30 de jan de 2014

O Mapa Natal de Jesus


Maria o menino Jesus

Recebi uma interessante questão com relação a data do nascimento de Jesus, questionando se Jesus teria nascido em 21 de agosto do ano 7 antes do ano zero. Vamos descobrir o mapa natal de Jesus.

Segundo meus estudos Jesus nasceu em 21 de setembro do ano 3 antes do ano zero, às 17 horas e 55 minutos em Belém da Galiléia, quando aconteceu uma conjunção do Sol com a estrela Spica e de Júpiter com Régulus, deixando o céu naquele dia intensamente  luminoso, como se uma nova estrela muito mais brilhante tivesse surgido. Deixarei a imagem do mapa logo abaixo e nos próximos posts farei uma análise bem ampla do mapa astrológico de Jesus:
Mapa natal, mapa astrológico, mapa astral

Tal época (meados de setembro) coincide com o ano novo judaico, a festa de Rosh Hashana que possui uma curiosa ligação em termos de significado numérico, amplamente estudada pelos cabalistas. Já mostrei aqui no blog os significados do número 36 (reconstrução, renovação, kamea solar) e 72 (os nomes de Deus, a energia da criação). Existe logo no inicio da Genesis uma interessante relação entre os números 37 e 73 (posteriores em seqüência ao 36 e 72) demonstrando um novo ciclo divino e que está ligado exatamente a festa judaica do Rosh Hashana. Tal relação pode ser vista AQUI 
Mas vamos a famosa questão do recenseamento:
Os defensores da tese de que Jesus teria nascido ao final de agosto do ano 7 antes do ano zero baseiam-se nas seguintes premissas:
Segundo a Bíblia, em Mateus, Jesus teria nascido no governo de Herodes que faleceu por volta de 4 AC.
Os romanos obrigaram o recenseamento de todos os povos que lhes eram sujeitos a fim de facilitar a cobrança de impostos, o que se tornou numa valiosa ajuda na localização temporal dos fatos, uma vez que ocorreu exatamente 4 anos antes da morte de Herodes, no ano 8 a.C..
Entretanto, os Judeus tomaram providência no sentido de dificultar qualquer tentativa por parte dos ocupantes em contar o seu povo, pelo que, segundo a história, nas terras judaicas este recenseamento ocorrera um ano depois do restante império romano, ou seja, no ano 7 a.C.. Em Belém, o recenseamento ocorrera no oitavo mês, pelo que se concluiu que, Jesus nascera provavelmente no mês de Agosto do ano 7 a.C..
Outros fatos também ajudam a estimar a data exata. Conforme é relatado pelos textos bíblicos, no dia seguinte ao nascimento de Jesus, José fez o recenseamento da sua família, e um dia depois, Maria enviou uma mensagem a Isabel relatando o acontecimento.
A apresentação dos bebês no templo, bem como a purificação das mulheres teria de ocorrer até aos vinte e um dias após o parto. Jesus foi apresentado no templo de Zacarias, segundo os registros locais, no mês de Setembro num sábado. Sabe-se que Setembro do ano 7 a.C. teve quatro sábados: 4, 11, 18 e 25. Como os censos em Belém ocorreram entre 10 e 24 de Agosto, o sábado de apresentação seria o de 11/09. Logo Jesus teria nascido em 21 de Agosto do ano 7 a.C ou em um dia muito próximo dessa data.
O principal argumento dessa tese é o de que o nascimento de Jesus aconteceu quando José foi a Belém com sua família para participar do recenseamento.
Entretanto, segundo o historiador inglês Robin Lane Fox, não é verdade que os chefes de família tinham que se apresentar ao censo em seu local de nascimento: cada um era recenseado onde vivia, onde tinha propriedades, onde ganhava o seu sustento. José seria recenseado, por conseguinte, em Nazaré, e não em Belém. Por fim, os romanos não realizavam censos em regiões de governo autônomo, como a Galiléia, terra de José e Maria. Os habitantes de tais regiões não pagavam impostos diretamente a Roma, mas ao governo regional, que, por sua vez, pagava tributos a Roma. O objetivo dos censos romanos era exclusivamente tributário, e o Império só fazia censos onde recolhia os tributos diretamente.
