15 de jun de 2018

Previsão Copa 2018: Final Brasil X Argentina e um Novo Tricampeão


Será que a Astrologia pode explicar o sucesso e o fracasso de determinadas seleções na Copa do Mundo? Os estudos de Gauquelin (famoso por buscar dados estatísticos na Astrologia) encontraram forte proeminência de Marte no mapa de atletas de alto rendimento (notadamente na casa 01, em Áries e algumas outras posições). Alguns outros astrólogos gostam de analisar as seleções pela posição do mapa dos seus técnicos (o que pessoalmente acho errado). Então como poderíamos analisar ou aferir alguma conclusão com base na Astrologia a respeito dos resultados na Copa do Mundo? O que mostrarei a seguir tem como base o mesmo método que utilizei para prever com acerto e detalhe o resultado da copa de 2014 (previsão feita antes do início do torneio) que pode ser vista aqui:


O primeiro ponto é considerarmos algo que a maioria desconsidera: A Copa do Mundo é uma competição que ocorre de forma sistemática quase sempre com o Sol em Câncer


Se olharmos os principais craques da história veremos que a esmagadora maioria nasceu com o Sol em Escorpião, Câncer, Virgem e Touro, signos que fazem posições favoráveis com o "Sol da Copa" através de trígonos (Escorpião), conjunções (Câncer) e sextis (Touro e Virgem). Vejam a lista:

Cruyff (Touro), Zidane (Câncer), Ronaldo (Virgem) Beckenbauer (Virgem), Pelé (Escorpião), Maradona (Escorpião) e Garrincha (Escorpião)

A partir dessas conclusões preliminares temos como parâmetro de análise não o mapa do técnico da Seleção, mas sim do craque, aquele que fará a diferença, assim como devemos considerar os aspectos principais que envolvam o trânsito do Sol durante a Copa. Na Copa de 2014, por exemplo, o principal aspecto que se manifestou de forma tensa foi uma quadratura entre Urano e Sol que foi das quartas de final até a final (o que explica a lesão de Neymar e o desastre com o Brasil, como previ antes mesmo do início daquela Copa). Falarei da lesão dele em 2014 e porque o mapa dele está fraco para as finais de 2018, apontando que definitivamente o Brasil não será o campeão em 2018. Mas antes disso vamos ver algo curioso sobre a final das Copas:

1958 - Sol em Câncer, Júpiter em Libra
1962 - Sol em Gêmeos, Júpiter em Peixes
1986 - Sol em Câncer, Júpiter em Peixes
1994 - Sol em Câncer, Júpiter em Escorpião
1998 - Sol e Marte em Câncer, Júpiter em Peixes
2002 - Sol em Câncer e a conjunção Júpiter e Marte também em Câncer
2014 - Sol e Júpiter em Câncer
2018 - Sol em Câncer, Júpiter em Escorpião, Grande Trígono de Terra envolvendo Urano, Saturno e Vênus/Lua/Régulus

Reparem que o Sol esteve em Câncer na final de quase todas essas 8 Copas analisadas, assim como a presença de Júpiter em um signo de água.  Tudo isso explica o sucesso de jogadores (e suas seleções) com aspectos favoráveis em relação a Câncer. Além do Sol e Júpiter acredito que devemos considerar as posições de Urano e Marte nas finais, pois se tradicionalmente o Sol representa o ponto principal no céu e Júpiter o bem afortunado, por sua vez Marte e Urano representam a natureza competitiva e ativa dos jogos e exatamente através dessas 4 posições é que devemos analisar o mapa de um jogo (no caso o seu início, a hora que começa) em relação ao mapa natal do principal jogador da seleção que será estudada.

LESÃO DE NEYMAR EM 2014 E O MINERAÇO




Conhecida a forma de fazer a análise, vamos relembrar o que aconteceu a partir das quartas de final em 2014 e que desembocou no mapa do Mineraço. É importante ressaltar que os dados utilizados para esse estudo do post são completos para a hora dos jogos, mas para os mapas dos jogadores não foi utilizado o horário de nascimento, sendo assim no caso dos jogadores a posição do Ascendente e das casas deve ser descartada, mas tão somente a posição e grau de cada astro em cada signo

Naquele dia, o Sol estava a 16 graus de Câncer quadraturando com Urano a 16 de Áries e, além disso, Marte no ponto mais alto do mapa em 21 graus de Libra. (como é possível ver na imagem acima)

Como o Urano e Marte de Neymar está em 15 graus e 20 graus respectivamente de Capricórnio, ele foi bombardeado por trânsitos tensos, com o seu Urano recebendo uma oposição e uma quadratura e com o seu Marte quadraturando com o trânsito de Marte. Como Capricórnio rege os ossos esses trânsitos explosivos demarcaram o risco de lesão que acabou acontecendo e só não foi pior porque o Sol dele fez sextil com Urano e aliviou um pouco os efeitos explosivos dos outros trânsitos. Agora vejamos na imagem abaixo o mapa do Mineraço em relação ao mapa de Klose (que se tornou artilheiro das copas naquele jogo) e de Kroos (autor de dois gols e eleito o jogador da partida).


