14 de abr de 2018

Os Recentes Eventos no Rio de Janeiro – Motivos da Violência e Realidade no Astral


Quais os motivos para tanta violência no Rio de Janeiro? O que acontece nas zonas umbralinas do Rio de Janeiro? Como combater tantos problemas? Essas são algumas perguntas recorrente que tenho recebido e acredito que todo o carioca tem feito.

Tentarei simplificar ao máximo todas essas questões complexas com as informações básicas e necessárias para as primeiras reflexões sobre esses temas e ao final do texto deixarei alguns links com outros textos para aprofundamento dos temas. Dito isso, vamos lá.

Começarei com um trecho do enorme segundo texto da trilogia do Xadrez Mundial (link do texto completo ao final) que explica como o problema surgiu no RJ, adicionando alguns comentários:

Nos anos 60 o mundo vivia a realidade da guerra fria: EUA e Europa Ocidental polarizavam a luta por hegemonia política e econômica mundial com o bloco comunista liderado pela Rússia, que continha como aliados os países do leste europeu e também a China que não era a potência que é atualmente. Com a penetração de influência dos russos em Cuba (o socialismo moreno), o bloco russo desejava avançar sobre o Brasil, o que prontamente ocasionou a reação americana querendo evitar o comunismo no quintal da América do Sul. Por esse motivo os americanos motivaram e apoiaram a instauração do Regime Militar no Brasil, pois tendo a força das armas não haveria como um governo ou força política marxista tomar o poder. Sem conseguir tomar o poder pela força, o movimento marxista (sob a bandeira de socialismo e comunismo) resolveu adotar a estratégia de conquista cultural para gradativamente desestabilizar o poder vigente e conquistar apoio popular na busca por jogar a população contra o regime vigente, que na época era o militar.

Uma das estratégias comunistas para atacar seus adversários capitalistas do Ocidente desde a guerra fria foi a desestabilização interna (penetrando em guetos e localidades mais pobres como morros ou áreas carentes) através da máfia russa e venda de armas que criou uma base em Cuba que por sua vez treinaria guerrilheiros para a América do Sul, dando origem assim ao crime organizado no Brasil, que serviria para desestabilizar uma importante área de atuação dos EUA, tentando criar condições de desequilíbrio social que enfraquecessem o governo apoiado pelos EUA e permitisse a vinda de um "salvador", uma ideologia salvadora, um partido que trouxesse as soluções.

No caso do Brasil, especialmente do Rj e Sp os estrategistas vermelhos perceberam que devido a forte resistência do governo militar a revolução armada demoraria muito tempo e ao mesmo tempo seria impossível aparelhar ou penetrar ideologicamente no Exército (como foi feito na Venezuela), por isso mesmo investiram na estratégia gramsciana (marxismo cultural) de conquistar educadores (escolas, universidades) e a mídia (jornalistas,pensadores, artistas) que apoiassem a idéia de uma esquerda nova social democrata (que na verdade era o PT marxista sem nada de social democrata) que seria supostamente a solução para os anseios democráticos e de justiça social da população durante a ditadura  (quando na verdade o que o partido vermelho desejava era instalar um projeto de perpetuação no poder)

Abordei o tema no livro “Brasil: Ordem em Progresso” esclarecendo mais detalhadamente esse processo de sedução: disseminação de uma idéia (social democracia) que não condizia com os reais objetivos (marxismo, projeto de perpetuação no poder através da cooptação de agentes e instituições do Estado) para atrair ideologicamente pessoas ligadas à áreas estratégicas (educadores, jornalistas, artistas e a partir daí mais e mais pessoas) e atrair pela estratégia de firmar laços de confiança (aqueles que se mostrassem mais fiéis e influentes na disseminação da causa ganhariam benesses financeiras, como cargos e patrocínios financiados pela organização). 

Esse é o modus operandi da coisa toda, exposta nas suas entranhas com os famosos “mortadelas” pagos aos milhares para encherem (ao menos era essa a idéia) as manifestações ou ações orquestradas por alguma causa de interesse do partido. Na América do Sul esse modo de ação do marxismo ficou conhecido como populismo ou bolivarianismo. No Brasil o partido escolhido para ser o "Partidão" (a semelhança do partido comunista na China) foi o partido dos trabalhadores.