Temos ainda outro problema; segundo o evangelista Lucas, o nascimento de Jesus ocorreu na época do recenseamento do imperador César Augusto. Entre 28 antes do ano zero e o ano 14 depois de Cristo ele promoveu o recenseamento em 3 oportunidades: em 28 AC, 8 AC e no ano 14. Ocorre que Lucas acrescenta que tal recenseamento ocorreu na época do governador Quirino, ocorre que Quirino foi governador romano apenas a partir do ano 6, ou seja, muito depois do suposto recenseamento em 8 AC.
Então como explicar essa aparente incompatibilidade nas informações?
Teríamos que admitir dois recenseamentos: um romano, feito por Quirino e um, a nível provincial realizado por Herodes ao final do seu reinado, próximo da sua morte e que teria sido completado pelo seu sucessor e filho, Herodes Arquelau, explicando assim o nascimento de Jesus em 3 antes do ano zero, na época de Herodes, mas sim do seu filho, Arquelau e talvez por causa disso, por completar o senso iniciado pelo seu pai Herodes o Grande é que Lucas tenha relatado o nascimento de Jesus durante o governo de Herodes o Grande, pois o recenseamento que comprovava o nascimento do Messias havia sido iniciado quando Herodes o Grande ainda estava vivo.
Mas então como explicar a informação de Lucas, aparentemente conflitante? É simples: no passado alguns recenseamentos poderiam levar até 40 anos devido as dificuldades logísticas e tecnológicas, não seria improvável imaginar que o recenseamento iniciado por César Augusto em toda Roma em 8 AC pudesse prosseguir e ser realizado nas províncias do governador romano Quirino no ano 6 quase 15 anos depois. Isso explicaria a aparente confusão, pois dentro do recenseamento de todas as províncias e tetrarquias de Roma, aconteciam os recenseamentos provinciais, exatamente o que Herodes o Grande deve ter feito, seu filho prosseguido em virtude da morte do pai e que estava dentro do conjunto do grande recenseamento realizado por César Augusto.
Isso explicaria o nascimento de Jesus no ano 3 antes do ano zero, assim como o fenômeno da estrela de Belém, devido a proximidade de Júpiter a estrela Alpha leonis exatamente em setembro do ano 3 em pleno ano novo judeu da época. Vale ressaltar que em agosto do ano 7 antes do ano zero não existe qualquer relato astrológico de algum fenômeno que pudesse produzir um brilho no céu que explicasse o fenômeno da Estrela de Belém.
Além dos argumentos que expus aqui, existe um outro forte argumento que aponta o nascimento de Jesus para o final de setembro.  Logo no primeiro capítulo do Evangelho de Lucas é relatado que Zacarias, pai de João Batista, pertencia à ordem sacerdotal de Abias e tanto no livro de Crônicas como no capítulo 16 de Deuteronômio é são informados alguns dos serviços que esses sacerdotes cumpriam em virtude das festas judaicas. Com base em tais relatos é possível concluir que Zacarias permaneceu a serviço da ordem até a 10º semana do ano judaico. O primeiro capítulo do Evangelho de Lucas relata que Zacarias retornou para sua casa logo após a conclusão dos serviços na ordem e que em seguida João Batista foi concebido, em junho segundo essa cronologia.
Ou seja, João Batista nasceu em março, exatamente no mês de Nisan durante os festejos da Páscoa, quando os judeus esperam o retorno de Elias durante os festejos, inclusive deixando uma cadeira vazia durante os festejos em suas casas destinada ao profeta. "Coincidentemente" João Batista, o Elias reencarnado, nasceu exatamente durante os festejos nos quais o profeta é bastante lembrado. O livro de Mateus, capítulo 17, confirma essa informação, ao dizer que João Batista realmente nasceu na Páscoa, pois segundo consta durante a sua concepção, o anjo Gabriel informou que ele, João Batista, viria com a força e o espírito de Elias.