Como mencionado sobre as posições do céu naquele dia, o Sol estava a 16 graus de Câncer quadraturando com Urano a 16 de Áries e, além disso, Marte no ponto mais alto do mapa em 21 graus de Libra.    

Klose estava com o Sol natal em sextil com Urano no céu, Sol natal em trígono com Marte no céu e Urano natal em trígono com o Sol no céu todas as posições com limite de 3 graus de variação e apenas como aspecto tenso seu Marte natal quadraturando com Júpiter no céu.

Kroos tem dois aspectos ruins em relação aquele dia: Sol e Saturno em oposição ao Sol no céu daquele dia. Porém os dois principais aspectos favoráveis do mapa natal de Kross (trígono entre Lua e Marte natal e o sextil Saturno e Plutão muito forte) estão todos eles em aspecto positivo com a carta daquele jogo, em especial Plutão natal em trigono com Sol no céu, Marte natal em trigono com Urano no céu e Lua natal em conjunção com Urano no céu, sendo que o seu Plutão natal praticamente anula esse trânsito ruim sobre o seu Saturno natal, o que explica um mapa bem favorável.

Vamos então a cereja do bolo: Copa de 2018. Teremos um eclipse dois dias antes da final que, como já previ, será entre Argentina e Brasil. O mapa de Messi estará muito bom durante toda a Copa será sem dúvida a Copa dele. Analisaremos a seguir os mapas de Neymar e Messi em relação a grande final.


AÇÃO COLETIVA DO ECLIPSE E A FINAL MESSI VERSUS NEYMAR



Na Astrologia há uma ação do eclipse a nível coletivo que expliquei em setembro de 2016:

"Na Astrologia os eclipses demarcam a explosão de situações que já estavam em ponto de ebulição, ou seja, acelera processos, precipita a resolução de situações que já eram esperadas ou a ponto de ocorrer. Por envolver os dois luminares age com grande influência sobre a população"

No dia 13 de julho, dois dias antes da final da Copa, teremos um eclipse no grau 20 de Câncer com Sol e Lua em oposição exata a Plutão retrógrado (imagem acima) que estará exatamente sobre o Marte natal de Neymar que receberá essa oposição do eclipse solar diretamente no seu mapa (colocado abaixo)


Messi por sua vez receberá o eclipse exatamente em uma conjunção com o seu Marte natal criando o ponto de ebulição para uma situação que a muito tempo era esperada (o seu primeiro titulo mundial)

Teremos ainda no céu Marte em movimento retrógrado em conjunção com o Saturno de Neymar praticamente durante toda a fase de mata-mata da Copa até a final limitando sua capacidade de luta e criando barreiras adicionais para que ele exerça um papel de destaque a nível coletivo (pois ambos os astros estão em Aquário)

Messi por sua vez terá o seu Sol durante toda a Copa em sextil com Urano transitando no céu por Touro, o mesmo Urano que no dia do eclipse fará no céu um forte trígono com Vênus e no dia da final um Grande Trigono com Saturno e a Lua (regente do signo solar de Messi) cravada sobre Régulus (a estrela dignificante dos reis), definindo que a Argentina será a campeã e Messi o craque da Copa (abaixo o mapa da final junto com o mapa de Messi)


Considerando que a final ocorrerá dois dias depois de um eclipse é relevante observarmos o nodo lunar norte (caput draconis) que é calculado a partir do movimento da Lua cruzando a eclíptica (caminho aparente do Sol em relação a Terra que no mapa é o ponto central de observação) no movimento de Sul para norte. Pois bem, o caput draconis de Messi está em Áries (o inicio, o impulso inicial, o ímpeto para a realização) em sextil exato no mesmo grau com Marte no céu em Aquário apontando uma harmonia (sextil) através de uma luta (Marte) coletiva da seleção (Aquário) visando um objetivo futuro, exatamente a conquista do título que representa a missão de vida (caput draconis) do mapa de Messi.
   
Demais previsões cumpridas e o estudo completo sobre 2036:



Como adquirir os livros no formato impresso ou em pdf:

Nenhum comentário: