18 de abr de 2013

A Vida no Astral Inferior (Parte I) - Decapitação de um Perispírito

Decapitação no astral inferior


Pergunta curiosa que recebi no email do blog:


A pergunta é a seguinte: Se no astral inferior um espírito tem a sua cabeça perispiritual arrancada por uma ave ou um ser maligno do astral inferior, o espírito imediatamente vira um ovóide ou o seu corpo perispiritual permanece inteiro da cabeça para baixo. E se ele permanecer inteiro da cabeça para baixo, ele poderá ser resgatado para a reconstrução da cabeça perispiritual ? Muito obrigado pela tua atenção !Um abraço”
  
Olá, essa é uma pergunta interessante. Primeiro de tudo, devemos saber que o perispírito é formado pelo conjunto do chamado corpo astral com o corpo mental inferior, ambos ligados entre si. É esse corpo (perispírito) que o espírito se utiliza como meio de manifestação no mundo espiritual e também quando reencarna no mundo físico.

Se uma pessoa encarnada, por exemplo, amputa uma perna física, o seu perispírito continua ali, ou seja, a perna perispiritual continua inteira, tanto que é comum pessoas amputadas sentirem por um tempo a chamada dor fantasma, pois sentem a sua perna perispiritual e não mais a perna física, que foi retirada. Como normalmente ocorre uma grande descida de toxinas pelo local que foi amputado, é normal a pessoa sentir a perna perispiritual em processo de cicatrização e regeneração das feridas que ali existiam, mesmo a perna física não estando mais lá.

No mundo espiritual ocorre algo semelhante. Se, por exemplo, algum animal feroz do astral ou algum outro espírito cortar a cabeça ou outra parte do corpo perispiritual de alguém, terá cortado apenas a parte relativa ao corpo astral e não do corpo mental inferior, pois esses dois corpos se encontram em planos diferentes.

Sendo assim, dependendo dos conhecimentos do espírito (um mago negro, um assecla preparado e bem treinado ou ainda no caso de um espírito de luz, como um mentor ou guardião), ao ter a cabeça astral retirada, ele permanecerá consciente e em poucos segundos plasmará uma nova cabeça astral, visto que seu foco de consciência transita facilmente entre o astral e o mental. O corpo astral tem propriedades ideoplásticas  tanto que é comum mesmo em espíritos não muito treinados, plasmar máscaras ou formas diferentes sobre o próprio corpo astral, pois ele tem essa capacidade de manipulação e regeneração muito acima da que existe no corpo físico.

No caso de um espírito sem tantos conhecimentos de como plasmar formas no seu corpo astral, ao ter a cabeça decapitada, ele simplesmente ficará inconsciente por algum tempo, pois assim como alguém encarnado que desmaia e abandona temporariamente o corpo físico, nesse caso ele abandonará temporariamente o seu corpo astral, passando a ficar no plano mental, em corpo mental inferior, mas ainda conectado ao corpo astral, que naturalmente realizará um processo automático de regeneração das células astrais, semelhante ao processo que existem em alguns órgãos do corpo físico que conseguem se regenerar (alguns inclusive completamente).

O que pode acontecer nesses casos é que alguma milícia, algum cientista ligado a falanges trevosas ou mago negro interfira nesse processo natural de recomposição do corpo astral e dessa forma impeça que o processo se conclua e assim, nesse caso, o corpo astral poderá ser deteriorado gradativamente, primeiro ao estágio de "cascão astral" ("cadáver" astral) e depois ao estágio de vibrião (uma espécie de ovóide com 1 metro de tamanho, semelhante na forma a uma cobra gelatinosa enegrecida). 

Se o corpo astral deteriorar para um cascão astral, a ligação entre o corpo astral e o mental inferior será desfeita e o espírito ficará apenas com o seu corpo mental inferior que naturalmente começará a agregar matéria astral ao seu redor para formar um novo corpo astral, processo que pode levar bastante tempo e assim que esteja concluído fazer com que o espírito retorne ao plano astral.

No segundo caso, o do vibrião, o corpo astral é mantido ativo artificialmente e sobre uma ação de deterioração semelhante a do ovóide, nesses casos o espírito em corpo mental inferior ainda permanece ligado a esse corpo deteriorado, que normalmente é utilizado em processos de obsessão orquestrados por magos negros e cientistas ligados a esses magos.

Mas e se um encarnado, em projeção consciente, tiver sua cabeça perispiritual decapitada?  

Antes de mais nada será bem difícil que isso ocorra com um encarnado, pois o chamado cordão de prata traciona o perispírito em direção ao corpo físico quando existe um perigo muito grande que possa lesar a estrutura perispiritual, esse mecanismo é bem comum sobretudo entre os projetores iniciantes que ainda não conseguem controlar de forma mais ampla o seu perispírito no astral. Mas vamos supor que um projetor consciente e experiente evitou conscientemente esse mecanismo de defesa do cordão de prata e, durante alguma batalha, teve sua cabeça perispiritual decapitada, o que vai acontecer? A resposta é simples: uma nova cabeça perispiritual será plasmada em poucos segundos, mesmo que o projetor não tenha grandes conhecimentos de como plasmar formas artificiais, o seu duplo etérico (o corpo de ectoplasma) fará com que esse processo seja intensamente acelerado e o máximo que vai acontecer é que durante poucos segundos o espírito permanecerá inconsciente, normalmente nesse caso tendo sua cabeça perispiritual refeita enquanto, inconsciente, é levado de arrasto pelo cordão de prata ao corpo físico.  


Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:


Um comentário:

Regina Maria disse...

Bom dia,José
Lembro-me que quando fazia um exercício,no curso de projeção astral do Waldo Vieira e,quando sentada numa cadeira,senti o meu psicossoma
(perispírito),se descoincidir do corpo físico e ir,na mesma posição,de sentada,para uns centímetros à frente.Quando me, surpreendendo,com a situação e com a preocupação de que o meu corpo físico,pudesse cair da cadeira,rapidamente voltei à ele.
Pena que não consigo me projetar conscientemente...Só numa outra vez e,foi a última,estava sobre a cama na vertical e vi o quarto,mas quando pensei que uma janelinha,que tinha lá, estava meia aberta,comecei a sentir ser puxada pela cabeça e,ficando na horizontal,e ao mesmo tempo,ir adormecendo.Foi muito real para ser apenas um sonho...Abraços.