Além de todas essas informações outra questão importante a ser considerada é que João teria nascido ao final de março, já que Jesus nascera em final de setembro, e sendo assim João Batista nasceu sob o signo de Áries. Todo o perfil psicológico mostrado nas Escrituras sobre João Batista permite tranquilamente, associarmos sua personalidade e atos a de um típico ariano.
Com essas informações fica fácil identificar o mês que Jesus nasceu. No primeiro capítulo do Evangelho de Lucas é dito que Maria concebeu Jesus durante o sexto mês de gravidez de Elisabeth, ou seja, em dezembro. Considerando que são necessários 9 meses para o nascimento, Jesus nasceu em setembro.
Temos, portanto, indicativos muito mais consistentes apontando o nascimento de Jesus para o mês de setembro.
Quanto a questão do ano, a aparente confusão comentada linhas atrás explicaria a questão do recenseamento, visto que entre os ano 7 e 4 antes do ano zero não tivemos fenômeno astrológico algum que pudesse explicar o brilho no céu da estrela de Belém. A nível astrológico, o dia 21 de agosto de 7AC ainda traz uma péssimo posicionamento que dificilmente identificaria a vinda de um emissário divino: uma forte conjunção do Caput draconis com a estrela Algol

Em virtude de todas essas informações e reflexões acredito que a data mais adequada para o nascimento de Jesus seja exatamente o final de setembro do ano 3 antes do ano zero, exatamente como foi mostrado no blog e no segundo capítulo do livro "A Bíblia no 3º Milênio", corroborando assim para o mapa natal mostrado neste texto.     

Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036

Fórum Profecias 2036: 
http://www.profecias2036.com.br/forum/

15 comentários:

Eliana Guerra disse...

HA MUITO TEMPO LI SOBRE O MÊS QUE JESUS TERIA NASCIDO, E O TEXTO DIZIA DA PROBABILIDADE DE JESUS HAVER NASCIDO NO MES DE MARÇO, DEVIDO A QUESTÃO DO MILAGRE DOS PEIXES E DA ERA DE PEIXES. E QUE O ANO INICIA NO DIA 21 DE MARÇO. MAS ACREDITO QUE NUNCA SABEREMOS A MENOS QUE ELE MESMO NOS CONTE. ENFIM TODAS AS PESQUISAS SÃO VÁLIDAS E BEM INTERESSANTES AS JUSTIFICATIVAS.

José Alencastro disse...

O Ascendente de Jesus era Peixes, o signo não há como, inclusive pela própria questão da concepção de João Batista, 6 meses antes da concepção de Jesus.

zorde disse...

"A nível astrológico, o dia 21 de agosto de 7AC ainda traz uma péssimo posicionamento que dificilmente identificaria a vinda de um emissário divino: uma forte conjunção do Caput draconis com a estrela Algol" Não precisa dizer mais nada José, kkk Realmente, pouco provável que Jesus tivesse algo a ver com essa constelação de Dragão mesmo... Valeu!!!

José Alencastro disse...

Então Zorde, na verdade o caput draconis, que significa "cabeça do dragão" é um ponto orbital também conhecido como nodo lunar, dos mais importantes no mapa de qualquer pessoa e mostra a missão de vida, o objetivo que a pessoa veio realizar na presente encarnação. Mais sobre esse ponto pode ser visto aqui:

http://www.astrologiamedieval.com/Nodos_Lunares.htm

No caso do mapa de Jesus, um virginiano - libriano com ascendente em peixes, seu nodo lunar ou caput draconis está em aquário na casa 11. A casa 11 fala dos grupos,sociedades, reuniões de pessoas por um objetivo comum a nível social, enquanto Aquário fala do pensamento progressista, visão de futuro, ações rápidas, muitas vezes "elétricas" que muitas vezes chocam ou causam espanto por romper de forma abrupta com aquilo que é considerado tradicional, explicações que revelam bem a essência da missão de Jesus.