Mesmo trabalhando com sucesso na estratégia do marxismo cultural (gramscismo) e conseguindo as eleições presidenciais para o governo vermelho, o projeto marxista na América do Sul (que através do Foro de SP é apenas um braço, um tentáculo da verdadeira fonte que está na Rússia, sobretudo nos seus porões astralinos no Kremlin como abordei em textos e nos livros anteriores que escrevi), mesmo assim o embrião do processo revolucionário pela via armada prosseguiu, não apenas com a criação do "exército do MST" (segundo as palavras do próprio Lula em discurso) como também, desde a década de 70, através das associações nas entranhas do tráfico organizado (que em essência foi criado através da associação de guerrilheiros/presos políticos que ensinaram táticas de organização e guerrilha para bandidos cascudos do tráfico que estavam presos nas mesmas celas, foi assim que surgiram as facções criminosas organizadas), pois em última instância o governo de viés marxista sabia que não bastava sucatear o Exército (já que ele nunca compraria a ideologia marxista) mas também fortalecer a capacidade do tráfico e do crime organizado gerar instabilidade na sociedade, estratégia que como foi dito aqui foi realçada desde a época do governo militar.


Quem quiser conhecer um pouco mais de como tudo isso aconteceu na formação do crime organizado no Brasil, há vários textos na internet sobre o tema, mas destaco esse aqui:


Os discursos de "desarmar/acabar com a PM" ou defender os direitos humanos de prisioneiros cascudos (estupradores, assassinos) discursos tão presentes nos partidos de viés marxista (que tentam mostrar uma cara de sociais democratas descolados) é tão somente parte desse plano maior que visa criar instabilidades e terreno fértil para discursos populistas que possam seduzir novamente a população para a idéia de que somente a ideologia marxista (de suposta igualdade social mas na realidade de destruição da democracia e do Estado de Direito) resolveria tudo num passe de mágica.

Um interessante relato sobre isso está no vídeo a seguir de 5 minutos (veja antes de ler o resto do texto):


Hoje os principais revolucionários da causa marxista são os “operários do pó”, aqueles que dispõe de armamento pesado, “soldados” dispostos a morrer (os vida loka) que movimentam bilhões com o tráfico de drogas e outros crimes adicionais (roubos de cargas, sequestros) e são os responsáveis pela maioria das 60 mil mortes violentas que acontecem hoje no Brasil, que possuem ligação direta ou indireta com a ação do tráfico. Muita gente graúda ganha dinheiro com a carteira do tráfico, pois ela movimenta outros grandes negócios de aparência legal, mas que lavam o dinheiro advindo do crime organizado, o que permite como foi retratado nos filmes Tropa de Elite a eleição de políticos corruptos e o fortalecimento das chamadas milícias (a parte corrupta da policia)

Não apenas a favela ou conjunto de bairros mais pobres representam um grande mercado para a milícia (como foi mostrado principalmente no segundo Tropa de Elite) com os negócios de “pedágio” para venda de gás, gato net, vans e transporte como também para o tráfico de drogas, que por sua vez a partir desses pontos vai irrigar o fornecimento para todo o Estado e todo o país. Em tais pontos quando não há briga entre facções criminosas ou entre essas e milícias, há a união de alguns desses elementos para explorar em conjunto essa infinidade de recursos. Dito isso ficam duas perguntas:

Quem age tentando impedir que esse sistema todo continue existindo? A resposta: os bons policias, bons políticos e demais agentes da justiça que não estão envolvidos (cooptados) pelo tráfico ou pelas milícias e demais agentes graúdos do tráfico

O que alimenta esse sistema? Resposta: A venda de drogas e a corrupção

Com essas duas perguntas respondidas é preciso fazer mais algumas: a quem interessa tentar convencer a população que toda a policia é corrupta? A quem interessa liberar o uso das drogas? A quem interessa desarmar a policia? A quem interessa defender bandidos como vítimas da sociedade? A quem interessa fazer acordo com o tráfico ou com a milícia para colocar “projeto social” na favela (como mostrado no primeiro filme Tropa de Elite e realidade em muitos lugares do RJ) com o intuito de defender minorias, mas ao mesmo tempo disseminar o discurso de liberação das drogas, criminosos como "vítimas da sociedade burguesa opressora escravocrata" e  o discurso falacioso que a PM seria toda corrupta e violenta? A quem interessa estimular a sexualidade precoce em crianças com cartilhas impróprias nas escolas? A quem interessa motivar os funks proibidões e de letras chulas de estimulo sexual para pré adolescentes nas “festas” cheias de “glamour” nas “comunidades"?

