bíblia no 3º Milênio)


Smith (com “mito” no próprio nome, ou seja, “is mith”) é uma referência mitológica a Poseidon. Na mitologia Poseidon é filho de Cronos e Reia (Arquiteto e Oráculo representados no filme) e irmão de Zeus (o escolhido), sendo seu antagonista. O filme mostra algumas pistas sobre isso: como na mitologia, na qual usa um tridente, Smith usa três dedos junto (como um tridente) para criar cópias suas dentro da Matrix. Além disso, na mitologia Poseidon é o deus supremo das tempestades, exatamente o cenário da luta final contra Neo, quando Smith já controla toda a Matrix. Para não restar dúvidas, em seu encontro com Oráculo, Smith a chama de mãe, como Poseidon chamaria Reia. Estes são os significados espirituais e mitológicos da trilogia Matrix.

Canal do Youtube: 



Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:

Fórum Profecias 2036:



9 comentários:

Carla Biscaglia disse...

Desde o meu primeiro contato com Matrix percebi que a linguagem subliminar, o subtexto do filme é gigantesco, muito maior do que o próprio filme em si. E toda vez que olhava (e olho até hoje, desde 1999) sempre encontro algo que havia passado despercebido. É tanta informação ali contida que só alguém com profundo conhecimento poderia "traduzir" e reunir tudo em um só artigo. Pois, mais uma vez parabéns José Maria Alencastro por mais um texto espetacular. Destrinchou o filme em pormenores. E foi bem na linha que eu imaginava, só não tinha o conhecimento para entender.

igor disse...

obrigado pela analise

Um adendo, o sobrenome Smith, uma abreviatura de Blacksmith, significa literalmente ferreiro....

Isso se encaixa de alguma forma com o arquetipo do agente Smith? (que vilao mais fdp viu...)

Taísa Marques disse...

É um filme que eu sempre vejo pausando, pois cada vez que assisto vejo uma nova mensagem. Cada cena aborda filosofias diferentes, que vão do cristianismo à mitologia grega, do espiritualismo ao ocultismo, etc... Gosto muito dos filmes dos irmãos Wachowski, especialmente a Trilogia Matrix e Cloud Atlas, justamente pela abordagem espiritual. Parabéns José Maria Alencastro pelo post abordando detalhes que ainda haviam me passado despercebidos. Abraço.

Montanha disse...

Oi Taísa!

O Cloud Atlas eu achei sensacional... Pena que foi um filme que as pessoas não deram muita importância... se reparamos no personagem do Tom Hanks, ele faz uma jornada espiritual onde vai de um salafrário que queria matar para roubar um baú a salvador da raça humana... O filme é cheio de detalhes e easter eggs, creio que até mais do que Matrix.

Abraço!

dannguile disse...

Ótimas analogias!

Taísa Marques disse...

Ei Montanha! As pessoas que criticaram o filme, não conseguiram perceber a essência genial dele. Eu assisto de vez em quando, e realmente tem muitos easter eggs nele. A forma como as ações mais simples realizadas num passado refletem no futuro, a evolução dos personagens ao longo das encarnações, o amor que "vence" a morte, os temas polêmicos abordados. Morro de rir com a enfermeira Noakes, rs...
"O que é um oceano senão uma infinidade de gotas?"

Abraço! :)

leidianellady disse...

José quero te fazer uma pergunta que não tem muito haver com o post. Diz se que quando a pessoa morre, o lado de lá não possui "tempo" como conhecemos, então uma pessoa pode morrer e escolher encarnar em um local totalmente diferente e anos antes da ultima encarnação dela? Por exemplo uma mulher que nasceu em 1970 na Inglaterra e morrer, pode nascer em outra dimensão na terra também em 1970, só que por exemplo, no japão? sempre tive essa duvida. Ou se ela morresse por exemplo em 2014, ela poderia reencarnar em outro país somente depois desse ano, como se dá o processo de reencarnação, as pessoas podem escolher qualquer país, ou existe alguma interferência de algo no astral?

Carla Biscaglia disse...

Fiquei curiosa com a pergunta da leidianellady....Não não abandone Zé, precisamos se seus textos! Grande abraço!

Cíntia Mendonça disse...

Já assisti algumas vezes a trilogia,cada vez enxergando um outro sentido nas mensagens. Mas nunca tive esta visão! Para min, é o filme mais complexo e enigmático que já assisti.Tudo fecha direitinho...