Tem outras questões interessantes no mapa de Jesus, sobretudo a capacidade de captar e agir sobre o desejo coletivo das pessoas próximas, isso é mostrado pelo Urano próximo do seu ascendente, pela oposição do Sol ao Ascendente (ligando o Ascendente diretamente à casa 07 que fala da publicidade, associações). Sol em conjunção com Spica, e Júpiter em conjunção com Alpha Leonis (Regulus) são indicativos interessantes de facilitadores para alguém que provavelmente teria muita facilidade para ser reconhecido e visto como uma grande líder, devido a capacidade de expansão dessas duas energias

José Alencastro disse...

Além desses posicionamentos temos um grande trígono de Terra envolvendo Marte exaltado energeticamente na casa 10, com Plutão e Vênus em conjunção na casa 06 e Saturno na casa 02, configuração astrológica que traz um senso aguçado de comunidade, compartilhamento, trabalho em equipe, as rotinas de um trabalho espiritual profundo estão mostradas em Plutão com Vênus na casa 06, a exaltação de Marte na casa 10 (status, carreira, profissão, reconhecimento social) confirma as posições de Júpiter/Regulus e Sol/Spica conferindo um grande espírito de liderança e determinação, quase militar, para superar qualquer barreira em seu caminho.

Além disso tudo, Netuno é o planeta que rege Peixes (Ascendente dele no mapa) e esse planeta está na casa 08 em Escorpião, explicando a nível astrológico a grande mediunidade de Jesus e seu controle emocional, também confirmado pelo trigono entre Netuno na casa 08 e Lua na casa 12.

Somado a isso tudo a conjunção de Mercúrio, exaltado energeticamente com o Sol na casa 07 explica a grande capacidade de oratória em público de Jesus, que devido ao seu Saturno em Touro explicava sua aparência imponente fisicamente, ainda que parecesse ser mais velho do que realmente era, aliado a um olhar doce do seu ascendente em Peixes e um magnetismo pessoal muito grande explicado astrologicamente pela presença de Sol e Mercúrio na casa 07 muito próximos de Libra.

O mapa mostra amplas potencialidades na comunicação, magnetismo pessoal, controle emocional e grande capacidade espiritual e mediunica, capacidades essas que poderiam ter sido usadas de forma negativa ou não tão exploradas caso alguém que não tivesse um elevado perfil moral tivesse nascido nessa mesma data e local.

Maira disse...

Porque comemoramos o nascimento de Jesus em 25 de dezembro?

Alianco Por La Freŝa Vetero disse...

O que você acha disso José? Em 6 antes de Cristo, houve três conjunções planetárias. A primeira no dia 29 de maio, segundo os cálculos de Johanes Kepler, levando os reis magos a se prepararem para a viagem. Na segunda conjunção, no dia 6 de outubro, eles partiram para Belém e lá chegaram em 4 de dezembro, quando ocorreu a terceira conjunção. Três reis magos e três planetas unidos no céu é algo bastante simbólico. A conjunção do ano 6 antes de Cristo ocorreu na constelação de Peixes, e o peixe mais tarde se tornou um dos símbolos do Cristianismo. Em Roma, na Grécia e na Pérsia, os planetas Júpiter e Saturno eram associados à realeza e, para os judeus, uma conjunção desses planetas em Peixes era sinal da chegada de um poderoso rei.

José Alencastro disse...