Será que isso tudo interessa aos bonzinhos, aos bons espíritos encarnados trabalhando a serviço da luz? Será que alguém que defende essas pautas está a serviço da luz? Certamente que não, assim como os partidos políticos que defendem essas pautas, notadamente de viés marxista e com  o discurso falacioso de "justiça social e defesa das minorias" 

A situação astral do RJ e que reflete de forma hiperbólica o que ocorre nas zonas umbralinas de boa parte das grandes capitais do país é um reflexo dos encarnados que sustentam o tráfico de drogas, pois é o tráfico que dinamiza a egrégora do medo, que financia boa parte de festas e inferninhos onde ocorrem terríveis vampirizações, que fornece a droga, que cria elos simbióticos entre viciados encarnados e desencarnados e que desestrutura não apenas o ambiente familiar, mas também a cadeia produtiva do país. 

Quem ajuda e fomenta essa realidade é exatamente quem defende as pautas favoráveis ao tráfico e contrárias ao enfrentamento da bandidagem, tanto a civil como a formada pela milícia corrupta. Quem fomenta essa realidade é quem quer acabar com toda a PM e acha ruim o exército dar calor nos vagabundos.


Mas não há nada que esteja ruim que não possa ficar um pouco mais difícil. Como a oferta dos vícios, "prazeres" e estímulo à violência está cada vez maior na superfície e cada vez mais encarnados ficam sintonizados com essa realidade, muitas das estruturas que antes eram restritas às zonas umbralinas são erguidas agora na superfície, no astral intermediário. 

Isso por um lado facilita o trabalho dos guardiões de esvaziamento das zonas umbralinas ao mesmo tempo em que traz o confronto mais para a superfície. O negócio está tão intenso que agentes umbralinos já estão criando um sistema simplificado (computadorizado a base de créditos) que paga numa espécie de moeda digital astral por determinada cota de ectoplasma (o ouro das milícias umbralinas) que seja conseguida dos encarnados, cotas essas que criam os mais diversos negócios e trocas financeiras no astral da superfície terrestre, intensificando processos obsessivos alimentados pelos próprios encarnados. 

Como relato ao final desse texto nas soluções a longo prazo e para quem já acompanha todo o estudo sobre a transição planetária, exílio planetário, vinda da nova Era após os eventos cataclísmicos (ainda que tenha “médium” contrariando Kardec negando a vinda de meteoro) apenas virá após a retirada das almas pertinazes no mal e que alimentam todo esse sistema trevoso. Não se enganem, a grande onda que varrerá os litorais do Globo Terrestre não apenas arrastará muitos encarnados mas bilhões de desencarnados, sepultado definitivamente gigantescas egrégoras e estruturas trevosas construídas na superfície astral.

E à muitos médiuns aos quais nutro respeito, mas infelizmente tem se deixado levar por ideologias políticas totalmente equivocadas fica apenas o meu alerta: Não se enganem, quem defende esse tipo de sistema, apoiado por determinadas ideologias políticas, com tentáculos no físico e no astral, não está trabalhando a serviço da luz e, sobretudo não está trabalhando com os guardiões superiores, que prezam pela lei, pela ordem e pelo combate a corrupção, sobretudo através dos seus agentes encarnados como bons policias, o exército e os homens da justiça como aqueles que atuam na Lava Jato.

Torço, sinceramente, que tal alerta recorde do irrevogável cronograma que está em curso e vem sendo divulgado desde 2014 com alto grau de acerto. O tempo é curto e será ainda mais para quem ficar em cima do muro ou do lado errado.

Xadrez mundial – As raízes históricas da violência no RJ dentro da agenda marxista:


Soluções de curto, médio e longo prazo (primeiro comentário do link):


Carnaval, egrégoras e processos obsessivos no astral e no físico:  


Previsões cumpridas desde 2013, como adquirir os livros (clique no banner abaixo): 



2 comentários:

AJ Caldas disse...

Excelente !

Patysu Wak disse...

Estou maravilhada com tanta lucidez! Vou ler mais amanhã. Grata pelas informações.