Jesus nasceu em setembro e segundo cálculos simples atraves da pista fornecida na Biblia sobre a ordem de sacerdotes que Zacarias pertencia, Jesus só poderia nascer entre final de setembro e inicio de outubro, qualquer outra data é bem improvável e ainda mais improvável pela questão do fenomeno da estrela de Belem, que nao seria formado no ceu por uma simples conjunção planetária, mas sim de um grande planeta (Jupiter) com um estrela brilhante no ceu. Jesus nao nasceu em dezembro, independente do ano que se coloque o estudo do seu nascimento. Abraço

Magnus disse...

José, Benitez o de operação cavalo de Tróia e alguns esotéricos falam de 21 de agosto de -7. Todos planetas exaltados ou em domicílio . Já testou?

José Alencastro disse...

Foi comentado no texto e nos comentarios Magnus. É impossível que Jesus tenha nascido no ano - 7 em 21 de agosto, tanto pelos dados históricos e biblicos expostos no texto e como a nivel astrologico. A conjunção do caput draconis com algol jamais marcaria a vinda do Messias, fora outras posições bem fracas no mapa nesse dia, ao contrário do mapa exposto no texto em 21 de setembro de -3

Historicamente e astrologicamente é impossível que Jesus tenha nascido em -7 a 21 de agosto, quem conhece o mínimo de Astrologia e sabe da questao biblica envolvendo o nascimento de JB que precedeu o nascimento de Jesus chega facilmente a essa conclusão.

Com todo o respeito a Benitez e esotéricos que pensam diferente, os argumentos expostos no texto, a nível biblico e astrológico são irrefutáveis.

THOR AGNOR disse...

a religião testemunha de jeova tbm tem como setembro o nascimento de jesus , o ano deles de fechamento de contabilidade da torre de vigia ( órgão de administração da religião ) fecha o ano em setembro .

Hernane Alencar disse...

Nossa! Jesus tinha o Sol e Mercúrio na 7? Eu tenho também, rsrs Aliás, tenho Sol, Mercúrio e Marte na 7, porém Sol ariano, e Mercúrio e Marte em Peixes... se minha Vênus estivesse na 7 eu teria um stellium pisciano, mas minha Vênus tá em peixes na 6...

Heliete Socióloga disse...

Faz sentido as argumentações para setembro.

Roberto Estevam disse...

Por esse motivo os maçons colocaram o dia da oficialização do ino nacional 6 de setembro!
http://solascriptura-tt.org/Diversos/NatalVeioDoPaganismo-Helio.htm

Astrologia Védica disse...

Hari Om, olha acabei de fazer o mapa segundo seus dados, e é um mapa interessante, nao sigo o raciocinio da astrologia ocidental, que tem suas razoes, mas alguns pontos bem importantes no mapa vedico me chamam a atencao.
O planeta que rege a alma do nativo(cristo) é mercurio, está muito forte no mapa, exaltado ,
Mercurio este planeta que representa a alma, esta na casa 7 porem em um estado que dizemos q é a casa de morte para mercurio, ou seja o nativo nao estava nem ai para a vida social, em outras palavras forte vocacao para renuncia a vida social , Mercurio conjunto a Venus debilitada, Venus é dita ser ruim estar na casa 7 pois expande as relacoes, mas por estar debilitada, a renuncia é mais que completa, absoluta, Venus e Mercurio sáo ditos planetas RAJAs ou seja planetas de desejos, mas devido ao exposto , neste mapa agem exatamente o contrario,
Mercurio está numa posicao chamada Vargotama, isso acontece quando o mapa, natal é um outro mapa que chamamos de navamsha ou mapa da alma, tem o mesmo planeta no mesmo signo, e isso interpretamos que a pessoa é abençoada por Vishnu (a divindade suprema autora de todas criacoes em todos universos visiveis e invisiveis), O planeta da alma esta nesta condicao é algo extremamente potente para a realizacao desta pessoa, bom, nao da para falar tudo num post te blog, mas por este pouco, ja acho bem interessante a possibilidade do horario e data serem o horario de uma pessoa que fez a diferenca